Mediaware – Revista América Economia, UOL e BBC (Londres)

Bem-vindo ao MEDIAware, a newsletter mensal com o resultado das pesquisas da equipe de mídia PR Newswire.

Mediaware – Revista América Economia, UOL e BBC (Londres)

MEDIAware tem como objetivo trazer a seleção das mais importantes atualizações da mídia e dos jornalistas que ocorrem em todo o Brasil, através do trabalho feito por nossos pesquisadores. Caso tenha informações sobre alterações recentes nas mídias e profissionais de comunicação ou dúvidas a respeito do conteúdo, entre em contato pelo e-mail: mediapt@prnewswire.com.br.

Jornal-A-Tarde

Jornal A Tarde (Salvador, BA): O grupo A Tarde foi vendido para a holding paulista Piatra Participações S/A, liderada pelos empresários Felício Rosa Valarelli Junior, sócio da WYX Holding, e Roberto Lázaro, sócio do Grupo DX Investimentos.

Informática em Revista

Informática em Revista (Natal, RN): A revista inicia o ano firmando parceria com universidades e grandes instituições de ensino, como o IFRN com a seção IFRN em Foco, que falará do que acontece na escola, com releases enviados pelo setor de comunicação, todos os meses. Em troca, o IFRN enviará o link do ISSUU, leitura eletrônica da revista, para cerca de 30 mil alunos através de e-mails cadastrados e também a edição impressa para as bibliotecas localizadas em 20 cidades do interior do estado, sem custo algum. O objetivo dessa parceria é levar a Informática em Revista para a maior quantidade de pessoas, atingindo um número cada vez maior de leitores.

A Informática em Revista (informaticaemrevista@gmail.com) circula nas redes sociais e é distribuída em lojas, cafés, recepção de restaurantes e outros estabelecimentos.

América Economia

América Economia (São Paulo, SP): O ano começa com mudanças na redação da revista brasileira especializada na economia da América Latina. Nicole Briones (nicole@editorai.com.br) assume como editora-chefe da revista, no lugar de Andrea Carneiro (https://www.linkedin.com/in/andr%25C3%25A9a-carneiro-7abb1ab5).

Zero Hora

Zero Hora (Porto Alegre, RS): Após seis meses de pesquisa com leitores e assinantes do jornal, o Zero Hora está lançando novas plataformas digitais. Um aplicativo com conteúdos exclusivos, uma nova central de vídeos, uma edição atualizada com o compilado das notícias do final de semana que será disponibilizado aos domingos e superedição aos sábados.

A superedição de fim de semana será entregue no sábado de manhã e terá, como uma das novidades, a revista ZH DOC, com 24 páginas contendo entrevistas, reportagens especiais e novos colunistas, como Fernanda Zaffari (fernanda.zaffari@zerohora.com.br), de Londres, e Fernando Eichenberg (fernando.eichenberg@zerohora.com.br), de Paris. Além disso, um novo caderno, o Fíndi, virá recheado de informações sobre serviços, entretenimento, programação cultural e infantil.

Entre as novidades, também está o jornal Domingo Digital, preparado para ser lido no tablete, contendo notícias atualizadas do final de semana.

Folha de São Paulo

Folha de São Paulo (São Paulo, SP): A partir do início de março as equipes da TV Folha e Fotografia passarão a fazer parte da editoria Imagem e será comandada pelo jornalista Fábio Marra (fabio.marra@grupofolha.com.br).

Marco Aurélio Canônico (marco.canonico@grupofolha.com.br) começou a escrever a coluna “Rio”, às terças, e divide o espaço com Ruy Castro, que escreve às segundas, quartas, sextas e sábados, e Paula Cesarino Costa (paula.cesarinocosta@grupofolha.com.br), que escreve às quintas, além de Carlos Heitor Cony, que publica aos domingos.

Sofrendo com a crise, a Folha cortará pelo menos um jornalista de cada editoria, além da dispensa de todos os estagiários.

Portal Terra

Portal Terra (São Paulo, SP): Após divulgar resultados negativos do último ano, o portal de notícias cortará cerca de 15% de seus funcionários, fechando escritórios em Dubai, Cidade do México, Buenos Aires, Madri e Milão. Os cortes não afetarão o Brasil.

O Estado de São Paulo

O Estado de São Paulo (São Paulo, SP): Pedro Doria (https://twitter.com/pedrodoria), começou a escrever uma coluna semanal no veículo, que trará as tendências da área de tecnologia.

