4 Dicas – Como Criar Conteúdo Interessante para Jornalistas

Como Criar Conteúdo Interessante para Jornalistas

Se você escolher uma boa plataforma para enviar seu conteúdo para os jornalistas, terá a garantia de que o a sua mensagem chegará até eles.  Mas, esse é apenas o início do processo para gerar mídia espontânea.

Você, provavelmente já ouviu a expressão “conteúdo é rei”. Se após enviar sua mensagem para os jornalistas, você não obtém a cobertura esperada, é porque você não está fornecendo o que eles querem.

Segundo pesquisa da PR Newswire, 34% dos jornalistas brasileiros recebe entre 21 e 50 press releases por dia. Mas o que realmente eles querem receber? Jornalistas estão à procura de novos ângulos, histórias diferentes e novidades. Assim como você pretende envolver os jornalistas, eles também querem que seu trabalho envolva e informe seus leitores, e não apenas repetir um tema já saturado e abordado por tantos outros jornalistas.

Forneça conteúdo que os jornalistas estão procurando. Seja relevante e diferente com e dê aos jornalistas o que procuram com essas quatro dicas:

TEMAS

Encontre temas menos conhecidos.

Usar uma ferramenta de monitoramento de mídias sociais é muito útil e ajuda a alinhar o seu conteúdo com as tendências do momento. Mas, se seu objetivo é gerar mídia espontânea, fuja dos trend topics.

Use o monitoramento para identificar, temas e eventos e ver o que está virando notícia e ganhando a cobertura da mídia. Encontrar tópicos que precisam de mais atenção. Depois de encontrado, determine como você abordará os jornalistas e entregará sua sugestão de pauta.

Não deixe de produzir conteúdo multimídia para acompanhar o tema que abordado. Isso contribui para que os jornalistas escolham a sua história e conquistam a atenção de outros públicos.

FORMATO

Pense como o conteúdo será visualizado.

Cada dia mais os smartphones estão mudando a forma como o público visualiza e consome conteúdo. As telas estão menores, e seu conteúdo deve acompanhar essa tendência tecnológica. Até mesmo o Google favorece conteúdo responsivo e diversificado – seja ele texto, foto ou vídeo – à medida que os dispositivos móveis ganham mais e mais espaço.

10% dos jornalistas apontaram a falta de conteúdo multimídia, como o principal fator que dificulta a utilização do press release.

Facilite a vida dos jornalistas, crie conteúdo multimídia compatível com dispositivos móveis. Ao enviar o seu conteúdo visual – como infográficos, fotos e vídeos – sempre inclua descrições. Isso torna sua história maior.

DADOS

Dados estatísticos fortalecem seu conteúdo.

Se você tiver tempo, invista na coletada e apresentação de dados estatísticos. Seu conteúdo fica mais sólido e transmite mais credibilidade para que os jornalistas o escolham.

Faça um estudo comparativo entre dados do presente e do passado, isso desperta o interesse e aponta tendências. Os jornalistas ficarão curiosos para saber o que fez determinado aumentar tanto nesse ano em relação ao ano passado.

Dados são fonte para identificar tendências e servem, na maioria dos casos, para gerar insights sobre o tema abordado.

PÚBLICO

O que no seu conteúdo é importante para o público?

Relacione o seu conteúdo com o público do jornalista. Coloque soluções para os problemas enfrentados pelas pessoas, o jornalista será o intermediário entre você e os leitores dele se o conteúdo realmente tiver informações relevantes (volte para a primeira dica!).

Para isso, identifique quais são os problemas enfrentados pelo público e quais soluções você pode proporcionar para soluciona-las.

Para gerar ainda mais credibilidade ao conteúdo, não deixe de incluir citações. Jornalistas geralmente usam as “aspas” ao produzirem uma notícia pelo mesmo motivo que você, lembre-se disso.

Para saber um pouco mais sobre o que faz com que um jornalista escolha seu conteúdo, baixe (GRÁTIS!) o resultado da pesquisa Cenário da Comunicação Corporativa, enviada para aproximadamente 40 mil jornalistas de diferentes editorias, através do maior mailing segmentado da América Latina.

Por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Anúncios

Pesquisa – 85% dos Jornalistas Utilizam Press Releases

Estudo mostra a percepção dos jornalistas sobre o envio de press release por e-mail, a utilização de agências de notícias e redes sociais como fonte para pautas.

Pesquisa Jornalistas

Destinado a jornalistas e profissionais de comunicação, o estudo identificou quais são as ferramentas mais utilizadas pelos jornalistas para criação de reportagens, as tendências em comunicação corporativa e como as mídias sociais contribuem para o desenvolvimento do trabalho jornalístico.

Essa pesquisa, realizada pela PR Newswire, foi enviada para mais de 40 mil jornalistas por toda América Latina e aplicada entre os dias 17 de junho e 20 julho de 2015.

Download: Relatório Completo sobre a Pesquisa.

Resultados: O estudo mostra que 85% dos jornalistas brasileiros e 78% dos jornalistas de outros países da América Latina, utilizam o press release como ferramenta para elaboração de pauta.

Entre os jornalistas brasileiros, 65% afirmaram utilizar conteúdos publicados por agências de notícias, e apontam que a facilidade em filtrar matérias relacionadas a sua editoria é o principal fator de utilização. Já em outros países da América Latina, a maioria dos profissionais destacam a possibilidade de receber informação em tempo real, como seu grande diferencial.

Confira todos os resultados: Faça o download do relatório completo sobre a pesquisa.

Por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

 

Opinião: Jornalistas do Brasil e o Atentado ao Charlie Hebdo

Muitos jornalistas brasileiros se manifestaram após a tragédia em Paris na semana passada. A Liberdade de imprensa, o humor e diferenças culturais foram colocadas sob os holofotes. Alguns profissionais de comunicação apenas declararam sua solidariedade, enquanto outros expressaram sua opinião fazendo um comparativo a realidade brasileira.

Opinião: Jornalistas do Brasil e o Atentado ao Charlie Hebdo

Selecionamos alguns tweets de Jornalistas, e profissionais de comunicação, sobre o atendado à revista Charlie Hebdo. Confira abaixo:

Ricardo Boechat

Nascido na Argentina, Boechat é um dos mais reconhecidos jornalistas do país. Já trabalhou em grandes publicações nacionais como O Globo, O Dia, O Estado de S. Paulo e Jornal do Brasil. É ganhador de três prêmios ESSO de Jornalismo. Hoje é âncora na BandNews FM na tevê Band.

Mônica Waldvogel

Mônica foi apresentadora em grandes programas de televisão. Teve passagem pelas quatro maiores emissoras do País. Atualmente apresenta o programa de entrevistas Entre Aspas na GloboNews.

Miriam Leitão

Miriam é a terceira jornalista brasileira mais premiada de todos os tempos. Atualmente apresenta o programa Espaço Aberto na GloboNews e é comentarista nos programas Bom Dia Brasil nas manhãs da tevê Globo e do Jornal da CBN.

Marcelo Tas

Diretor, jornalista, apresentador de televisão e roteirista. Atualmente Tas trabalha como apresentador nos programas Plantão do Tas (Cartoon Network) e Conversa de Gente Grande na tevê Bandeirantes.

Leonardo Sakamoto

Jornalista e blogueiro, Leonardo é professor de jornalismo na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Leonardo é Mestre e Doutor em Ciência Política.

Gregorio Duvivier

O carioca Gregorio Duvivier é ator, humorista, escritor e um dos criadores do canal Porta dos Fundos. Atualmente é colunista na Folha de S. Paulo, onde seus textos se destacam pela criatividade e críticas sociais.

Roger Lerina

O Jornalista Roger Lerina assina a coluna Contracapa, do Jornal Zero Hora, e o Programa do Roger, da TVCOM. Também mantém o Blog do Lerina que fala sobre artes, cultura e comportamento.

Luis Nassif

Luis foi colunista e membro do conselho editorial da Folha de S. Paulo. Entre as suas obras estão O Menino do São Benedito e Outras Crônicas, O Jornalismo dos Anos 90 e Os Cabeças-de-Planilha.

Flávia Oliveira

Jornalista de economia, foi comentarista do telejornal Bom Dia Rio até 2013, atualmente é comentarista no Estúdio I da GloboNews desde 2008 e colunista no Jornal O Globo.

José Simão

Jornalista humorístico brasileiro. Tem uma coluna no jornal Folha de S. Paulo e faz publicações no portal UOL, onde tem um site oficial com os seus conhecidos programas Monkey News e Ondas Latinas (RedeTV! e Bandnews FM).

Por Milena Souza, Pesquisadora de Mídia, e Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Infográfico – Principais Fontes de Informação para os Jornalistas

A PR Newswire anunciou ontem os resultados de sua pesquisa Quais são as Principais Fontes de Informação para os Jornalistas Brasileiros?” realizada entre os dias 14 e 28 de outubro de 2013, via questionário online, com cerca de 300 jornalistas de diferentes partes do Brasil. Esta é a terceira iniciativa da empresa no segmento de pesquisas.

Infográfico_Pesquisa_com_os_Jornalistas_PR-Newswire

Entre os resultados da pesquisa está a a força do press release como fonte de informação para a imprensa brasileira e seu impacto na construção e apuração de reportagens. Os press releases se mostraram uma fonte importante para os jornalistas e também um material relativamente confiável. Sobre a afirmação “Confio nas informações que recebo via press release”, 45% foram neutros e 41% concordaram. O acesso aos press releases acontece prioritariamente por e-mail (em 95.26% dos casos), mas a busca deste conteúdo em sites e blogs como forma de abastecimento de pauta também passou a ser tendência nas redações.

O enxugamento das redações e o boom das assessorias de imprensa impactaram diretamente na quantidade de horas que um jornalista tem disponível para apuração/levantamento de pautas. Quando questionados sobre quantas horas costumam passar fora da redação por semana apurando pautas, 63% responderam de 0 a 4 horas. A opção “mais de 10 horas”, que corresponderia a um dia de trabalho inteiro na rua, foi escolhida somente por 7.49% dos respondentes, ficando em último lugar.

Quando saem da redação, os jornalistas dão preferência para Coletivas de Imprensa Físicas (21.48% frequentam sempre e 53.13% frequentam às vezes), Salas de Imprensa Físicas (22.66% frequentam sempre e 58.20% frequentam às vezes) e Press Trips (46.88% frequentam às vezes). Salas de imprensa virtuais e coletivas de imprensa virtuais não se popularizaram entre os profissionais: 64.45% nunca frequentam as salas virtuais e 48.83% nunca frequentam as coletivas online, contra 34.38% que o fazem às vezes.

Para a PR Newswire é importante observar que os jornalistas brasileiros utilizam o press release como fonte primária. Os releases são a matéria-prima do nosso negócio e é muito interessante para nós perceber que os profissionais estão cada vez mais engajados aos recursos multimídia e também ao universo das mídias digitais, o que nos permite pensar em novos produtos e serviços para este público“, destaca Janaina Weigel, Diretora de Relacionamento com a Mídia e Marketing da PR Newswire.

Para ver os resultados completos da pesquisa, clique aqui.

Informações sobre a Pesquisa:

Karina Sassoon – karina.sassoon@prnewswire.com 
Gerente de Comunicação Corporativa
+55 11 2504-5163
www.prnewswire.com.br 
www.twitter.com/prnewswirebr 
www.blogprnewswire.com

Pesquisa Realizada pela PR Newswire mostra Jornalistas Latinos em sintonia

Enquete sobre o futuro da profissão realizada na região apontou que os profissionais mexicanos continuam apostando no futuro dos impressos, mesma impressão da classe brasileira

Fonte da Imagem: nd.edu

Fonte da Imagem: nd.edu

A PR Newswire  realizou uma pesquisa com 259 jornalistas latino americanos  (países de língua espanhola) e descobriu alguns pontos sobre como a classe está encarando os rumos da profissão. Participaram da enquete profissionais de diferentes tipos de mídia (impressa, online, rádio, TV e agências de notícias), que responderam a 15 questões sobre o tema via questionário online.

A mesma pesquisa foi aplicada com jornalistas brasileiros no ano passado e os resultados mostram pontos de similaridade, com um destaque importante: a região como um todo acredita na força e sobrevivência dos meios impressos.

Sobre o pagamento pelo conteúdo de versões digitais de veículos, 55.1% dos jornalistas brasileiros são contra a prática e, no restante da America Latina, este número subiu para 74.52%.

E quando o ponto é o fim dos veículos impressos, a classe na região está unida. No Brasil, 68% não creem no fim das versões em papel e, no restante da região, 58.30% compartilha desta mesma visão.

Os dados da pesquisa Latino Americana estão disponíveis neste link e os dados da enquete brasileira, realizada no ano passado, podem ser encontrados neste.

Por Camila Conte, Gerente de Relacionamento com a Mídia
PR Newswire