5 Princípios do Jornal para Aplicar no seu Conteúdo On-line

5 Princípios do Jornal para Aplicar no seu Conteúdo On-line

Eu amo jornais.

Eu sou um ex-repórter – estagiei durante a faculdade, fui colunista de esportes durante seis anos e meu pai trabalhou em um jornal por quase 40 anos. Então, sim, eu tenho uma queda pelos impressos.

Hoje, a escrita ainda é a minha especialidade, mas eu penso um pouco diferente sobre ela.

Quando eu comecei como repórter, eu não tinha ideia do que era SEO – talvez ninguém em 2005. Eu não escrevia para internet, mas para pessoas em que o jornal era entregue à sua porta todos os dias.

Dez anos atrás, eu queria que meu conteúdo aparecesse acima da dobra na primeira página do jornal. Agora, eu quero que ele apareça na primeira página de pesquisas do Google.

Mesmo que muitas coisas tenham mudado quando falamos em meios de comunicação, o bom conteúdo continua sendo essencial.

Você pode surpreender seus editores com conteúdo de qualidade e conseguir com que ele seja publicado na primeira página do jornal, ou “impressionar” o algoritmo do Google ao ser colocado em uma posição privilegiada para busca online.

Aqui estão cinco princípios dos jornais que podem nos ajudar a aprender sobre SEO.

1. Um bom título pode fazer ou quebrar uma história

Imagine que você escreveu o melhor artigo no mundo. Eu estou falando algo para ganhar o Prêmio Pulitzer, com uma escrita que faria Bob Woodward ter inveja.

Mas seu título é ruim. Leve, muito “bonitinho” ou simplesmente confuso. Como ele atrairia a atenção dos leitores?

Quando um leitor abre um jornal, a primeira coisa que ele vê são as manchetes. É por isso que elas estão em negrito e em letras grandes.

Quando você faz uma pesquisa no Google, a primeira coisa que também vê são os títulos. E se eles não forem interessantes, não clicará para acessar o conteúdo.

Dê a seu público uma breve sinopse, provoque-o e faça as pessoas continuarem lendo.

Ninguém disse que isso era fácil. Mas em termos de SEO, os melhores títulos soam natural, e tem um comprimento tweetável (entre 100-120 caracteres), com uma palavra-chave forte e descritiva.

Se um leitor não tem uma compreensão razoável sobre seu conteúdo, ler apenas o título não é eficaz.

2. Jornalistas são tão bons quanto suas fontes ou seus links

Repórteres nem sempre são especialistas no tema da matéria. É importante que eles encontrem as pessoas certas para entrevistar. Bons recursos fornecem background e o contexto necessário.

O mesmo pode ser dito para hiperlinks quando se trata de conteúdo online.

Os links devem direcionar os leitores para uma página com conteúdo em profundidade em seu site que forneça informações extras. Antes de adicionar um link, se pergunte: “como isso pode complementar o meu conteúdo? ”

Você deve ter cuidado quando se trata de hiperlinks – muitos podem prejudicar a visibilidade do seu conteúdo, especialmente quando links duplicados estão envolvidos.

Os leitores são mais propensos a clicar quando há um número limitado de links.

Já viu conteúdo on-line cheio de hiperlinks? Isso é como um artigo de jornal só com citações. O segredo é a moderação.

3. Conheça o seu público

Tudo bem se o seu objetivo é aumentar seu público.

Claro, seu artigo pode aparecer na página de esportes. Mas e se uma pessoa que não é fã de esportes encontrar seu conteúdo? Será que ela vai entender?

Jargões podem ser perigosos. Ao usá-los, há o risco de perder uma parte de seus leitores.

Geralmente, é melhor usar uma linguagem natural e sempre amarrar o seu conteúdo ao público. Conte uma história que qualquer um possa entender. Seja claro. Descreva a tensão. Faça seus leitores se sentirem parte da história ou dentro do estádio.

O mesmo vale para conteúdo on-line – se você escrever para um público específico, você corre o risco de limitar o número de leitores.

Às vezes um jargão é bom. Por exemplo: Se você estiver escrevendo para um blog de tecnologia e você só se preocupa em atingir repórteres de tecnologia, vá em frente. Mas se seu objetivo é ser visto por um grande número de pessoas, não fale sobre taxas de bits variáveis e pontos quânticos. (Eu não sei o que isso significa.)

Infográfico SEO

4. Timing

Sua notícia está pronta: É oportuna, com linguagem natural, possui três citações ótimas e o título está no ponto.

Perfeito… até que algo melhor aparece.

As notícias de última hora podem ser o pesadelo de um repórter. Elas podem enterrar seu conteúdo.

O mesmo pode acontecer com os buscadores. Digamos que você está escrevendo um em um blog sobre cuidados de saúde – “As oito melhores dicas para aumentar os benefícios de sua saúde”.

Você pode publicar seu post totalmente otimizado com uma boa mistura de palavras-chave e frases. E logo em seguida, passados dez minutos – BOOM – “Obamacare é aprovada pelo Congresso”. Diga adeus para a primeira página de pesquisas do Google.

As notícias de última hora estão fora do seu controle. Mas, ainda assim, o timing deve ser cuidadosamente gerenciado. Faz sentido publicar meu artigo hoje?

5. Uma imagem vale mais que mil palavras

Use multimídia! (Sem qualquer formalidade).

Imagens sempre melhoram uma história.

Nos jornais, a história mais proeminente e mais importante aparece acima da dobra na primeira página com uma grande foto.

No on-line, fotos e vídeos também são importantes.

Tente pesquisar no Google por receitas de tacos com camarão. Veja os resultados. Alguns com fotos e vídeos, enquanto outros são apenas em texto. Onde será que você vai clicar?

Uma imagem dá autoridade ao artigo. Use uma imagem para fazer dupla com seu texto, sempre.

Texto traduzido do Blog Beyond Bylines, publicado por Ryan Day no dia 20 de junho de 2016. Ryan é Gerente de Serviços e Conteúdo ao Cliente na PR Newswire.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Anúncios

3 Erros Mais Comuns em Press Releases

3 Erros Mais Comuns em Press Releases

Existem inúmeros pontos que devemos considerar quando chega a hora de enviar um press release à imprensa ou promover um conteúdo. No entanto, mesmo depois de você e seus colegas percorrerem todo check-list, para verificar detalhes da distribuição, não considere o trabalho terminado.

“Comunicadores devem descobrir como contar a história de suas marcas ou produtos de uma maneira abrangente e que conecte emocionalmente o público e inspire-o a interagir”, escreve o autor do nosso white paper Driving Credibility & Success for Your Brand: How to Earn More Media.

A ligação emocional pode ser colocada em risco quando a experiência de leitura do seu público é interrompida por um erro de digitação, por exemplo.

Quando uma empresa envia um press release para PR Newswire, a equipe de Customer Content Services o prepara para a distribuição. Além de analisar os elementos essenciais do texto, como título, cidade, data e informações de contato para mídia, nós estamos atentos para todos os possíveis erros de última hora, para corrigi-los antes de enviarmos o release.

Aqui estão os três erros em press releases mais comuns:

1 – Data incorreta

Você ficaria surpreso em saber que nossos editores encontram com frequência o ano de 2015 nas datas de press releases? Eu mesma vi três, só na semana passada.

Depois de passar tanto tempo nas partes mais importantes do seu conteúdo, é fácil deixar a data correta cair em esquecimento.

Talvez você tenha planejado enviar o seu comunicado de imprensa na semana passada, mas precisou de mais tempo e resolver algumas questões antes que você pudesse emiti-lo. Ou você pensava em distribuí-lo hoje, mas algo mudou e precisará guarda-lo até a próxima semana.

Ao passar por sua check-list, não se esqueça de incluir a cidade e a data. Colocar o mês, dia e ano da distribuição corretamente ajuda os leitores determinarem quão recente é a informação.

Driving Credibility & Success for Your Brand: How to Earn More Media

2 – Web site

Você tem que ser estratégico sobre quantos links você deve incluir e onde deve colocá-los. Após defini-los, verifique se os links estão funcionando corretamente. Muitas vezes vemos links para sites que não foram publicados ou para arquivos não disponíveis.

Tenha um colega ou amigo para testar os links e confirmar se as URLs estão funcionando, mas também oriente os leitores para acessarem a página de destino pretendida.

3 – Ortografia

É uma longa tradição na PR Newswire treinar os nossos especialistas de conteúdo para identificarem erros como “manger” (manjedoura), e corrigi-la para “manager” (gerente). Além daqueles que o corretor não sinaliza, tornando um pouco mais difícil de encontrar.

Um exemplo que eu vi recentemente que se refere às pessoas que compram um determinado produto como “costumers” em vez de “customers”.

Como a verificação ortográfica não pega esses tipos de erro, você precisa reler o conteúdo e ver o contexto. Um prazo muito apertado torna muito mais difícil de detectar erros ortográficos.

Se você puder, tire alguns minutos para passar um pente fino em seu conteúdo e evite esses tipos de erros. É sempre melhor pegá-los antes que eles sejam distribuídos do que os corrigir depois. Felizmente, antes de emitir seu press release, o Customer Content Services da PR Newswire irá consultar se a data está correta, URLs incorporadas e outros erros fáceis de cometer.

Se você escreve comunicados de imprensa e outros tipos de conteúdo para marcas, faça de tudo para garantir a máxima qualidade em suas ações. Baixe Driving Credibility & Success for Your Brand: How to Earn More Media para obter mais dicas sobre o que procurar na sua distribuição de conteúdo.

Texto traduzido do post escrito por Catherine Spicer no Blog Beyond PR, no dia 26 de maio de 2016. Catherine é Gerente de Customer Content Services da PR Newswire.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

5 Dicas para o seu News Release “Socializar”

5 Dicas para o seu News Release “Socializar”

O news release evoluiu completamente e já não se parece com o estilo tradicional, graças as mídias sociais terem revolucionando o ambiente para profissionais de Relações Públicas. A principal vantagem dessa mudança monumental é que o RP, mais do que nunca, pode criar um grande impacto mesmo com um orçamento limitado. Se você estiver usando o velho estilo de press release, você ficará para trás. Evolua para o News Release 2.0! Ele não se parece nada com seu antecessor.

Para se mantem atualizado, você precisa participar dos canais de mídia social certos para seu negócio e garantir que seu press release está “pronto para o social”.

Aqui estão cinco dicas para socializar seu comunicado à imprensa:

1.Entender o seu público

Você precisa entender o seu público e continuamente aperfeiçoar e ajustar o seu press release para que ele se interesse. O usuário é o único que pode gostar, twitar e compartilhar o seu conteúdo e se você não entender o que ele quer, você não vai entregar conteúdo compartilhável para ele.

2.Vá além do título

Twitável. Seus títulos, citações e fatos todos precisam ser twitáveis. Faça o seu comunicado de imprensa com isso em mente. Táticas simples, tais como manter o seu título abaixo dos 100 caracteres pode ajudá-lo a alcançar este objetivo. Para ver mais dicas sobre como escrever um título que as pessoas vão realmente clicar, confira este post aqui.

3.Escrever para o seu público

Quando você entender e ouvir o seu público, você verá entrará no mundo dele. Usar as suas palavras-chave certas estenderá o alcance e o impacto de seu press release. Use palavras e frases que o seu público utiliza para falar com eles em seu nível mais próximo e sua mensagem ressoará entre ele. Se eles puderem editar um título ou uma frase, eles estarão mais propensos a compartilhar, uma vez que já soa consistente com algo que eles diriam.

4.Aprimorar o título

Mantenha o seu título curto e direto ao ponto. Os motores de busca irão cortar seu título em cerca de 60 caracteres e para twitar o título ele deve ter cerca de 100 caracteres ou menos. Ele é tão importante porque é a primeira frase que o seu público vai ler. Se o título não apelar para eles, o resto do lançamento vai acabar na caixa de spam ou “lixo eletrônico”. Para ver mais dicas sobre como escrever um título que as pessoas vão realmente clicar, confira este post aqui.

5.Valorizar o seu público

Faça o seu conteúdo atraente para seu público. Diga-lhes coisas que eles querem ouvir, e faça ainda melhor, diga coisas que eles vão querer compartilhar com as outras pessoas. Todo o conteúdo deve incluir botões incorporados para clicar e compartilhar, com o máximo de oportunidades para compartilhamento.

Embora para as marcas mais conservadores, compartilhar press releases e mensagens através da mídia social, possa parecer pouco “não ortodoxo” e muitas vezes pouco profissional, a verdade é que a mídia social é agora um aspecto fundamental do Marketing e PR e uma importante plataforma para a distribuição de mensagem de marca.

Para uma análise mais detalhada de como os press releases mudaram e passos que você pode tomar para garantir que o seu comunicado de imprensa está “pronto para o social”, faça o download Tips for Creating a Press Release that Maximizes Social Sharing.

Tips for Creating a Press Release that Maximizes Social Sharing

Texto traduzido do post escrito por Amy-Louise Tracey no Blog Beyond the Wire, no dia 27 de abril de 2016.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

 

Como o Clipping Online de Notícias pode ajudar as PMEs

Acompanhar as notícias online sobre o mercado pode definir o futuro das pequenas e médias empresas.

Quem acha que o monitoramento de notícias na internet é obrigatório só para grandes corporações se engana. Todo empreendedor, de micro a macro, deve se manter atualizado com o material publicado pela mídia. Por que? Vamos usar exemplos para que fique a explicação seja mais prática e menos teórica:

Clipping Online – Identificação de Ameaças e Oportunidades:

Suponhamos que você tenha uma loja de móveis planejados. Pensando no custo benefício e para estar atento a todas as novidades do seu mercado, você contratou um serviço de clipping online de notícias. Diariamente você recebe um relatório com as notícias relevantes para seu negócio. No relatório de hoje, você se deparou com a notícia: “Casas Bahia amplia venda de móveis planejados”.

Ameaça: Um forte competidor é identificado no seu segmento. Talvez seja hora de estuda-lo melhor e conhecer quais os diferenciais que ele oferece para o público.

Oportunidade: A notícia traz uma informação muito importante. Os clientes da classe C, passaram a consumir de forma mais aspiracional. Que tal sua empresa propor condições especiais para esse público ou trabalhar a sua comunicação nesse segmento?

O clipping online é uma ferramenta de Marketing que contribui para a estratégia de negócio das empresas. Basta escolher as palavras-chave referentes a sua empresa que você quer monitorar. Para isso, pense quais palavras estão relacionadas ao seu negócio:

  • Palavras-chave relacionadas aos seus produtos.
  • Palavras-chave relacionadas a sua empresa.
  • Palavras-chave relacionadas ao seu mercado.

FITClipping – Monitoramento de Notícias Online para as PMEs

Se você é um micro ou médio empreendedor, e não trabalha com nenhuma ferramenta para monitoramento de notícias online, aqui vai a nossa dica:

Como o Clipping Online de Notícias pode ajudar as PMEs

Voltado para as pequenas e médias empresas, o FITClipping é o serviço de monitoramento de notícias online da PR Newswire. Com ele você pode acompanhar as informações que estão sendo publicado na internet relevantes ao seu negócio.

#1. Como funciona: O FITClipping monitora e captura notícias que contenham as palavras-chave publicadas em portais de notícias, websites e blogs. Geralmente as keywords são relacionadas a produtos, empresas e segmentos específicos de mercado.

#2. Cobertura e Segmentação: O monitoramento de notícias online cobre portais de notícias, websites e blogs em 16 países da América Latina. Entre os países com as publicações jornalísticas mais relevantes estão: Argentina, Brasil, Colômbia, México e Uruguai. Além disso, os veículos online são segmentados por industrias como Automotiva, Negócios, Tecnologia e Saúde.

#3. Entrega: Um horário é pré-definido para que todos os dias (“de segunda a segunda”) seja enviada uma Newsletter customizada por e-mail com todas as notícias online capturadas, com base nas palavras-chave determinadas para o monitoramento. Todas as notícias são classificadas, e disponibilizadas em formato de texto – título, descrição e palavras-chave destacadas – com link para a página da matéria.

Esse formato de entrega garante agilidade para identificação de notícias relevantes, e rapidez para o acesso da notícia na integra. Acesse a página do FITClipping e veja mais informações.

DICA: Não se esqueça que o elemento mais importante do clipping online são as palavras chave que você irá utilizar. Uma boa seleção de palavras e termos-chave garante que você receba notícias com informações realmente relevantes para o seu negócio.

Por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

4 Dicas para Distribuição de um Press Release Global

 

Seu chefe entra no escritório e diz que os principais comunicados de produtos novos, nos quais você tem trabalhado no último mês, precisam agora ser enviados para todo o mundo.  “Global” é o que ele diz antes de sair da sala a caminho de uma reunião, deixando-o num frenesi apavorado de onde colocar primeiro as mãos. Essas quatro dicas podem ajudá-lo a reduzir a ansiedade na distribuição global de press release:

Distribuição de Press Release Global

#1. QUAIS OS PAÍSES E REGIÕES ESPECÍFICAS ESTÃO NA SUA META?