Brasil China Report

Brasil China Report (São Paulo, SP): Os jornalistas Verónica Goyzueta (contato@brasilchinareport.com.br) e Daniel Castro lançaram o Brasil China Report, site de notícias sobre o Brasil e China, que reunirá informações sobre os mais variados assuntos, como política, diplomacia, negócios, esportes e cultura.

Portal R7

Portal R7 (São Paulo, SP): O apresentador Marcelo Rezende mostra seu lado gourmet na nova página “Corta pra Mim”, hospedada no site R7, com dicas sobre gastronomia, leitura e viagens.

BBC

BBC (Reino Unido): Cerca de mil cortes serão feitos pela BBC do Reino Unido, devido a fusão de seus serviços informativos de TV e rádio. A estratégia poupará cerca de 630 milhões de euros.

Além disso, os jornais The Independent e The Independent on Sunday, comandados pela empresa, serão publicados apenas na versão digital.

UOL

UOL (São Paulo, SP): Marcelo Epstein (https://www.linkedin.com/in/marcelo-epstejn-057270) deixa de fazer parte do quadro de colaboradores do portal. Quem assume a função de CEO é Ricardo Dutra (https://www.linkedin.com/in/ricardodutra).

O Estado do Maranhão

O Estado do Maranhão (São Luis, MA): Mais um jornal passa a unificar sua edição de fim de semana. A partir de março, O Estado substituirá as edições de sábado e domingo por apenas uma.

Rede Globo

Rede Globo (Rio de Janeiro, RJ): A emissora substituirá o Programa do Jô, principal talk show da história da televisão brasileira. A ideia é renovar o formato talk show, com um programa apresentado por Marcelo Adnet, que estreará no segundo semestre, semanalmente e, a partir de 2017, entrará no horário do programa Jô Soares.

Editora Abril

Editora Abril (São Paulo, SP): Eurípedes Alcântara deixa a direção de redação da “Veja”, passando a função para André Petry (apetry@abril.com.br). Um ano depois da saída de Fábio Barbosa da direção da editora, Walter Longo (https://www.linkedin.com/in/walterlongo) assume o posto.

GNT

GNT (Rio de Janeiro, RJ): Após Marília Gabriela anunciar sua saída do canal, a partir de abril o talk show será apresentado por Pedro Bial.

Revista da Reputação

Revista da Reputação (Rio de Janeiro, RJ): A recém-lançada revista chega com a proposta de fomentar o debate sobre práticas do mercado, abordando assuntos que estão acontecendo dentro e fora do Brasil. A revista é publicada pela Makemake Comunicação e editada pela consultora Tatiana Maia Lins e pode ser acessada pelo endereço www.revistadareputacao.com.br. A quem interessar, é possível colaborar através do e-mail pautas@makemake.com.br.

Conheça também a seleção das mais importantes atualizações da mídia e dos jornalistas estão acontecendo em outros países da América Latina: *MEDIAware Latam. Caso tenha outras informações sobre alterações recentes na mídia e/ou sobre os profissionais de comunicação ou dúvidas a respeito do conteúdo, entre em contato com nossa equipe de Relacionamento com a Mídia pelo e-mail: mediapt@prnewswire.com.br.

Anúncios

Mediaware – Novidades da Mídia e de Jornalistas / Novembro 2015

Bem-vindo ao MEDIAware, a newsletter mensal com o resultado das pesquisas da equipe de mídia PR Newswire.

Jornalistas-Mídia

MEDIAware tem como objetivo trazer a seleção das mais importantes atualizações da mídia e dos jornalistas que ocorrem em todo o Brasil, através do trabalho feito por nossos pesquisadores. Caso tenha informações sobre alterações recentes nas mídias e profissionais de comunicação ou dúvidas a respeito do conteúdo, entre em contato pelo e-mail: mediapt@prnewswire.com.br.

 logo GAZETA

Gazeta do Povo (Curitiba, PR): Aline Peres (https://www.linkedin.com/pub/aline-peres/68/445/645) e João Rodrigo Maroni (jrmaroni@hotmail.com) deixaram os cargos de editores do jornal no último mês de agosto.

 logo Luana-Avelino

Luciana Avelino (Belo Horizonte, MG): A jornalista Luciana Avelino (contato@lucianaavelino.com.br) lança seu novo site (www.lucianaavelino.com.br). A revista eletrônica trará novidades envolvendo temas diversos como: qualidade de vida, arquitetura & decoração, moda & lifestyle, beleza, bem-estar & saúde, gastronomia, cultura, turismo e crônicas & poesias.  O portal contará com a colaboração de um time renomado de colunistas em cada uma das oito áreas de abrangência e terá pelo menos uma postagem diária.

 logo A-Notícia

A Notícia (Joinville, SC): Marina Adriano de Andrade (marina.andrade@an.com.br) é a nova editora-chefe do jornal no lugar de Domingos Aquino (domingo.aquino@diario.com.br), que assumiu a liderança do Diário Catarinense.

 logo Rede Globo

Rede Globo (Rio de Janeiro, RJ): Os correspondentes internacionais Helter Duarte, Roberto Kovalick, André Luiz Azevedo e Renato Machado retornam ao Brasil. Renato Machado deixa Londres e integra a equipe de repórteres do “Globo Repórter”.

Roberto Kovalick também retorna de Londres e assume o cargo de repórter especial em São Paulo, sendo substituído por Pedro Vedova, que estava em Berlim.

Hélter Duarte volta de Nova York e será substituído por Sandra Coutinho. André Luiz Azevedo volta de Lisboa, mas ainda não tem nenhum substituto.

Houve mudanças também no programa “É de Casa”. O matinal de sábado passa a ser dirigido por Alexandre Matoso.

O diretor Luiz Cláudio Latgé deixou o cargo na emissora.

O jornalista e apresentador Thiago Leifert assume a apresentação do “The Voice Kids” que entrará na programação entre janeiro e março de 2016.

A jornalista Renata Lo Prete assume a bancada do “Jornal da Globo” como substituta de William Waack em suas eventuais ausências.

 logo IG

Portal IG (São Paulo, SP): Buscando investir na produção de conteúdo jornalístico e maior presença nas redes sociais, o portal reestruturou algumas áreas como, a de “Esportes” que ganhou independência da parte de notícia e foi assumida por Thiago Rocha (trocha@igcorp.com). A editoria “Estilo de Vida” será comandada por Patrícia Moraes (pmoraes@igcorp.com) e Aretha Martins (aalmeida@igcorp.com) que será a subeditora. Já Gustavo Abreu (gabreu@igcorp.com) passa a ser responsável pela área de “Entretenimento” junto da subeditora, Renata Reif (rreif@igcorp.com).

 logo Bahia-Notícias

Bahia Notícias (Salvador, BA): Lucas Cunha foi desligado da equipe de colaboradores do Bahia Notícias e terá o e-mail desativado. Para eventuais demandas à redação, entrar em contato pelo redacao@bahianoticias.com.br.

 logo Radio-Estadao

Rádio Estadão (São Paulo, SP): Para aumentar a audiência, a Rádio Estadão faz algumas mudanças em sua programação. O jornal matutino “Estadão No Ar Primeira Edição” ganha mais uma hora e, ao longo da programação, a emissora passará a mesclar conteúdo informativo e músicas. À noite, “Estadão Noite” entra com programação musical com quatro horas de duração. Pautas podem ser encaminhadas para releases@redeeldorado.com.br.

Essa mudança na grade afetou o quadro de colaboradores da emissora. Cerca de 30 profissionais foram desligados, restando dez jornalistas e três chefes em atividade. O departamento de esportes foi encerrado.

 logo Estadão

O Estado de São Paulo (São Paulo, SP): O Estadão começou a distribuir gratuitamente o Estadão Shopping com conteúdo sobre serviços e varejo que circula todas as sextas-feiras. O jornal circula até 18 de dezembro e terá uma edição especial sobre a Black Friday em 26 de novembro.

 logo TV Brasil

TV Brasil (Rio de Janeiro, RJ): A emissora ampliou o espaço dedicado ao jornalismo com os telejornais regionais (RJ, SP, MA e DF) passando a ter meia hora de duração. Os boletins diários e a revista eletrônica “Fique Ligado” também fazem parte das novidades.

Houve mudanças também nos horários da programação: “Brasilianas.org” passa a ser transmitido às 23h; “Observatório da Imprensa”, às quintas-feiras, às 23h; “Espaço Público”, às terças-feiras.

 logo Veja

Revista Veja (São Paulo, SP): Chega ao fim a página do economista e blogueiro Rodrigo Constantino (https://twitter.com/Rconstantino) no site da Veja. Rodrigo continua com sua coluna no jornal O Globo.

 logo DIARIO-DE-PERNAMBUCO

Diário de Pernambuco (Recife, PE): O jornal pernambucano passa a ser editado pelo Grupo Rands.

O-popular logo

O Popular (Goiânia, GO): A crise atingiu também os profissionais da redação do jornal. Foram desligados: o repórter-fotográfico Renato Conde (https://www.linkedin.com/in/renatoconde), a secretária da Editoria de Fotografia, Caroline Louise, o ilustrador Thiago Dornellas e mais um repórter.

ESPN-Brasil logo

ESPN Brasil (São Paulo, SP): Devido à uma reestruturação da empresa, cerca de 34 funcionários, entre jornalistas, cinegrafistas, editores de imagem, entre outros, foram desligados da empresa no Brasil. Nos Estados Unidos o número beira aos 300 demitidos.

Jovem-Pan logo

Jovem Pan (São Paulo, SP): A jornalista e comentarista do “Jornal da Manhã”, Rachel Sheherazade pediu demissão da emissora de rádio devido a problemas pessoais.  Rachel continua como apresentadora do “SBT Brasil”. (jornalpauta@sbt.com.br).

Rádio-Transamérica logo

Rádio Transamérica (São Paulo, SP): O programa “Esporte de Primeira” (esportedeprimeira@transanet.com.br) será comandado por Flavio Gomes a partir das manhãs de novembro.

Hoje em Dia logo

 

Hoje em Dia (Belo Horizonte, MG): No último mês de setembro o jornal mineiro sofreu algumas baixas. Danilo Emerich Garcia (https://br.linkedin.com/pub/danilo-emerich/106/666/3), Guyanne Katlyn de Araujo (https://www.facebook.com/profile.php?id=100010056521632) e Sara Lira (https://www.facebook.com/sarabragalira) deixaram a redação do jornal.

Ainda na redação, César Augusto Alves (cpaulo@hojeemdia.com.br) começou a escrever uma coluna sobre experiências urbanas e a vida cultural de Belo Horizonte.

Conheça também a seleção das mais importantes atualizações da mídia e dos jornalistas estão acontecendo em outros países da América Latina: *MEDIAware Latam. Caso tenha outras informações sobre alterações recentes na mídia e/ou sobre os profissionais de comunicação ou dúvidas a respeito do conteúdo, entre em contato com nossa equipe de Relacionamento com a Mídia pelo e-mail: mediapt@prnewswire.com.br.

O App Dubsmash e a Nova Febre das Redes Sociais

Entre os apps disponíveis hoje, o Dubsmash – focado em dublagens – virou a febre da web. O aplicativo basicamente usa a câmera do celular para filmar dublagens. Trechos de músicas, novelas, filmes e outros temas na área do entretenimento feitos pelo usuário.

O App Dubsmash e a Nova Febre das Redes Sociais

Os vídeos se tornaram uma forma de “viral” e estão adquirindo cada vez mais adeptos, entre eles muitos os famosos, que postam as dublagens como uma forma de divertir seus seguidores nas redes sociais, em especial no Instagram e no Facebook. Além disso, há um perfil que está compilando as melhores dublagens diariamente enviadas pelos “Instagrammers” (@dubsmashs).

Outro público que está realmente tirando proveito da nova tendência são os dubladores. Segundo o G1, o novo app significa um impulso na área, em especial aos profissionais que estão fora do eixo Rio-São Paulo.

Separamos 5 Dubsmashs divertidos para mostrar como funciona o aplicativo.

1 – Fiorella Matheis

Imitando a frase da Global, Christiane Torloni, “Hoje é dia de rock bebê”.

 

2 –Bruno Gagliasso

Sendo chamado de “afeminada”.

 

3 – Anitta

A cantora  também participou.

 

4 – Marco Luque

Comediante e apresentador do programa CQC.

 

5 – Mayara Mazzini

Estudante de Jornalismo e Operadora de Monitoramento de Mídia da PR Newswire.

 

Por Bruno Sutero, Coordenador de Banco de Dados
PR Newswire

Lollapalooza: Como as marcas utilizam o marketing em um festival

Um dos maiores festivais de rock que ocorre anualmente na cidade de São Paulo, o Lollapalooza, acontecerá no Autódromo de Interlagos nos dias 28 e 29 de março. Além da diversidade musical, o público encontra diversas opções de entretenimento proporcionada pelos patrocinadores do evento que buscam uma maneira de aumentar o engajamento do público disponibilizando momentos de lazer extra show. Os quatro principais patrocinadores da edição 2015 são: Skol, Chevrolet/ Onix, Axe e Sempre Livre. De acordo com o Meio & Mensagem cada um terá seu palco personalizado:Um dos maiores festivais musicais que ocorre anualmente na cidade de São Paulo, a 4ª edição do Lollapalooza no Brasil, acontecerá no Autódromo de Interlagos nos dias 28 e 29 de março. Além da diversidade musical, o público encontrará as mais diferentes opções de entretenimento, além dos próprios shows.

Os patrocinadores do evento buscam de variadas formas uma maneira de aumentar o engajamento do público no espaço. Haverá diversas atrações nos dois dias de Lollapalooza, que proporcionarão experiências com as marcas que vão além das estratégias convencionais como: backdrops, entrega de brindes e sinalização visual.

Os quatro principais patrocinadores da edição 2015 são: Skol, Chevrolet/ Onix, Axe e Sempre Livre. De acordo com o Meio & Mensagem cada um terá seu espaço personalizado para interação com o público:

Palco Onix (Chevrolet)

Em 2015, a Chevrolet montará uma montanha-russa de 12 metros de altura, com quatro carrinhos personalizados e que podem levar oito pessoas por vez. A tendência é manter o sucesso dos anos anteriores. Levando adrenalina e emoção aos visitantes.

 

Skol Stage (Skol)

A Skol apresentará um cenário que lembra os antigos parques de diversão e uma loja de Vinil. Fora isso, a bebida será a cerveja oficial do festival.

 

Axe Lounge

-A Axe desenvolveu uma estratégia de marketing um mês antes do evento, desafiando os clientes da Barbearia Corleone a ousar no visual. Os mais “ousados” ganharam um par de ingressos para o festival. Além disso, uma barbearia com estilo retrô será instalada no estande da Axe.

 

Lolla Lounge (Sempre Livre)

A Sempre Livre apostou na liberdade de movimentos através da hashtag #amusicamemove. No camarim haverá um salão de beleza com profissionais oferecendo maquiagem e penteados ao público. No salão principal blogueiras estarão divulgando em tempo real os acontecimentos do evento. Os vídeos estarão disponíveis no site do Sempre Livre.

 

Há muitas outras marcas apoiando o evento. Por isso o Lollapalooza é um acontecimento tão aguardado não somente pelos amantes da música, mas pelos apaixonados por diversão e inovações.

 

Por Bruno Sutero, Coordenador de Banco de Dados

PR Newswire

O que um Blog tem de tão especial?

O que um Blog tem de tão especial?

Em tempos onde o mundo digital está dominando o universo da comunicação, é notável o crescimento de blogs e de formadores de opinião neste segmento. Com um espaço prático, barato e democrático, ficou mais fácil expressar opiniões através de páginas na internet.

Uma das plataformas mais famosas é o WordPress, que conta com mais de 19 bilhões de páginas criadas no mundo. Hoje, essas páginas competem lado a lado com publicações impressas, lançam tendências e, muitas vezes, transformam seus donos em celebridades.

A proximidade entre blogueiros e leitores, assim como a facilidade de acesso através de dispositivos móveis são as chaves para o crescente sucesso da nova tendência do mundo online.

Com os elevados números de acessos, tornou-se comum a parceria entre empresas e blogueiros, publicando conteúdo com produtos e serviços relacionados ao assunto do post. A publicidade segmentada dos blogs está se tornando um dos melhores investimentos em propaganda da atualidade. Até mesmo outros veículos de comunicação, percebendo a audiência de muitos “famosos da web”, já estão de olho em muitos nomes, que estão ganhando espaço nas revistas.

Páginas com foco em moda, saúde, bem-estar, entretenimento e humor estão entre as que mais fazem sucesso com o público. Alguns exemplos disso são:

O que um Blog tem de tão especial?

Garotas Estúpidas: criado pela designer Camila Coutinho, se tornou um dos maiores blogs de moda do país e já ultrapassou os 100 mil acessos diários;

O que um Blog tem de tão especial?

Blog da Mimis: blog de saúde e bem-estar, que publica dicas de treinos e alimentação;

O que um Blog tem de tão especial?

Diva Depressão: personagem fictícia que teve início no Facebook e já conta com mais de 30 mil visitas diárias;

O que um Blog tem de tão especial?

Depois do Quinze: desde que o blog foi criado, já ultrapassou os 100 milhões de acessos e hoje a criadora, Bruna Viera, tem até uma coluna na revista Teen, Capricho.

Diante de tantas novidades e mudanças nos meios de comunicação, vale ficar atento ao “boom” dos blogs e aos próximos passos da era digital. Será que é só uma febre passageira ou essa tendência veio mesmo pra ficar?

 

Por Larissa Nalin, Pesquisadora de Mídia
PR Newswire

6 Dicas de Storytelling do BuzzFeed e de outros Storytellers

Durante oito meses, a empresa de monitoramento de conteúdo BuzzSumo focou-se em mais de 100 milhões de artigos compartilhados nas redes sociais. Ela queria responder a algumas perguntas sobre o que torna um conteúdo viral. E, em abril deste ano, ela conseguiu.

6 Dicas de Storytelling do BuzzFeed de outros Storytellers

Após a classificação de todos os dados, a BuzzSumo identificou 10 qualidades que mais comuns no conteúdo viral. Embora o comprimento do artigo, tom e formato estivessem entre as características vitais, um atributo que ficou ausente da lista foi o assunto.

Não importa se você escreve sobre economia ou algo considerado mais simples – “buzzworthy” – como entretenimento. Todos tem uma história interessante esperando para ser descoberta. O desafio é encontrar a melhor maneira de conta-la que desperte o seu público e faça-o ouvir.

Social Media Club NYC organizado recentemente por Rachel Zarell, repórter e editora de fim de semana do Buzzfeed, Ginny Pulos, fundador e presidente da Ginny Pulos Communications, Inc. e Marcia Stepanek, presidente e fundadora da Brand Stories um painel sobre storytelling digital. Durante a conversa, eles discutiram o que faz uma boa história, porque elementos visuais são importantes para conta-las, e muito mais.

Leia as seis dicas de storytelling. E para saber mais sobre como contar uma história na era digital, consulte a transcrição de Polina Opelbaum sobre o evento Social Media Clube NYC no ProfNet Connect.

#1. Fundamento Básico: Faça seu Público se Importar

“Para fazer algo uma boa história”, diz Zarrell, “ele precisa fazer as pessoas sentirem emoções fortes”. Mas como você pode despertar sentimentos nos seus leitores?

Às vezes, trata-se de escolher um tema que você é apaixonado.

Por exemplo, Zarrell uma vez escreveu um artigo sobre o comportamento de uma estrela pop que, para ela, não era apropriado para uma celebridade. “Mais de um milhão de pessoas compartilharam essa história”, disse. “Isso realmente repercutiu entre as pessoas. Fui para o trabalho e queria que as pessoas sentissem o que eu fiz naquele dia. Eu fiquei apaixonada por isso”.

Mesmo não sendo um tema que inspire naturalmente uma resposta emocional, você ainda pode contar uma boa história. Pulos recomenda incorporar cinco elementos básicos: “(1) Brevidade, (2) Verdade, (3) Sobre uma Pessoa, (4) Envolver uma Emoção e (5) Terminar em um ponto alto”. Escreva uma história atual, e isso ajudará um pouco, acrescentou.

#2. Em poucas palavras, Qual é a sua história?

Um elemento-chave é chegar ao “e daí?”, diz Stepanek. “É sobre conteúdo atraente e brevidade”.

Se você está brigando e quebrando a cabeça em torno de um tema, os palestrantes recomendam escrevendo um “paragrafo-resumo”, contendo a história de quem, o quê, quando, onde, por que e como. Mesmo que esse paragrafo não faça parte da versão final, ele ajudará você a chegar ao coração da história e descobrir o seu valor.

“Isso é realmente importante para um jornalista”, diz Zarrell. “A forma como narrar as coisas em torno do visual ao contar uma história faz as pessoas se preocuparem rapidamente, já que elas têm tempo a perder”.

O mais difícil para muitos escritores é escrever sobre si mesmo. Se a sua história é uma questão pessoal, Pulos deu dois exercícios para preparar seu “paragrafo-resumo”:

Exercício (1): Para explicar a sua história sobre o que você faz e quem você é, peça para um amigo, colega, alguém que possa te enviar frases sobre o que valoriza em você, como você é, etc.

Exercício (2): Liste suas conquistas, coisas boas e coisas ruins, sua idade nesses momentos e a moral da história. Muitas pessoas deixam de fora a moral da história ao fazer este exercício, mas é assim que eu cultivei muitas histórias diferentes, com diferentes clientes.

#3. Mostre e Diga (moderadamente).

“Nossos cérebros são neurologicamente preparados para processar imagens visuais mais rápido e eficientemente”, conta Stepanek. “Além disso, é a maneira mais rápida de obter um impacto emocional junto com a informação”.

Por exemplo, se a sua história é sobre as pessoas, o público quer ver quem são elas. “Não se trata apenas de ouvir o que alguém disse, mas ver seus gestos, conversas, etc.”.

Por isso, deve ter imagens.

“Eu não vou escrever nada que não tenha um elemento visual para isso”, diz Zarrell. “Quando estou criando uma história, construo-a ao redor do visual”. Se há um vídeo de um noticiário, então eu vou inserir fotografias tiradas dele e construir toda a narrativa em torno dessas fotos. Nem sempre existem imagens, então o BuzzFeed usa um programa chamado Capture que permite que você vá para um lugar  onde está acontecendo alguma coisa”.

Ao escrever um texto para apoiar os seus recursos visuais, Zarrell incentiva a moderação. “É muito fácil para o texto oprimir uma imagem”, diz ela. “Se a imagem é poderosa, ela vai falar por si só. Se você tentar explicar isso, então você estará exagerando, isso pode não ser tão interessante”.

#4. Imagens podem ajudar – mas se você não tomar cuidado, podem prejudicar – a sua credibilidade.

Outra razão que faz fotos e gráficos serem tão importantes, diz Stephanek, é que “imagens tendem a ter mais credibilidade, já que não é alguém dizendo que uma coisa existe, mas mostrando que ela existe”.

Porém deve-se tomar cuidado, para que os recursos visuais selecionados sejam autênticos. “Houve um monte de boatos este ano com imagens. Pessoas espalhando-os sem pensar sobre isso”, admitiu Zarrell. “o BuzzFeed é muito cuidadoso quanto a desmentir tudo o que conseguir. Se parece que ele é bom demais para ser verdade, provavelmente é”.

Existem algumas maneiras de verificar a veracidade de uma imagem. Uma maneira recomendada por Zarrell é a pesquisa de imagens reversa do Google; você pode encontrar mais ferramentas de verificação digitais em nossa série Faster Fact-Checking.

#5. O vídeo é o futuro

Enquanto a noite caia, a conversa no Social Media Club’s voltou-se para o futuro da narrativa.

“O YouTube e todo mundo está prevendo que daqui a dois anos 73% de tudo o que acontecerá on-line será em vídeo”, compartilha Stephanek. “Eu acho que vídeos pessoais ainda vão ser muito relevante como parte da comunicação com a sua comunidade de notícias e pessoas. Mas eu acho que no desenvolvimento de vídeos curtos, branding e infográficos, veremos profissionais entrando e redefinindo-os”.

Ela continua: “Martin Scorsese disse que, nos próximos anos, não saber como criar um vídeo e compartilha-lo com dispositivos móveis, será tão incomum como as pessoas que hoje não sabem como enviar um e-mail”.

#6. Finalmente, tenha fé.

O medo pode acabar com as melhores histórias. Mesmo os storytellers se esforçando para fazer o seu melhor, há momentos em que você tem que dar uma chance e confiança de que a sua história é boa o bastante.

“Você apenas tem que chegar lá e contar a história”, Pulos lembra os participantes. “Quando pessoas contam uma história, existirão outras que virão dizer-lhes que nunca mais vão esquecer o que ouviram”.

Trabalhando em uma história e precisam de uma fonte especializada? ProfNet tem milhares de pessoas disponíveis para ajudar. Faça uma consulta, pesquise nos mais de 60.000 perfis do ProfNet Connect, ou entre em contato com especialistas e ideias para histórias por e-mail – tudo de graça! Profnet@profnet.com se você precisa de ajuda para começar.

Este texto foi traduzido do post escrito por Amanda Hicken no Blog Beyond Bylines, no dia 30 de outubro de 2014.

Amanda Hicken é Gerente de Relacionamento com a Mídia da PRNJ da PR Newswire. Twitter: @ADHicken.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Por que Vídeos são Investimentos para Empresas

Uma nova pesquisa da Vidyard confirma que o uso de vídeo não é apenas para entretenimento ou para melhorar awereness, mas é uma fonte legítima de receita. 

Por que Vídeos são Investimentos para Empresas

Com a explosão de estrelas do YouTube, vídeo na newsfeed do Facebook, o “ALS Desafio do Balde de Gelo”  sendo uma sensação viral, 2014 provou ser o ano do vídeo.  Agora, uma nova pesquisa da Vidyard confirma que o uso de vídeo não é apenas para entretenimento ou para melhorar awereness, mas é uma fonte legítima de receita. De acordo com os resultados, 71% dos participantes confirmaram que vídeos eram melhores em direcionar conversões do que outros tipos de conteúdo, como texto e foto.

O especialistas em vídeo da PR Newswire, Larry Cardarelli, produtor executivo da MultiVu, e Kevin West, vice-presidente sênior de Multimedia da MultVu, analisaram os resultados e as melhores práticas para a criação de vídeos eficazes.

Por que vídeos funcionam melhor do que o texto ou foto?

Nada surpreso com as descobertas da Vidyard, Cardarelli se lembra do velho ditado: “uma imagem vale mais que mil palavras”, para lembrar os profissionais de marketing por que vídeos funcionam melhor.

“Um minuto de vídeo, é basicamente, equivalente a comunicação de 1.8 milhões palavras”, diz Cardarelli, “Isso é, 30 mil palavras por segundo. Se você não faz alguém sentir alguma coisa em um vídeo de 30 segundos (ou seja, 900 mil palavras) então você tem um grande problema”.

Para discutirmos mais sobre o uso do vídeo nas comunicações, inscreva-se para o webinar gratuito “Tendências de RP para 2015: Foco em Visual Storytelling”.

No que diz respeito ao comprovado poder de conversão de vídeo, os achados de West da Vidyard declaram que “Mais pessoas estão procurando alguma forma de conversão, sendo ou não vendedores de um produto ou uma empresa. Praticamente todos em marketing e relações públicas estão procurando. Textos e imagens fazem uma conexão mais longa, mas um vídeo conta a história de forma mais eficiente e lhe dá o maior potencial para a conversão”.

Marketing deveria criar mais vídeos do que outro tipo de conteúdo?

Apesar dos vídeos converterem melhor do que textos e imagens, West lembra os marqueteiros para prestar atenção à qualidade dos vídeos que eles estão produzindo mais do que a quantidade, a falta dela coloca em risco os resultados finais. “Qualidade gera mais engajamento e desenha melhores resultados, diferente do envio de muitos vídeos”, ele diz: “Os buscadores favorecem vídeos, mas não necessariamente a quantidade que vai ajudar o seu SEO, é a relevância e a qualidade do vídeo, melhor ou mais eficaz, que será levado em conta”.

Por outro lado, Cardarelli tem uma solução para a criação de vídeos com qualidade em manter a frequência. Em vez de divulgar uma história completa em um vídeo, dividi-lo em pequenos pedaços conectar o público fazer com que ele sempre volte para ver o próximo capítulo.

Como profissionais de marketing podem criar melhores vídeos?

Cardarelli e West sugerem as seguintes dicas para ajudar os profissionais de marketing produzirem sua estratégia de criação de vídeo:

A qualidade deve ser adequada ao contexto. “Só há duas verdades universais sobre como fazer um vídeo de sucesso, (1) tem de ser bem escrito e produzido ou (2) o conteúdo tem que ser sensacional: adorável, chocante ou estrelado por um artista. Nesse último caso, não importa o quão bem ele é filmado”, observa Cardarelli, “A maioria de nós cai na primeira verdade universal , você precisa realmente contratar um equipamento que sabia o que está fazendo. Assim, você economiza tempo e dinheiro no longo prazo”.

Gaste algum tempo para criação de uma história multifacetada. Com relação à ideação e estratégia, Kevin desafia marketeiros a passar mais tempo pesquisando e em brainstormings sobre as diferentes maneiras que uma história única pode ser contada através de diferentes perspectivas.

Preste muita atenção às tendências de mídia social. Cardarelli explica: “Há alguns anos atrás, falar de um vídeo de segundo 6 soaria como uma loucura. Hoje, as grandes marcas estão gastando muitos dólares tentando descobrir maneiras de produzir vídeos eficazes para o Vine ou vídeos com menos de 30 segundos”.

Distribuir vídeos além de canais próprios. “Vá além dos vídeos no Facebook e considere outros caminhos que você pode distribuir o seu vídeo,” West afirma, “Obviamente as mídias sociais e Facebook são gigantes, mas vão além do necessário. Como, de outra forma, você consegue colocar os seus vídeos online frente a frente com os diferentes públicos que você almeja?”.

O que o futuro reserva para o mercado de vídeo?

Cardarelli espera que os profissionais de marketing deixem para trás antigas ideias sobre o que a criação de vídeo costumava ser, e considerem formas mais criativas e visualmente atraente de conteúdo que a avançada tecnologia permite hoje. “O termo vídeo é um pouco fora de moda, evocando imagens de um sujeito robusto, com uma câmera de 150lb em seu ombro filmando. Os vídeos hoje incluem um grande mundo de animações: stop motion, 2D e 3D, arquivos compartilhados, texto em movimento que poucos anos atrás eram considerados do orçamento de todos, só para aqueles com bolsos fundos”, explica ele, “Animações são muitas vezes uma maneira muito mais eficaz de contar uma história, especialmente as histórias que poderiam ser considerados um pouco mais diretas”.

A noção de que a criação de vídeo é uma opção e não uma necessidade é desaparecerá, antecipa West. “Não é mais uma coisa que é um bom fazer ou algo que se tem que talvez deva ser considerado”, acrescenta, “Neste momento é uma necessidade se você quiser sobreviver em mercados diferentes onde a sua empresa pretende operar. Você tem que produzir efeitos visuais, para isso”.

Este texto foi traduzido do post escrito por Shannon Ramlochan no Blog Beyond PR, no dia 15 de outubro de 2014.

Shannon Ramlochan é Coordenadora de Marketing de Conteúdo da PR Newswire

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire