5 Princípios do Jornal para Aplicar no seu Conteúdo On-line

5 Princípios do Jornal para Aplicar no seu Conteúdo On-line

Eu amo jornais.

Eu sou um ex-repórter – estagiei durante a faculdade, fui colunista de esportes durante seis anos e meu pai trabalhou em um jornal por quase 40 anos. Então, sim, eu tenho uma queda pelos impressos.

Hoje, a escrita ainda é a minha especialidade, mas eu penso um pouco diferente sobre ela.

Quando eu comecei como repórter, eu não tinha ideia do que era SEO – talvez ninguém em 2005. Eu não escrevia para internet, mas para pessoas em que o jornal era entregue à sua porta todos os dias.

Dez anos atrás, eu queria que meu conteúdo aparecesse acima da dobra na primeira página do jornal. Agora, eu quero que ele apareça na primeira página de pesquisas do Google.

Mesmo que muitas coisas tenham mudado quando falamos em meios de comunicação, o bom conteúdo continua sendo essencial.

Você pode surpreender seus editores com conteúdo de qualidade e conseguir com que ele seja publicado na primeira página do jornal, ou “impressionar” o algoritmo do Google ao ser colocado em uma posição privilegiada para busca online.

Aqui estão cinco princípios dos jornais que podem nos ajudar a aprender sobre SEO.

1. Um bom título pode fazer ou quebrar uma história

Imagine que você escreveu o melhor artigo no mundo. Eu estou falando algo para ganhar o Prêmio Pulitzer, com uma escrita que faria Bob Woodward ter inveja.

Mas seu título é ruim. Leve, muito “bonitinho” ou simplesmente confuso. Como ele atrairia a atenção dos leitores?

Quando um leitor abre um jornal, a primeira coisa que ele vê são as manchetes. É por isso que elas estão em negrito e em letras grandes.

Quando você faz uma pesquisa no Google, a primeira coisa que também vê são os títulos. E se eles não forem interessantes, não clicará para acessar o conteúdo.

Dê a seu público uma breve sinopse, provoque-o e faça as pessoas continuarem lendo.

Ninguém disse que isso era fácil. Mas em termos de SEO, os melhores títulos soam natural, e tem um comprimento tweetável (entre 100-120 caracteres), com uma palavra-chave forte e descritiva.

Se um leitor não tem uma compreensão razoável sobre seu conteúdo, ler apenas o título não é eficaz.

2. Jornalistas são tão bons quanto suas fontes ou seus links

Repórteres nem sempre são especialistas no tema da matéria. É importante que eles encontrem as pessoas certas para entrevistar. Bons recursos fornecem background e o contexto necessário.

O mesmo pode ser dito para hiperlinks quando se trata de conteúdo online.

Os links devem direcionar os leitores para uma página com conteúdo em profundidade em seu site que forneça informações extras. Antes de adicionar um link, se pergunte: “como isso pode complementar o meu conteúdo? ”

Você deve ter cuidado quando se trata de hiperlinks – muitos podem prejudicar a visibilidade do seu conteúdo, especialmente quando links duplicados estão envolvidos.

Os leitores são mais propensos a clicar quando há um número limitado de links.

Já viu conteúdo on-line cheio de hiperlinks? Isso é como um artigo de jornal só com citações. O segredo é a moderação.

3. Conheça o seu público

Tudo bem se o seu objetivo é aumentar seu público.

Claro, seu artigo pode aparecer na página de esportes. Mas e se uma pessoa que não é fã de esportes encontrar seu conteúdo? Será que ela vai entender?

Jargões podem ser perigosos. Ao usá-los, há o risco de perder uma parte de seus leitores.

Geralmente, é melhor usar uma linguagem natural e sempre amarrar o seu conteúdo ao público. Conte uma história que qualquer um possa entender. Seja claro. Descreva a tensão. Faça seus leitores se sentirem parte da história ou dentro do estádio.

O mesmo vale para conteúdo on-line – se você escrever para um público específico, você corre o risco de limitar o número de leitores.

Às vezes um jargão é bom. Por exemplo: Se você estiver escrevendo para um blog de tecnologia e você só se preocupa em atingir repórteres de tecnologia, vá em frente. Mas se seu objetivo é ser visto por um grande número de pessoas, não fale sobre taxas de bits variáveis e pontos quânticos. (Eu não sei o que isso significa.)

Infográfico SEO

4. Timing

Sua notícia está pronta: É oportuna, com linguagem natural, possui três citações ótimas e o título está no ponto.

Perfeito… até que algo melhor aparece.

As notícias de última hora podem ser o pesadelo de um repórter. Elas podem enterrar seu conteúdo.

O mesmo pode acontecer com os buscadores. Digamos que você está escrevendo um em um blog sobre cuidados de saúde – “As oito melhores dicas para aumentar os benefícios de sua saúde”.

Você pode publicar seu post totalmente otimizado com uma boa mistura de palavras-chave e frases. E logo em seguida, passados dez minutos – BOOM – “Obamacare é aprovada pelo Congresso”. Diga adeus para a primeira página de pesquisas do Google.

As notícias de última hora estão fora do seu controle. Mas, ainda assim, o timing deve ser cuidadosamente gerenciado. Faz sentido publicar meu artigo hoje?

5. Uma imagem vale mais que mil palavras

Use multimídia! (Sem qualquer formalidade).

Imagens sempre melhoram uma história.

Nos jornais, a história mais proeminente e mais importante aparece acima da dobra na primeira página com uma grande foto.

No on-line, fotos e vídeos também são importantes.

Tente pesquisar no Google por receitas de tacos com camarão. Veja os resultados. Alguns com fotos e vídeos, enquanto outros são apenas em texto. Onde será que você vai clicar?

Uma imagem dá autoridade ao artigo. Use uma imagem para fazer dupla com seu texto, sempre.

Texto traduzido do Blog Beyond Bylines, publicado por Ryan Day no dia 20 de junho de 2016. Ryan é Gerente de Serviços e Conteúdo ao Cliente na PR Newswire.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Anúncios

A Ofensiva do Facebook Contra os 3 Tipos de Post Spam

Embora alguns especialistas acreditem que as pessoas estejam deixando o Facebook, ou que os anunciantes estejam frustrados com o menor alcance orgânico de seus posts na plataforma, a rede social continua sendo a grande protagonista no ambiente digital.

Na semana passada o Facebook publicou em seu blog a última ofensiva para valorizar o conteúdo de qualidade para seus usuários. Com o nome de “News Feed FYI: Cleaning Up News Feed Spam”, o post expõem os três tipos de post que são considerados spam dentro da plataforma. Em resumo, esses posts são usados por Fan pages que tentam obter uma distribuição de conteúdo orgânica maior que o normal e a partir de agora serão combatidos.

Facebook_like-baiting-screenshot

Conheça os 3 tipos de Post Spam que serão combatidos pelo Facebook.

#1. Like Baiting

A pescaria de Likes. É quando um post pede ou induz os leitores o curtirem, comentarem ou compartilharem. A finalidade é promovê-lo e aumentar sua distribuição entre os usuários.

Como sabemos, diferente de quando seguimos uma marca ou empresa no Twitter, quando curtimos uma Fan page no Facebook não recebemos todas suas atualizações em nosso feed de notícias. Isso acontece por que o algoritmo da rede social pré-seleciona o conteúdo que acredita ser mais relevante para cada usuário. Porém quando uma imagem, frase ou link publicado por uma página no Facebook é recebe muitas interações do público, esse conteúdo começa a ser distribuído para mais e mais pessoas de forma orgânica, promovendo-o e aumentando seu alcance.

Porém os Posts “estilo pescaria” estão na contramão da estratégia da rede social. Promover pela qualidade e não pela quantidade. Segundo o Facebook, por meio de uma pesquisa com usuários, os posts Like Baiting são 15% menos relevantes do que outros posts que não usam essa tática de conteúdo com a mesma interação social.

A melhoria no Facebook, em atividade desde a semana passada, irá identificar e evitar que essas mensagens sejam mostradas nos feeds de notícia de seus usuários.

#2. Frequently Circulated Content

Posts compartilhados mais de uma vez. Geralmente você pode receber mais de uma vez o mesmo conteúdo. Suponhamos que você é fã de uma página e recebe em sua News Feed um conteúdo publicado por ela, depois de algum tempo, essa mesma página compartilha esse mesmo conteúdo uma segunda vez. Essa mensagem já não será muito útil para você.

O Facebook descobriu que posts repetidos tendem a ser menos relevantes. E pretende barrar esse tipo de publicação.

#3. Spammy Links

Os links mentirosos. Algumas publicações são além de uma mensagem, trazem um link. Geralmente sugerem que esse o link levará o usuário para uma página com mais informações sobre a publicação. Mas alguns desses links não são o que parecem. Levando os usuários a páginas completamente diferentes do assunto abordado no início.

A plataforma, com essa nova atualização que privilegiará conteúdos mais qualificados, tende por meio da interação do público, identificar links enganosos.

Essas mudanças vão de encontro à proposta da rede social de oferecer sempre o melhor conteúdo para as pessoas certas. Se você trabalha com comunicação ou redes sociais não se preocupe. Continue desenvolvendo seus posts visando a qualidade. Privilegiar o conteúdo e qualidade criará uma base sólida de fã fieis e crescimento sustentável para a sua Fan page.

Por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire