Pepsi no Facebook sugere boas sacadas para Mídias Sociais

As redes sociais já se caracterizaram como um ambiente de interação entre marcas e consumidores. As Fan Pages, geralmente administradas por agências digitais que fazem a curadoria do seu conteúdo, hoje já possuem algumas estratégias para interação com os usuários.

Na semana passada a Fan Page da Pepsi no Facebook, gerenciada pela agência R/GA, e a Dafiti protagonizaram uma ação de interação com o público de forma criativa e em real time.

A Pepsi colocou em seu perfil uma imagem que sugeria que os usuários enviassem uma foto dos seus pés. Por quê? A marca explica:

“A foto mais tirada de todos os tempos, depois do selfie, é a foto dos pés. O Limão quer muito que você tire uma foto dos seus pés agora e poste aqui nos comentários! #podeserpepsi #podeseragora”

Até então nada de novo. Foi quando um de seus seguidores colocou a foto abaixo:

Post da Pepsi Sacada

Um tênis da Coca-Cola no perfil na Fan Page da Pepsi? Isso não é legal. Todo gestor de marcas nas redes sociais deve estar preparado para respostas negativas dos usuários.

A Pepsi teve uma resposta rápida e inteligente. Diferente do que a maioria das marcas que publicam conteúdo na internet faz, ela conseguiu manter o tom descontraído e interagir com o usuário conquistando o apoio público.

Post da Pepsi Sacada

Outras marcas em mesma situação apagariam o post do usuário e dariam como caso resolvido. Mas a marca de refrigerantes preferiu mantê-lo e usa-lo a seu favor. Uma grande oportunidade para fortalecer seu posicionamento jovem e descolado na rede social.

Ainda no mesmo post, a Dafiti também se mostrou antenada no ambiente online e publicou uma imagem de pés para promover seus produtos. Usando hashtags alinhadas com as da Pepsi.

Post da Dafiti no Facebook_Pepsi

A Pepsi aproveitou a oportunidade mais uma vez. Sugeriu que a Dafiti desse descontos para seus fãs da no Facebook. Com a hashtag #podeserdesconto, a varejista online aceitou a proposta e disponibilizou um código promocional para os usuários.

Post da Dafiti no Facebook_Pepsi

As 4 Sacadas que todo Gestor de Mídias Digitais deve ter:

  1. Monitore. Esteja preparado para responder seus fãs.
  2. Seja rápido. Aproveite as oportunidades de interação.
  3. Responda seus fãs e mantenha seu posicionamento.
  4. Entregue valor aos seus fãs. Faça parcerias com outras marcas.

E você o que achou dessa ação da Pepsi no Facebook? Caso você conheça outros cases que mereçam destaque, comente logo abaixo e promova o benchmark.

Por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Anúncios

Facebook Graph Search – Como profissionais de RP e Marketing o usariam?

Este texto foi traduzido do post escrito por  no Blog Beyond PR, em 17 de janeiro de 2013.

No dia 15 de Janeiro, o Facebook anunciou o Facebook Graph Search, uma ferramenta que utiliza interação entre usuários e conteúdo no Facebook para gerar resultados relevantes de busca. Aqueles que trabalham com dados de mídias sociais saberão que o potencial do Facebook Graph Search é inatingível. O que o Graph Search faz é criar dados no Facebook mais acessíveis, que possam ser utilizados para entender o consumidor, prospecções ou stakeholders e construir relacionamentos que podem beneficiar-se mutuamente.

Facebook-graph-search-635

Imagem retirada do site gadgets.ndtv.com

As funcionalidades do Graph Serach estão sendo abordadas em diversos outros blogs e nos próprios anúncios do Facebook. Eu ainda não acessei o Graph Search, ainda que tenha me inscrito para ser incluído no beta. Mesmo assim, eu especularia como profissionais de RP e Marketing o usariam. Então aqui seguem algumas pesquisas que podem ser interessantes para os negócios com presença no Facebook:

– Que fotos as pessoas que curtem a minha página têm?

– Que fotos as pessoas que curtem minha página comentaram?

– O que as pessoas que curtem minha empresa gostam?

– O que as pessoas que curtem meus concorrentes gostam?

– O que os especialistas do setor comentam?

Como utilizar essas buscas? Talvez ideias para posts, press releases, infográficos ou até ideias de produtos? Se você está contratando, o Facebook ainda tem o potencial para ajudá-lo a identificar seus candidatos. Tente isso:

– Quem trabalhou para companhia X e companhia Y?

– Quem trabalhou para a empresa Z e mora na minha cidade?

– Quem estudou naquela universidade específica e, digamos, tem interesse em RP?

– etc.

No seu anúncio, o Facebook proporciona outros exemplos de buscas que incluem:

– Engenheiros de software que moram em São Francisco e gostam de esquiar.

– Pessoas que gostam de tênis e vivem na vizinhança.

– Fotos dos meus amigos antes de 1.999.

– Cidades visitadas pela minha família.

– Restaurantes indianos que meus amigos da Índia gostam.

– Livros lidos por CEO`s.

– Amigos de seus amigos que já estiveram no Parque Nacional de Yosemite.

Pense nesse último. Será muito interessante ver se a busca dos amigos dos seus amigos também inclui a habilidade de pesquisar os amigos daqueles que gostam da página da empresa.

Pense nesse último. Será muito interessante ver as atividades dos “amigos de seus amigos”, já que a busca também inclui a habilidade de pesquisar entre aqueles amigos que curtem a página de uma empresa.

Inicialmente, o Graph Search tem foco nas pessoas, fotos, lugares e interesses, porém com apenas essas buscas são muitas as variações, e fazer as perguntas certas é crucial. (Você está organizando uma festa de premiação e quer ter certeza de que música colocar para agradar a maioria das pessoas? Pergunte ao Graph Search que música as pessoas da página do evento escutam.)

Assim, o Facebook multiplicou o valor do “Curtir” e do Comentário referentes a negócios. Antes do Graph Search, estes podem ter sido para muitos um bom meio de mensuração, mas uma métrica não muito tangível para campanhas nas mídias sociais. Agora eles são sinais vitais nos algoritmos de busca do Facebook e é provável que gere um novo campo de pesquisas por novos algoritmos no Facebook Optimization (FBO?). Claro que toda essa especulação é inteiramente dependente da qualidade das ações dos seus usuários, mas se você tem verdadeiros fãs que realmente seguem sua empresa, então o Graph irá te compensar com “engajamento”, por suas boas práticas nas mídias sociais.

Então, quanto isso realmente é relevante para os negócios? Em especial para os negócios B2B. Todos os resultados de busca não serão sobre coisas pessoais? E as questões de privacidade com os profissionais de Marketing e outros não será afetada? Isso não é assustador?

Sob a perspectiva da privacidade, a linha entre pessoal e público no Facebook não é clara e as pessoas são sensíveis à invasão de sua privacidade. Tudo isso faz com que seja importante para as organizações serem claras em suas políticas sobre privacidade e mídias sociais e lidar com essas questões, sendo o mais abertas e honestas possível.

Certamente não é a única forma de descobrir em que seus clientes estão interessados, e nunca deverá ser a única fonte, mas o Graph Search tem um potencial de fornecer uma perspectiva única.

É relevante para todas as organizações? Com certeza. Este foi o posicionamento do Facebook sobre um produto beta, então podemos aguardar mudanças, provavelmente radicais, no próximo ano. Mas se sua empresa não tem uma página no Facebook e não está à procura de construir relacionamentos na rede, então você deveria pensar seriamente em fazer algo em relação a isso.

Fonte: Blog Beyond PR

Traduzido e adaptado por  Marina Landert, Coordenadora de Análise de Conteúdo de Mídia
PR Newswire