A primeira etapa é definir exatamente o que o seu chefe quer dizer com “Global”. A menos que sejam realmente notícias de última hora e você tenha um orçamento grande, enviar tudo para todos os países do planeta provavelmente não é o que ele pensa. Você precisará especificar os países mais importantes para sua empresa, o cliente ou as notícias. Se você não sabe para que países enviar, verifique com o departamento de marketing.  Espelhar seus esforços é, em geral, uma boa ideia.

Se eles retornarem com regiões, como “Europa” ou “Ásia” é melhor tentar especificar um pouco mais.  Europa Ocidental?  Escandinávia?  A União Europeia? E o que dizer da Europa Oriental?  Faça o mesmo para todas as regiões para as quais recebeu generalidades, até que chegue a uma lista objetiva de países ou minirregiões.  Isso o ajudará a segurar os custos e tornará o seu chefe feliz.

#2. ADAPTE O RELEASE. CRIE VERSÕES LOCAIS

Mandar o mesmo release para todos os mercados globalmente parece ser o mais fácil de ser feito, apenas um release para passar pela cadeia de aprovação corporativa, mas esta nem sempre é a forma de conseguir que as notícias gerem mídia livre de qualidade.  Ter versões adaptadas voltadas para países, regiões ou minirregiões específicas é sua melhor aposta, se estiver medindo resultados pela quantidade de clipes que recebe. Geralmente aconselho os clientes a prepararem algumas versões diferentes de comunicados à imprensa, claramente marcados para o destino e enviá-los, ao mesmo tempo, para a cadeia de aprovação.

Não é preciso fazer muitas mudanças para perceber uma diferença tangível nos resultados.  Modifique o release no título, subtítulo, primeiro parágrafo, alguns sinais gráficos e citações e assegure-se de que as mudanças sejam específicas para a área visada.  Por exemplo, “XYZ Inc. anuncia um novo chip projetado para regular energia em ________” como título.  Coloque o país, região ou minirregião no espaço. A citação pode ser totalmente localizada em cada versão e, francamente, funciona melhor dessa maneira.

Se tiver um contato local, assegure-se de listar essa pessoa em primeiro lugar no release destinado para esse país ou região.  Isso aumentará suas chances de receber uma chamada de um jornalista se houver dúvidas ou se for pedida uma entrevista de acompanhamento.

#3. FORNEÇA TRADUÇÕES EXATAS

Assim que tiver a lista de países, precisará traduzir o material para os respectivos idiomas ou ajustar determinadas frases para acomodar mercados específicos. Consulte para ver se há recursos de tradução nos escritórios locais que ajudarão a segurar os custos.   Se não tiver esses recursos, ou as equipes locais não tiverem tempo, assegure-se de consultar se desejam ver as traduções que fez para localizar ainda mais.

As traduções levam cerca de 1 a 3 dias úteis por 800 palavras do release, assim, planeje de acordo, quando montar o cronograma.  Se solicitou a aprovação das traduções antes da remessa, calcule o tempo de processamento para a cadeia de aprovação interna.

#4. COORDENE OS TEMPOS DE DISTRIBUIÇÃO

Enviar simultaneamente para todas as regiões do mundo não é uma boa ideia.  Como o “mundo é redondo”, alguém importante vai estar dormindo e perder suas notícias.   Você pode definir a cronometragem para distribuição simultânea na Europa, Oriente Médio e África ao mesmo tempo que nas Américas (se não se importar com horário de distribuição muito cedo), mas a Ásia precisará esperar até mais tarde, no horário de abertura.  Não é preciso mudar o cabeçalho para o release da Ásia se não quiser, afetaria apenas ligeiramente os resultados, se muito.

A distribuição de press release global não precisa ser tão intimidante quanto parece. Essencialmente, tudo se resume a direcionar as notícias especificamente para cada país e prestar muita atenção às distribuições culturais e fusos horários de cada região.

Interessado em saber mais sobre compartilhar as notícias em todo o mundo? Discutimos como formatar um press releases para atingir públicos globais que cada vez mais fazem uso de dispositivos móveis para consumir informação no webinar intitulado, “Thriving in a Mobile Driven World”, ou em português, “Ter sucesso num mundo impulsionado por dispositivos móveis”.

Este texto foi traduzido do post escrito por  Colleen Pizarev no Blog Beyond PR, no dia 12 de março de 2014.

Colleen Pizarev é vice-presidente de Communications Strategies in International Services da PR Newswire.