Como Adaptar Conteúdo para Plataformas de Mídia Social

Como Adaptar Conteúdo para Plataformas de Mídia Social

Você acabou de escrever um ótimo texto e criou um título brilhante. Agora, como usar a mídia social para aumentar o seu alcance do seu conteúdo e atrair o público certo? Só compartilhar o link pelas redes é o ideal? Não seja tão preguiçoso!

Para melhor seu desempenho, o seu conteúdo deve ser ajustado para se adequar para cada plataforma. Um profissional de marketing experiente incluirá a adaptação do conteúdo como uma tática dentro de sua estratégia de distribuição para que sua mensagem neutralize o ruído, presente em todas a mídia e atinja seu público-alvo da forma correta.

Vamos ver quais são as melhores práticas e adaptar seu conteúdo para cada plataforma de mídia social:

Twitter Conteúdo

Apesar de ter sido anunciado que links e imagens não serão mais contados como caracteres, o Twitter ainda impõe uma restrição de 140 caracteres. Enquanto isso é um desafio por alguns, a Oracle diz que essa característica deve ser explorada em vez de ser temida. A famosa restrição do Twitter nos obriga a ir direto ao ponto e eliminar informações desnecessárias.

1. Forte apelo à ação

Com uma concentração comparável à de um peixinho dourado, humanos modernos precisam de orientações claras e recompensas instantâneas. Use seus 140 caracteres para atrair o público e fazer com que ele se comporte da maneira desejada. Garanta que seu call to action seja forte e gratificante – isso funcionará!

 2. Uma imagem vale mais que mil palavras

Use junto com seus 140 caracteres!

Tweets com imagens se destacam e conseguem uma média de 35% mais retweets. Consiga a atenção do seu público com a criação de uma imagem de citações ou fatos interessantes. Infográficos são uma outra maneira fantástica para as imagens aumentarem o alcance da sua publicação. Basta olhar como o Walmart compartilha pontos importantes do seu press release dentro de um gráfico atraente:

3. Não usar abreviações

A tentativa de empurrar o máximo de informação possível em um tweet muitas vezes pode levar ao uso de abreviações ou gírias. “Tendeu” o que quero dizer? Não faça isso – parece pouco profissional. Se você tem muita informação sobre o mesmo assunto, escreva uma série de tweet, ou publique imagens contendo mais textos. Também como alternativa, use um link para uma página de destino com mais conteúdo textual.

Fabecook Marketing

1. Pensar mobile

Quase 70% dos usuários do Facebook acessam seu perfil por meio de um dispositivo mobile. Por isso, o conteúdo precisa ser criado pensando nisso. Por exemplo, se o usuário acessar seu conteúdo por um aplicativo ou site mobile, sua imagem é redimensionada? Seu texto continua legível? Será que alguns deles cortam seu conteúdo? Teste a sua metodologia primeiro, use contas fakes e texto para teste.

2. Pagar por isso

O Facebook está constantemente mudando seu algoritmo e, como resultado, as pessoas que realmente “veem” o conteúdo publicado por você estão diminuindo – isso vale para as pessoas que “curtem” a sua página. Se você quiser que o seu post seja visto, é necessário promove-lo. Separar recursos para a sua estratégia de conteúdo pago é importante e acaba sendo um pouco mais caro, guarde seu orçamento para as mensagens mais atraentes; aquelas que tem maior probabilidade de engajamento com o público.

3. Vídeo

Em abril, o Facebook anunciou outra mudança para seu algoritmo que sugere algumas mudanças para publicações, uma deles é a valorização do conteúdo em vídeo. Com isso, profissionais de marketing que pretendem estar atualizados e serem vistos por seu público, precisam pensar em maneiras de incorporar vídeo em sua estratégia social. Não se esqueça de colocar legendas em seus vídeos no Facebook, para garantir que os telespectadores visualizem sua mensagem enquanto percorrem seu feed de notícias, sem ter que clicar para escuta-la.

Linkedin Marketing de Conteúdo

1. Menos não é sempre mais

O LinkedIn é um site profissional e seus usuários tendem a ser mais abertos a diálogos longos e posts mais profundos. Esta é uma oportunidade valiosa para profissionais de marketing de conteúdo conseguirem que a sua mensagem seja vista por um público mais segmentado e sem sacrificar algumas palavras do seu conteúdo.

2. SlideShare

Use o LinkedIn em seu pleno potencial, o que inclui tirar vantagens de sua plataforma afiliada, e impulsionar a descoberta do seu conteúdo. O SlideShare permite compartilhar conteúdo no estilo de apresentações do Power Point e o classifica para alguns mercados, tópicos e temas. Use o formato da plataforma para destacar pontos importantes e direcionar seu público-alvo para o conteúdo na íntegra. Ele também tem algumas métricas ótimas para que você veja como exatamente as pessoas estão se engajando com seu conteúdo, assim você pode ajustar seu apelo para conquistar um público maior.

3. Grupos do LinkedIn

Grupos no LinkedIn são um ponto importante da rede profissional. Os usuários se agrupam porque realmente têm a intenção de consumir conteúdo alinhado com os seus interesses. Junte-se a alguns grupos que são relevantes para a sua empresa e publique conteúdo próprio neles. Esteja ciente de que membros do LinkedIn podem ser mais abertos para uma longa leitura, e não para spams. Compartilhe seus posts com sabedoria!

N-CO-1.1.4-Banner

Estas são apenas algumas dicas para ajudá-lo a adaptar o seu conteúdo para diferentes plataformas de mídia social. Para descobrir como criar um press release que maximiza o compartilhamento social, clique aqui e baixe nosso white paper completo.

Texto traduzido do Blog Beyond the Wire, publicado por Amy-Louise Tracey no dia 23 de junho de 2016. Amy-Louise é Consultora de Comunicação na CNW – PR Newswire.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Anúncios

79% dos RP’s acreditam que os vídeos são subutilizados [infográfico]

Este texto foi traduzido do post escrito por Sarah Skerik no Blog Beyond PR, em 27 de agosto de 2013.

De acordo com uma pesquisa conduzida entre profissionais de RP e realizada recentemente pela PR News e pela PR Newswire, o uso de recursos visuais em campanhas de relações públicas tem tudo para crescer: a esmagadora maioria (76%) das pessoas entrevistadas planejam usar elementos de narrativa mais visuais em suas comunicações em 2014.

2_prnewswire_prnews_multimedia_survey_2013

Uma parcela ainda maior dos profissionais de comunicação (79%) observou que o recurso do vídeo é subutilizado em mensagens de RP. No entanto, a pesquisa também revelou que o profissional de Relações Públicas tem cada vez mais controle sobre o orçamento para a criação de conteúdo multimídia.

“É interessante que os orçamentos estão agora divididos igualmente entre RP e marketing,” comentou Kevin West, vice-presidente sênior de multimídia da PR Newswire /Multivu. “O fato é encorajador, porque  sempre houve essa percepção de que o marketing tem o controle de orçamentos e isso se mostra como nova oportunidade para os profissionais de relações públicas.”

Apesar do uso relativamente escasso de vídeo em mensagens de RP (como press releases), os entrevistados observaram que conteúdo neste tipo de formato é eficaz no processo de engajamento em canais sociais, com vantagem sobre infográficos e artigos. Fotos – que são muito mais comumente usadas ​​em mensagens de RP – eram anteriormente o elemento multimídia mais cativante.

De acordo com os resultados da pesquisa, a principal barreira para a criação de mais conteúdo em vídeo não é o orçamento – são recursos, seguidos pelo tempo. Desenvolver a capacidade de criar um vídeo (e outros recursos visuais) é um verdadeiro desafio para a maioria das organizações, especialmente tendo em conta o panorama das comunicações em rápida evolução que tem premiado muito mais conteúdos visuais – em especial, os vídeos.

“O papel que os comunicadores agora podem exercer, no que diz respeito à narrativa visual, é explicar detalhadamente as possibilidades futuras de potencial social e criação de conteúdo e adicionar formatos diferentes a todas estas novas formas de contar histórias, seja via Vine ou Instagram,” disse West em um artigo mais profundo sobre os resultados da pesquisa que ele escreveu intitulado de Lack of Resources is Cited as a Barrier to Multimedia Storytelling.

O infográfico com os resultados da pesquisa pode ser acessado aqui [em inglês].

Fonte: Blog Beyond PR

Traduzido e adaptado por Camila Conte, Gerente de Relacionamento com a Mídia
PR Newswire