5 Princípios do Jornal para Aplicar no seu Conteúdo On-line

5 Princípios do Jornal para Aplicar no seu Conteúdo On-line

Eu amo jornais.

Eu sou um ex-repórter – estagiei durante a faculdade, fui colunista de esportes durante seis anos e meu pai trabalhou em um jornal por quase 40 anos. Então, sim, eu tenho uma queda pelos impressos.

Hoje, a escrita ainda é a minha especialidade, mas eu penso um pouco diferente sobre ela.

Quando eu comecei como repórter, eu não tinha ideia do que era SEO – talvez ninguém em 2005. Eu não escrevia para internet, mas para pessoas em que o jornal era entregue à sua porta todos os dias.

Dez anos atrás, eu queria que meu conteúdo aparecesse acima da dobra na primeira página do jornal. Agora, eu quero que ele apareça na primeira página de pesquisas do Google.

Mesmo que muitas coisas tenham mudado quando falamos em meios de comunicação, o bom conteúdo continua sendo essencial.

Você pode surpreender seus editores com conteúdo de qualidade e conseguir com que ele seja publicado na primeira página do jornal, ou “impressionar” o algoritmo do Google ao ser colocado em uma posição privilegiada para busca online.

Aqui estão cinco princípios dos jornais que podem nos ajudar a aprender sobre SEO.

1. Um bom título pode fazer ou quebrar uma história

Imagine que você escreveu o melhor artigo no mundo. Eu estou falando algo para ganhar o Prêmio Pulitzer, com uma escrita que faria Bob Woodward ter inveja.

Mas seu título é ruim. Leve, muito “bonitinho” ou simplesmente confuso. Como ele atrairia a atenção dos leitores?

Quando um leitor abre um jornal, a primeira coisa que ele vê são as manchetes. É por isso que elas estão em negrito e em letras grandes.

Quando você faz uma pesquisa no Google, a primeira coisa que também vê são os títulos. E se eles não forem interessantes, não clicará para acessar o conteúdo.

Dê a seu público uma breve sinopse, provoque-o e faça as pessoas continuarem lendo.

Ninguém disse que isso era fácil. Mas em termos de SEO, os melhores títulos soam natural, e tem um comprimento tweetável (entre 100-120 caracteres), com uma palavra-chave forte e descritiva.

Se um leitor não tem uma compreensão razoável sobre seu conteúdo, ler apenas o título não é eficaz.

2. Jornalistas são tão bons quanto suas fontes ou seus links

Repórteres nem sempre são especialistas no tema da matéria. É importante que eles encontrem as pessoas certas para entrevistar. Bons recursos fornecem background e o contexto necessário.

O mesmo pode ser dito para hiperlinks quando se trata de conteúdo online.

Os links devem direcionar os leitores para uma página com conteúdo em profundidade em seu site que forneça informações extras. Antes de adicionar um link, se pergunte: “como isso pode complementar o meu conteúdo? ”

Você deve ter cuidado quando se trata de hiperlinks – muitos podem prejudicar a visibilidade do seu conteúdo, especialmente quando links duplicados estão envolvidos.

Os leitores são mais propensos a clicar quando há um número limitado de links.

Já viu conteúdo on-line cheio de hiperlinks? Isso é como um artigo de jornal só com citações. O segredo é a moderação.

3. Conheça o seu público

Tudo bem se o seu objetivo é aumentar seu público.

Claro, seu artigo pode aparecer na página de esportes. Mas e se uma pessoa que não é fã de esportes encontrar seu conteúdo? Será que ela vai entender?

Jargões podem ser perigosos. Ao usá-los, há o risco de perder uma parte de seus leitores.

Geralmente, é melhor usar uma linguagem natural e sempre amarrar o seu conteúdo ao público. Conte uma história que qualquer um possa entender. Seja claro. Descreva a tensão. Faça seus leitores se sentirem parte da história ou dentro do estádio.

O mesmo vale para conteúdo on-line – se você escrever para um público específico, você corre o risco de limitar o número de leitores.

Às vezes um jargão é bom. Por exemplo: Se você estiver escrevendo para um blog de tecnologia e você só se preocupa em atingir repórteres de tecnologia, vá em frente. Mas se seu objetivo é ser visto por um grande número de pessoas, não fale sobre taxas de bits variáveis e pontos quânticos. (Eu não sei o que isso significa.)

Infográfico SEO

4. Timing

Sua notícia está pronta: É oportuna, com linguagem natural, possui três citações ótimas e o título está no ponto.

Perfeito… até que algo melhor aparece.

As notícias de última hora podem ser o pesadelo de um repórter. Elas podem enterrar seu conteúdo.

O mesmo pode acontecer com os buscadores. Digamos que você está escrevendo um em um blog sobre cuidados de saúde – “As oito melhores dicas para aumentar os benefícios de sua saúde”.

Você pode publicar seu post totalmente otimizado com uma boa mistura de palavras-chave e frases. E logo em seguida, passados dez minutos – BOOM – “Obamacare é aprovada pelo Congresso”. Diga adeus para a primeira página de pesquisas do Google.

As notícias de última hora estão fora do seu controle. Mas, ainda assim, o timing deve ser cuidadosamente gerenciado. Faz sentido publicar meu artigo hoje?

5. Uma imagem vale mais que mil palavras

Use multimídia! (Sem qualquer formalidade).

Imagens sempre melhoram uma história.

Nos jornais, a história mais proeminente e mais importante aparece acima da dobra na primeira página com uma grande foto.

No on-line, fotos e vídeos também são importantes.

Tente pesquisar no Google por receitas de tacos com camarão. Veja os resultados. Alguns com fotos e vídeos, enquanto outros são apenas em texto. Onde será que você vai clicar?

Uma imagem dá autoridade ao artigo. Use uma imagem para fazer dupla com seu texto, sempre.

Texto traduzido do Blog Beyond Bylines, publicado por Ryan Day no dia 20 de junho de 2016. Ryan é Gerente de Serviços e Conteúdo ao Cliente na PR Newswire.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Anúncios

Como a Mídia Social Mudou a Forma de Fazer Notícia

Como a Mídia Social Mudou a Forma de Fazer Notícia

As mídias sociais estão mudando a forma de como as notícias são divulgadas, mas algumas regras antigas ainda prevalecem. Segundo Aaron Davis do Washington Post, se você está em uma reunião e escuta um “furo” exclusivo e na sala não há outros jornalistas presentes, e a notícia nunca foi divulgada nas redes sociais, guarde-a para você.

Davis cobre política e governo e, recentemente, esteve no Society of Professional Journalists Panel com dois outros colegas para discutir os desafios de cobrir a capital dos Estados Unidos.

“A internet mudou a forma de divulgação das notícias”, Davis menciona que o jornal Washington Post sempre considera o timing para suas publicações. “O planejamento virou de cabeça para baixo”.

Muitas das principais notícias do Washington Post são colocadas on-line logo cedo – perto das 06:00 ou 07:00 – literalmente, quando as pessoas estão acordando para ler as notícias em seus smartphones. O próximo grupo é liberado pouco antes do almoço, quando os leitores de novo estão on-line para ver o que está acontecendo.

A estratégia se intensifica ainda mais quando se trata de segurar notícias que poderiam ser publicadas no período da tarde ou até mesmo considerar divulga-las na manhã seguinte.

Publicar no impresso ou on-line? Dicas para novos jornalistas

Dicas para novos jornalistasDevemos considerar a experiência do leitor.

O que é uma tendência no Washington Post on-line não pode ser uma notícia adiada para publicação impressa de primeira página no dia seguinte. A escolha depende de como o dia se desenrola, diz Davis.

Washington não é única – é como qualquer outra cidade com uma infinidade de notícias locais.

Então, o que ela tem a oferecer quando falamos de cobertura local? Se você responde política, não está errado, mas saiba que o DC está repleto de outras notícias.

Segundo Kavitha Cardoza, repórter que cobre educação na rádio WAMU (FM) de Washington e é membro do corpo docente do Departamento de Comunicação da American University, diz que a estação está adicionando novos “ritmos”.

Entre eles, raça e etnia agora tem seu espaço. Antes, o WAMU dividia notícias de acordo com a geografia, com profissionais cobrindo estados diferentes como Maryland e Virginia.

O Washington Post também pensa no DC como uma cidade em transição – visualizando economia e sociedade, diz Davis.

“A questão racial no DC é uma questão bastante interessante”, diz ele, acrescentando que a cidade costumava ter uma maioria negra. “Agora não tem maioria, mas ainda é muito segregada”.

Twitter para anotações

Cuneyt Dil, fundador da newsletter District Links e freelancer em The Current Newspapers, diz que ele fica atento às notícias em desenvolvimento. Sejam elas sobre os bairros do distrito frente a um grande progresso ou sobre empresas, Dil sempre quer “encontrar o ângulo do DC”.

The Washington Post, Davis traz uma analogia usada por outro jornalista que uma vez o surpreendeu:

“Use o Twitter quase como o seu caderno de notas”, disse Davis. “Tweet sobre as coisas mais interessantes, permitindo que os leitores fiquem informados sobre todos os fatos quase tão rápido quanto você. Em seguida, volte e crie uma notícia”.

No painel, ele se despediu com um conselho para os novos jornalistas que estão entrando para começando a ingressar nessa atividade:

  • Construa um público no Twitter. Tenha um perfil online que fale sobre você.
  • Saiba como fazer tudo. Familiarize-se com áudio e vídeo. Tire fotografias. Seja capaz de construir imagens.
  • Conheça o seu ofício. Cardoza acrescentou que estagiar em um veículo impresso é difícil. “Você deve começar pelo impresso”, diz ela. “Às vezes, vejo jovens estagiários que querem ser jornalistas, mas eles estão muito focados em mídias sociais. Existem princípios básicos do jornalismo que você tem que saber”.
  • Escreva rápido. Na mesma rapidez que escreve, você deve ser capaz de conquistar as pessoas; sua escrita deve chegar ao editor rápido. “Não conte com a publicação para você ser melhor”, diz Davis. “Você tem que ser melhor”.

Texto traduzido e adaptado do Blog Beyond Bylines, publicado por Christine Cube no dia 18 de maio de 2016. Christine é Gerente de Relacionamento com a Mídia da PR Newswire.

Tradução e adaptação: Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire