8 Dicas de Como Criar Press Releases Envolventes

8 Dicas de Como Criar Press Releases Envolventes

O segredo para envolver clientes no mundo interativo de hoje é entregar informação oportuna, educativa e útil para o seu público-alvo, assim como incentivar o compartilhamento na mídia social. Para isso, você deve atingi-lo onde ele estiver. Ter os seus press releases em seu site é importante, porém mais do que isso, distribua seu conteúdo para além das suas plataformas próprias. Por quê? Para aumentar seu público e engajar seus potenciais clientes, você precisa se conectar com as pessoas que estão fora de sua rede atual.

Relações Públicas SEO

Se a sua marca precisa construir visibilidade nos buscadores, crie conteúdo que seu público ache útil e relevante. Relevância é agora uma das principais métricas que os algoritmos de busca usam para avaliar páginas de destino em seus resultados. Eles querem dar aos seus visitantes e usuários informações de qualidade, entregando de forma eficiente aquilo que seu usuário está pedindo.

Aqui estão oito dicas comprovadas de como escrever e distribuir um comunicado à imprensa que realmente impulsiona o tráfego online.

escrever comunicado à imprensa

Para que o conteúdo seja encontrado, profissionais de RP precisam entregar conteúdo de qualidade e, ao fazê-lo, envolver seu público na hora certa, com informação relevante para cativá-los. SEO está em constante evolução, assim como os algoritmos de busca, a única certeza que se tem é que o público sempre acessará conteúdo relevante e útil. Incorpore essas dicas da CNW – PR Newswire para tornar seu press release mais envolvente e para direcionar a descoberta para sua marca ou mensagem corporativa.

Para ter uma visão mais detalhada sobre cada uma dessas táticas exploradas por Victoria Harres, VP de Comunicação Estratégica e Conteúdo, baixe o PR & SEO: Still Driving Discovery TOTALMENTE GRÁTIS.

Texto traduzido do Blog Beyond the Wire, publicado por Amy-Louise Tracey no dia 22 de junho de 2016. Amy-Louise é Consultora de Comunicação na CNW – PR Newswire.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Anúncios

Como Adaptar Conteúdo para Plataformas de Mídia Social

Como Adaptar Conteúdo para Plataformas de Mídia Social

Você acabou de escrever um ótimo texto e criou um título brilhante. Agora, como usar a mídia social para aumentar o seu alcance do seu conteúdo e atrair o público certo? Só compartilhar o link pelas redes é o ideal? Não seja tão preguiçoso!

Para melhor seu desempenho, o seu conteúdo deve ser ajustado para se adequar para cada plataforma. Um profissional de marketing experiente incluirá a adaptação do conteúdo como uma tática dentro de sua estratégia de distribuição para que sua mensagem neutralize o ruído, presente em todas a mídia e atinja seu público-alvo da forma correta.

Vamos ver quais são as melhores práticas e adaptar seu conteúdo para cada plataforma de mídia social:

Twitter Conteúdo

Apesar de ter sido anunciado que links e imagens não serão mais contados como caracteres, o Twitter ainda impõe uma restrição de 140 caracteres. Enquanto isso é um desafio por alguns, a Oracle diz que essa característica deve ser explorada em vez de ser temida. A famosa restrição do Twitter nos obriga a ir direto ao ponto e eliminar informações desnecessárias.

1. Forte apelo à ação

Com uma concentração comparável à de um peixinho dourado, humanos modernos precisam de orientações claras e recompensas instantâneas. Use seus 140 caracteres para atrair o público e fazer com que ele se comporte da maneira desejada. Garanta que seu call to action seja forte e gratificante – isso funcionará!

 2. Uma imagem vale mais que mil palavras

Use junto com seus 140 caracteres!

Tweets com imagens se destacam e conseguem uma média de 35% mais retweets. Consiga a atenção do seu público com a criação de uma imagem de citações ou fatos interessantes. Infográficos são uma outra maneira fantástica para as imagens aumentarem o alcance da sua publicação. Basta olhar como o Walmart compartilha pontos importantes do seu press release dentro de um gráfico atraente:

3. Não usar abreviações

A tentativa de empurrar o máximo de informação possível em um tweet muitas vezes pode levar ao uso de abreviações ou gírias. “Tendeu” o que quero dizer? Não faça isso – parece pouco profissional. Se você tem muita informação sobre o mesmo assunto, escreva uma série de tweet, ou publique imagens contendo mais textos. Também como alternativa, use um link para uma página de destino com mais conteúdo textual.

Fabecook Marketing

1. Pensar mobile

Quase 70% dos usuários do Facebook acessam seu perfil por meio de um dispositivo mobile. Por isso, o conteúdo precisa ser criado pensando nisso. Por exemplo, se o usuário acessar seu conteúdo por um aplicativo ou site mobile, sua imagem é redimensionada? Seu texto continua legível? Será que alguns deles cortam seu conteúdo? Teste a sua metodologia primeiro, use contas fakes e texto para teste.

2. Pagar por isso

O Facebook está constantemente mudando seu algoritmo e, como resultado, as pessoas que realmente “veem” o conteúdo publicado por você estão diminuindo – isso vale para as pessoas que “curtem” a sua página. Se você quiser que o seu post seja visto, é necessário promove-lo. Separar recursos para a sua estratégia de conteúdo pago é importante e acaba sendo um pouco mais caro, guarde seu orçamento para as mensagens mais atraentes; aquelas que tem maior probabilidade de engajamento com o público.

3. Vídeo

Em abril, o Facebook anunciou outra mudança para seu algoritmo que sugere algumas mudanças para publicações, uma deles é a valorização do conteúdo em vídeo. Com isso, profissionais de marketing que pretendem estar atualizados e serem vistos por seu público, precisam pensar em maneiras de incorporar vídeo em sua estratégia social. Não se esqueça de colocar legendas em seus vídeos no Facebook, para garantir que os telespectadores visualizem sua mensagem enquanto percorrem seu feed de notícias, sem ter que clicar para escuta-la.

Linkedin Marketing de Conteúdo

1. Menos não é sempre mais

O LinkedIn é um site profissional e seus usuários tendem a ser mais abertos a diálogos longos e posts mais profundos. Esta é uma oportunidade valiosa para profissionais de marketing de conteúdo conseguirem que a sua mensagem seja vista por um público mais segmentado e sem sacrificar algumas palavras do seu conteúdo.

2. SlideShare

Use o LinkedIn em seu pleno potencial, o que inclui tirar vantagens de sua plataforma afiliada, e impulsionar a descoberta do seu conteúdo. O SlideShare permite compartilhar conteúdo no estilo de apresentações do Power Point e o classifica para alguns mercados, tópicos e temas. Use o formato da plataforma para destacar pontos importantes e direcionar seu público-alvo para o conteúdo na íntegra. Ele também tem algumas métricas ótimas para que você veja como exatamente as pessoas estão se engajando com seu conteúdo, assim você pode ajustar seu apelo para conquistar um público maior.

3. Grupos do LinkedIn

Grupos no LinkedIn são um ponto importante da rede profissional. Os usuários se agrupam porque realmente têm a intenção de consumir conteúdo alinhado com os seus interesses. Junte-se a alguns grupos que são relevantes para a sua empresa e publique conteúdo próprio neles. Esteja ciente de que membros do LinkedIn podem ser mais abertos para uma longa leitura, e não para spams. Compartilhe seus posts com sabedoria!

N-CO-1.1.4-Banner

Estas são apenas algumas dicas para ajudá-lo a adaptar o seu conteúdo para diferentes plataformas de mídia social. Para descobrir como criar um press release que maximiza o compartilhamento social, clique aqui e baixe nosso white paper completo.

Texto traduzido do Blog Beyond the Wire, publicado por Amy-Louise Tracey no dia 23 de junho de 2016. Amy-Louise é Consultora de Comunicação na CNW – PR Newswire.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Dicas #SocialMedia: Como Usar Hashtags em Marketing e Relações Públicas

Dicas #SocialMedia: Como Usar Hashtags em Marketing e Relações Públicas

Se você já criou uma hashtag para a sua marca, você entende a luta desse título da The Onion: “2 Horas Perdidas em uma Reunião, Pensando em uma Hashtag que Ninguém no Planeta Terra Usará” (texto em inglês).

O artigo pode ser hilário, mas perder horas com uma hashtag – apenas para ter uma e vê-la desaparecer na mídia social – não é tão legal.

Para aliviar um pouco do seu #StressComHashtags, falei com Ryan Hansen (@RPH2004), gerente de mídia social na PR Newswire. Ele abriu uma brecha em sua agenda diária, de promover blogs, press releases, eventos e outros tipos de conteúdo em todas as contas de mídia social da PR Newswire e deu sua visão sobre o tema “hashtag”.

Elas são #Relevantes se colocadas no lugar certo

Poderíamos deixar de lado as hashtags e nos concentrarmos em outras estratégias de marketing. Ryan não concorda com essa afirmação e cita as “hashtags” como sendo o “sistema de arquivo” para o caos da comunicação nas mídias sociais. Elas fazem com que temas complexos ou de amplo alcance sejam mais fáceis de serem procurados e classificados.

“Dos trending topics às conversas mais recentes de cada segmento, as hashtags podem dizer muito com muito pouco”, diz Ryan.

E quais as melhores plataformas para usar hashtags? “Twitter e Instagram”, confirma ele, acrescentando que o LinkedIn não é o lugar certo para elas. E, mesmo o Facebook aceitando as hashtags, “Eu não acredito que elas melhorem muito seu post. Acho que é muito mais eficaz para marcar pessoas, lugares ou páginas ao invés disso”.

Comece #aConversa com o pé direito

Ninguém quer conversar com alguém que empurra ou se autopromove. Da mesma forma, você não pode apresentar a hashtags da sua marca de uma forma agressiva.

Cada plataforma tem as suas próprias melhores práticas e costumes sociais. No Twitter, por exemplo, é melhor publicar apenas uma ou duas hashtags por tweets, devido ao limite de 140 caracteres.

O Instagram não tem esse limite – mesmo com muitos usuários colocando hashtags nos comentários – mas é importante para controlar quantas # você usa.

“Você pode colocar muitas, mas não é recomendado. Faça uma pesquisa e coloque de seis a dez, mas que sejam realmente poderosas”, Ryan recomenda.

Há outra coisa que se deve levar em consideração no Instagram: o tamanho do seu público atual. “Quais hashtags você vai precisar usar”.

Nesse caso, direcione suas hashtags para os públicos-alvo que você mais tem interesse em atrair. Nesse caso não há um limite. Como aponta Ryan, “Nós não somos a Kim Kardashian que não usa hashtags em tudo e mesmo assim recebe 500k likes em suas publicações”.

E se você decidir participar de uma conversa usando uma hashtag? Isso é ótimo, diz Ryan.

“Quando há um trend topic a respeito do que costumamos compartilhar nas mídias sociais, com certeza sua publicação entrará na conversa”.

Mas fique atento e saiba em quais conversas participar. Entenda a origem da hashtag e seu uso atual. Se a hashtag envolve gírias, certifique-se que ela não será mal interpretada por seu público.

Dez minutos de pesquisa hoje podem economizar horas de esclarecimentos em Relações Públicas amanhã.

e-co-1-1-2-why-content-marketing-is-a-question-marketing-your-content1

Hora de #CriarUmaHashtag!

Você está fazendo uma hashtag mas há oito partes de sua campanha que pretende promover, então… você deve criar oito hashtags?

“Criar uma hashtag personalizada para tudo é muito difícil de controlar. Além disso, será difícil que uma delas ganhe força”, diz Ryan.

Consistência é “algo que as pessoas gostam nas marcas quando se trata de mídia social”.

Limite suas campanhas para uma hashtag da marca, e siga esses três conselhos de Ryan:

  • Conte os Caracteres: Entre 6-11.
  • Recurso Visual: Sua hashtag deve ser boa. Criteriosamente, misturar letras maiúsculas e minúsculas é uma maneira de conseguir a atenção do seu público, mas “o usar duas palavras que terminam ou começam com a mesma letra sempre me incomoda! ”, diz Ryan.
  • Fácil de Digitar e Soletrar: mantenha a simplicidade, use “algo que as pessoas estão acostumadas, nada muito complexo”. Um erro de ortografia pode jogar fora toda sua campanha, especialmente se for vulgar ou irônica – a internet ama uma estranha coincidência. “Isso não é nada bom para a sua marca”, diz Ryan.

O que fazer quando você está #Sozinho

Sua hashtag está pronta para ser publicada, e você sabe todas as melhores práticas para cada plataforma. Hora de publicá-la!

Mas não a publique sozinha. Coloque um impulso maior em todos os seus canais de marketing.

“Nós devemos amarrar a promoção da hashtag diretamente com promoções de eventos e de conteúdo, por meio de posts em blogs, press releases, etc”, diz Ryan.

Por exemplo, quando a PR Newswire decidiu entender o mercado de comunicações em 2015 e pediu às pessoas para darem suas definições pessoais sobre Relações Públicas, a hashtag #PRisNow foi usada para criar, reunir e promover as respostas do público.

Como o artigo “5 Steps to Unlocking Successful User-Generated Content”, a campanha foi bem sucedida porque a hashtag não só foi usada na divulgação via mídia social, mas também em posts, mensagens de colaboradores que defendem a marca e publicações de influenciadores.

A mídia social se conecta a tudo hoje. Se você é consistente com sua hashtag em todos os canais pagos, espontâneos, próprios e sociais, você pode “… marcar o seu próprio espaço na esfera social. E ir além”.

Fez a hashtag? #HoraDeTrabalhar

Como você pode saber se a sua hashtag foi bem-sucedida? Isso depende da sua empresa e das suas metas de campanha. Escolha as métricas mais importantes e deixe que elas o guiem. Siga-as constantemente, tome notas das coisas que você fez e qual os efeitos que tiveram.

“Retweetar, compartilhar, a quantidade de likes em um determinado post …” são todas as coisas que Ryan acompanha, mas ele tende a valorizar mais cliques em links compartilhados.

Compreender o impacto a longo prazo da sua hashtag também é importante.

Mesmo se alguém perder o início da sua campanha, a hashtag deve estender a validade da sua mensagem e oferecer ao público um ponto de partida para participar da conversa.

Graças as hashtags destemidas e persistentes, muitas vezes Ryan vê seus links serem acessados muito tempo depois que foram publicados.

Cheque e monitore suas hashtags regularmente. Você vai se surpreender com “a capacidade que uma campanha ou conteúdo tem de atrair pessoas, mesmo quando promovido há algum tempo”, diz Ryan.

E claro, #NuncaPareDeEstudar

“Não é uma ciência exata”, admite Ryan. “É um fluxo constante. A mídia social ainda está evoluindo em ritmo rápido”.

Estas dicas são úteis agora, mas se você nunca experimentar ou explorar a mídia social, você ficará para trás.

“Você tem que ter uma certa flexibilidade e até mesmo a curiosidade para acompanhar”, diz Ryan. “Ainda é uma prova de fogo”.

Curiosidade é a chave para o sucesso do marketing de conteúdo, e você não pode subestimar a importância da promoção e da distribuição.

Baixe Why Content Marketing’s Really a Question of Marketing Your Content e aprenda como atingir o público certo com o conteúdo.

Texto traduzido do Blog Beyond PR, publicado por Scott Hicken no dia 22 de junho de 2016. Scott Hicken é gerente de produto para o SocialPost da PR Newswire, e ajuda as histórias dos clientes a chegarem a mais de 55 mil seguidores no Twitter em quase 50 setores específicos de mercado. Ele também administra o iReach, Microlists, Capital Markets Visibility lists, Feature News e o Customer Account Post. Conecte-se com ele no LinkedIn.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Como a Mídia Social Mudou a Forma de Fazer Notícia

Como a Mídia Social Mudou a Forma de Fazer Notícia

As mídias sociais estão mudando a forma de como as notícias são divulgadas, mas algumas regras antigas ainda prevalecem. Segundo Aaron Davis do Washington Post, se você está em uma reunião e escuta um “furo” exclusivo e na sala não há outros jornalistas presentes, e a notícia nunca foi divulgada nas redes sociais, guarde-a para você.

Davis cobre política e governo e, recentemente, esteve no Society of Professional Journalists Panel com dois outros colegas para discutir os desafios de cobrir a capital dos Estados Unidos.

“A internet mudou a forma de divulgação das notícias”, Davis menciona que o jornal Washington Post sempre considera o timing para suas publicações. “O planejamento virou de cabeça para baixo”.

Muitas das principais notícias do Washington Post são colocadas on-line logo cedo – perto das 06:00 ou 07:00 – literalmente, quando as pessoas estão acordando para ler as notícias em seus smartphones. O próximo grupo é liberado pouco antes do almoço, quando os leitores de novo estão on-line para ver o que está acontecendo.

A estratégia se intensifica ainda mais quando se trata de segurar notícias que poderiam ser publicadas no período da tarde ou até mesmo considerar divulga-las na manhã seguinte.

Publicar no impresso ou on-line? Dicas para novos jornalistas

Dicas para novos jornalistasDevemos considerar a experiência do leitor.

O que é uma tendência no Washington Post on-line não pode ser uma notícia adiada para publicação impressa de primeira página no dia seguinte. A escolha depende de como o dia se desenrola, diz Davis.

Washington não é única – é como qualquer outra cidade com uma infinidade de notícias locais.

Então, o que ela tem a oferecer quando falamos de cobertura local? Se você responde política, não está errado, mas saiba que o DC está repleto de outras notícias.

Segundo Kavitha Cardoza, repórter que cobre educação na rádio WAMU (FM) de Washington e é membro do corpo docente do Departamento de Comunicação da American University, diz que a estação está adicionando novos “ritmos”.

Entre eles, raça e etnia agora tem seu espaço. Antes, o WAMU dividia notícias de acordo com a geografia, com profissionais cobrindo estados diferentes como Maryland e Virginia.

O Washington Post também pensa no DC como uma cidade em transição – visualizando economia e sociedade, diz Davis.

“A questão racial no DC é uma questão bastante interessante”, diz ele, acrescentando que a cidade costumava ter uma maioria negra. “Agora não tem maioria, mas ainda é muito segregada”.

Twitter para anotações

Cuneyt Dil, fundador da newsletter District Links e freelancer em The Current Newspapers, diz que ele fica atento às notícias em desenvolvimento. Sejam elas sobre os bairros do distrito frente a um grande progresso ou sobre empresas, Dil sempre quer “encontrar o ângulo do DC”.

The Washington Post, Davis traz uma analogia usada por outro jornalista que uma vez o surpreendeu:

“Use o Twitter quase como o seu caderno de notas”, disse Davis. “Tweet sobre as coisas mais interessantes, permitindo que os leitores fiquem informados sobre todos os fatos quase tão rápido quanto você. Em seguida, volte e crie uma notícia”.

No painel, ele se despediu com um conselho para os novos jornalistas que estão entrando para começando a ingressar nessa atividade:

  • Construa um público no Twitter. Tenha um perfil online que fale sobre você.
  • Saiba como fazer tudo. Familiarize-se com áudio e vídeo. Tire fotografias. Seja capaz de construir imagens.
  • Conheça o seu ofício. Cardoza acrescentou que estagiar em um veículo impresso é difícil. “Você deve começar pelo impresso”, diz ela. “Às vezes, vejo jovens estagiários que querem ser jornalistas, mas eles estão muito focados em mídias sociais. Existem princípios básicos do jornalismo que você tem que saber”.
  • Escreva rápido. Na mesma rapidez que escreve, você deve ser capaz de conquistar as pessoas; sua escrita deve chegar ao editor rápido. “Não conte com a publicação para você ser melhor”, diz Davis. “Você tem que ser melhor”.

Texto traduzido e adaptado do Blog Beyond Bylines, publicado por Christine Cube no dia 18 de maio de 2016. Christine é Gerente de Relacionamento com a Mídia da PR Newswire.

Tradução e adaptação: Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Press Release Moderno

O Blog Beyond the Wire criou uma série de posts de Relações Públicas dedicados as pessoas que estão começando sua carreira em Marketing e RP.

Modern Press Release

Se você é um profissional de Marketing e quer criar e usar um press release, pela primeira vez, ou um experiente profissional de Relações Públicas que faz muitos envios, você sempre quer garantir que seu comunicado de imprensa esteja no jogo.

Hoje, os press releases sofreram uma extrema “repaginada” e vão muito além de enviar um texto, que muitos profissionais de Relações Públicas aprenderam a escrever na escola. A era digital e o domínio dos meios de comunicação social reinventaram o press release. Aqui estão os pontos que você deve prestar atenção hoje:

Modelo de Press Release

Cada press release moderno deve ter esses três itens essenciais:

1 – Multimídia

Como criaturas visuais, os seres humanos respondem a imagens e vídeo muito mais rapidamente do que várias linhas de texto. Na verdade, um estudo da CNW – empresa da PR Newswire – descobriu que adicionar imagens e vídeo em um press release pode aumentar sua visualização em 288%.

multimídia

2 – Compartilhamento social

A mídia social tem feito dos releases de hoje mais estratégicos. Não só podem aumentar o alcance e a distribuição de seu comunicado, mas a também permitem ouvir e compreender melhor o seu público. Escute o social, isso pode ajudar a criar mensagens mais específicas e relevantes para o seu público.

Compartilhamento social

3 – Tradução

O público multicultural ou internacional é uma ótima maneira de distribuir sua mensagem para um mercado ainda maior, e isso pode ser feito através da tradução. Coloque algum tempo extra na sua programação para garantir o seu conteúdo terá tempo suficiente para ser processado por uma equipe de tradução.

Ao escrever o seu press release, você precisa ter em mente as seguintes perguntas:

Tradução Press Release

Responder cada uma destas perguntas reduzirá qualquer tempo perdido entre sua equipe e seu provedor de serviço wire, permitindo que você envie seu press release com tempo hábil.

Comunicado a imprensa

Quando falamos da distribuição de comunicado à imprensa, a mensuração muitas vezes fica esquecida. Assim como o press release evoluiu, nossa capacidade de medir os resultados com mais precisão aumentou. Com o acesso as ferramentas de análise e de mensuração on-line, você pode medir e monitorar o desempenho do seu press release para mostrar um verdadeiro reflexo de como as Relações Públicas estão contribuindo com os objetivos.

Claro, uma vez que sua mensagem tenha sido distribuída, o seu trabalho não para por aí. Há uma série de coisas que você pode fazer para garantir que seu envio ganhe mais alcance.

N-CO-2.2.1-Banner

Texto traduzido do post escrito por Amy-Louise Tracey no Blog Beyond the Wire, no dia 10 de março de 2016.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

CMO – Desafios e Métricas Essenciais para Marketing

CMO - Desafios e Métricas Essenciais para Marketing

Há uma nova pressão sobre o CMO para fornecer aos CEOs e CFOs a mensuração de resultados, quantificáveis sobre os esforços de seu departamento. O cenário do Marketing se transformou ao longo das últimas décadas assim como seus resultados, e os CMOs precisam evoluir com o tempo. Isto pode ser mais eficaz se feito com dados.

CMO - Desafios e Métricas Essenciais para Marketing

Com uma variedade de Métricas de Marketing e ferramentas de monitoramento disponíveis hoje em dia, o grande desafio dos Diretores da área é garantir que o foco nos dados e métricas corretos.

CMO - Desafios e Métricas Essenciais para Marketing

Isto irá ilustrar exatamente o quanto os esforços de Marketing têm contribuído com a receita. Mostra o poder e valor do Marketing em criar awareness, gerar leads e aumentar a receita.

CMO - Desafios e Métricas Essenciais para Marketing

Satisfação do cliente e Net Promoter Scores são uma grande métrica para demonstrar o engajamento do público. Para ir além disso, tenha métricas para clientes que defendem a marca ou que não defendem, para ter os melhores resultados de negócios para sua empresa.

CMO - Desafios e Métricas Essenciais para Marketing

Métricas de desempenho on-line são valiosas e podem medir o tráfego web, referências, pageviews de uma campanha e taxas de abertura de um e-mail em particular, para citar algumas. O segredo para o CMO é ligar essas métricas aos resultados e avaliar o impacto das campanhas de Marketing.

CMO - Desafios e Métricas Essenciais para Marketing

Estes podem produzir relatórios extremamente detalhados sobre os usuários de mídia social, o envolvimento do cliente, as impressões feitas e dados demográficos. Eles devem ser correlacionados com o engajamento de defensores da marca. Afinal, um milhão de likes pode parecer muito, mas se os seus níveis de engajamento e de conversão são baixos, não se traduzirá em receita.

CMO - Desafios e Métricas Essenciais para Marketing

Content Marketing é um tema em alta no Marketing nesse momento e para interpretar o conteúdo que gera conversas, com a conquista de mídia espontânea e contribui para a receita, métricas de desempenho de engajamento de conteúdo serão extremamente benéficas para a sua empresa.

CMO - Desafios e Métricas Essenciais para Marketing

Métricas de audiência podem medir dados demográficos e o comportamento de compra dos seus clientes, que lhe permite coletar essas informações de seus atuais clientes e prospects.

Estas métricas estão todas disponíveis para os CMOs em uma variedade de ferramentas e aplicações, como plataformas de automação de Marketing.

Conhecer esses dados de monitoramento é importante, assim como armazena-los para gerar insights específicos, facilitar a tomada de decisões e alcançar objetivos estratégicos. Para olhar mais detalhadamente cada uma dessas métricas, e saber como recolher e filtrar esses dados, baixe GRÁTIS: Demanda de encontro: A Guide to Becoming a Data-Driven CMO da CNW – empresa PR Newswire.

CMO - Desafios e Métricas Essenciais para Marketing

Texto traduzido do post escrito por Amy-Louise Tracey no Blog Beyond the Wire, no dia 26 de fevereiro de 2016.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

7 Dicas para a Equipe de Redes Sociais… de uma Pessoa

7 Dicas para a Equipe de Redes Sociais... de uma Pessoa

Bem-vindo à equipe de Social Media! Número de colaboradores? Um, você!

Mídia Social se tornou vital para qualquer estratégia de Marketing e Comunicação. Com tantas plataformas disponíveis, criar conteúdo social e manter sua presença social é um trabalho em tempo integral. Na verdade, muitas vezes exigir uma equipe de profissionais. Muitas vezes, pequenas e médias empresas, não têm os recursos necessários para manter uma equipe de social media completa, com isso elas tendem a deixar uma pessoa responsável, que provavelmente deve equilibra-la com outras tarefas de Marketing e Relações Públicas. Aqui estão sete dicas de como você pode reduzir proporcionalmente a sua promoção em mídia social para o profissional que trabalha sozinho:

1. Auto publicar posts nas mídias sociais

Para começar suas publicações sociais e economizar tempo, o Hubspot recomenda ligar o “Auto Publicar” para os seus posts de blog. Isso permite que seus posts sejam postados automaticamente em suas contas de mídia social, para que você não tenha mais essa tarefa para promover seu conteúdo. Essa tática está disponível, literalmente, com um clique.

2. Escreva vários posts sociais para o mesmo conteúdo

Você não quer que suas contas de mídia social sejam vistas como repetitivas, por isso escrever vários posts do mesmo conteúdo permite que você o possa promover várias vezes. Duplicar a mesma informação aborrece o seu público e pode levá-lo a deixar de seguir você.

Adrienne Smith, do Justworks, sugere escrever quatro versões por conteúdo, isso permite que você promova seu trabalho com frequência e não exige a publicação de mais conteúdo. Ela sugere que o texto de seus posts sejam com base em:

  • Título do post
  • Citações no texto
  • Pergunta reflexiva
  • Números e estatística

3. Na falta de plano, planejado falhar

Este foi o lema da minha professora de ensino médio, mas de acordo com CoSchedule, usar um calendário editorial de mídia social pode aumentar cliques em 3.150%, então eu acho que a minha professora não estava tão errada! Mesmo que possa parecer entediante, criar um calendário é válido, especialmente quando você é uma equipe de uma pessoa só. Deve haver três camadas em seu calendário editorial social media:

  • Calendário Amplo Geral: Se concentra em temas amplos e que você pretende agendar conteúdo para os próximos 4-6 meses.
  • Calendário de Conteúdo: Essa camada é muito mais detalhada e contém conteúdo específico para promover (posts de blogs, whitepapers, press releases, webinars, etc).
  • Calendário de Distribuição: Esse calendário editorial se concentra em compartilhar seu conteúdo e é onde você deve atribuir datas específicas para compartilhar certos conteúdos oferecidos, e em quais plataformas você vai compartilhá-los.

4. Programação em massa

Há tantas ferramentas e aplicações disponíveis hoje para ajudar você com a gestão de mídias sociais, como Hootsuite, Tweetdeck e CoSchedule. Agende agora sua promoção social através das diferentes plataformas para os próximos dois meses, embora um artigo do HubSpot recomendar o agendamento de conteúdo para os próximos seis meses!

Certifique-se de fazer uma verificação semanal ou bissemanal de sua programação para garantir que suas mensagens são relevantes e que você possa mudar ou editar mensagens para coincidir com eventos e outras ocasiões.

Outra observação importante é estar ciente dos acontecimentos atuais e não se esqueça de desligar seus posts regulares se houver um trending topic mundial, como um desastre natural ou uma notícia de última hora. Não só seus posts programados não serão lidos, como as pessoas tentam a absorver as últimas notícias, e suas mensagens podem parecer insensíveis e apáticas as questões atuais e podem irritar as pessoas.

5. Re-compartilhe seu melhor conteúdo

Se um post foi bem recebido pelos seus fãs, é possível que outras pessoas, que realmente gostariam de ler este conteúdo, tenham perdido sua publicação. Então, por que não re-compartilhar?! Quando seus melhores posts são recheados com novos conteúdos, não há nenhuma razão para que você não deva promover os que são mais velhos. Apenas esteja ciente da “Lei dos Resultados que Diminuem” e não promova o mesmo conteúdo o tempo todo.

7 Dicas para a Equipe de Redes Sociais... de uma Pessoa

6. Não tente estar em todos os lugares

É claro que é importante ter presença na mídia social, mas controle-se. De acordo com a Simply Measured, é muito mais benéfico se concentrar em um número seleto de plataformas que seus clientes e potenciais clientes estão realmente usando do que tentar enviar mensagens por todas as plataformas de mídia social que você pensar. O público espera conteúdo de qualidade e promoção consistente, o que pode ser facilmente alcançado com poucas plataformas. A última coisa que você quer é uma conta de mídia social adormecida para os usuários tropeçarem.

7.Use sua empresa para ajudá-lo a promover conteúdo

Você pode ser a equipe de mídia social de uma pessoa, mas é provável que uma organização tenha mais membros, estejam no RH ou no time de vendas, eles usam as mídias sociais diáriamente. Use-os como defensores de sua marca e incentive-os a re-tweet, postar no Facebook e compartilhar no LinkedIn. Vale a pena implementar alguns códigos e prática quando se considera essa tática para assegurar que a imagem de marca e as marcas mencionadas estejam separadas dos tweets pessoais ou mensagens de seus colaboradores. Por exemplo, é simples como garantir que cada um dos status dos colaboradores em sua Bio do Twitter, diga que “essas são minhas opiniões e não as do meu empregador”.

Envolva-se com estas dicas! Elas ajudarão a gerenciar sua mídia social de forma mais eficaz, permitindo que você se concentre em outras tarefas e deveres que seu trabalho do dia-a-dia exige.

Se você quer saber mais e ter outras dicas de como controlar com sucesso sua marca em toda a web, faça o download do guia gratuito da CNW de hoje.

Você é uma equipe de mídia social de uma pessoa? Quais são suas melhores dicas para gerenciar as mídias sociais? Diga-nos nos comentários abaixo ou tweet para nos @CNWGroup.

Texto traduzido do post escrito por Amy-Louise Tracey no Blog Beyond the Wire, no dia 24 de novembro de 2015.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire