Rir é o Melhor… Negócio! Bom Humor na Publicidade

Dizem que rir é o melhor remédio, e nada melhor do que se utilizar desse artificio para conquistar um público maior dentro da publicidade. Utilizar a própria marca e garotos-propaganda carismáticos têm feito empresas ampliarem seus negócios. Os próprios garotos-propaganda têm se identificado e percebido o quanto isso agrega em suas imagens. A tática é utilizar histórias reais de maneira bem-humorada para conquistar o público brasileiro. É isso que anunciantes têm feito com suas marcas: Eles conectam o público com a mensagem. O portal Adnews listou dez campanhas em que os garotos-propaganda riem de si mesmos:

Comerciais Engraçados

Campanha “Vai Que…” com Byafra – Bradesco Seguros. No vídeo a seguir, comercial criado pela AlmapBBDO para o Bradesco Seguros, mostra um ladrão que abandona o carro ao ouvir o cantor Byafra interpretando uma de suas canções famosas.

 

Visa – Vanusa. Nesse comercial, também criado pela AlmapBBDO para VISA, aparece a cantora Vanusa esperançosa, mesmo depois de ter trocado a letra do Hino Nacional Brasileiro.

 

Head & Shoulders – Joel Santana em Donti Révi Caspa. O técnico de futebol Joel Santana, depois de uma entrevista em que se arriscou a falar inglês, sem muito sucesso, acabou senso ridicularizado. No comercial a seguir, criado pela agência Africa para a P&G, ele mostra que mesmo depois de um momento vexatório pode se fazer piada, com isso, a situação virou sucesso.

 

Skol Litrão e Beto Barbosa. Um dos cantores de “lambada”, considerado “brega”, Beto Barbosa, foi outro a rir do próprio mico ao ser apresentado no comercial a seguir como um exemplo de como “queimar o filme” num churrasco com os amigos. O filme é da F/Nazca.

 

Burger King  – Mega BK STACKER. A primeira vez que o lutador de MMA Anderson Silva resolveu falar em público, acabou surpreendendo a todos com sua voz “fina”. Como pode um lutador cheio de “marra”, com cara de bravo, ter uma voz tão delicada? O Burguer King resolver brincar com a situação.

É o Tchan pede desculpas. Em um anuncio da Sake Jun Daiti, da Diageo, compadre Washington e Beto Jamaica, do É o Tchan fizeram uma confissão inusitada,  admitiram que causaram muito barulho e impediram as boas conversas no verão de 1995.

Fiat | Novo Fiat Cinquecento (500). No filme abaixo, a Fiat mostrou que não precisa ser “grande” para ser um grande ator. No comercial a seguir, produzido para o Fiat Cinquecento (500), Ricardo Macchi (o eterno cigano Igor) com muito humor, aceitar ser comparado a Dustin Hoffman.

Comercial “Carrinho de bebê Sérgio Malandro” – Bom Negócio, Classificados Grátis. A NBS produziu filmes comerciais com sucesso de audiência para o site Bom Negócio, em que personalidades da mídia se transformam em objetos “chatos”, que praticamente pedem para serem trocados. Sergio Malandro, Supla e outros toparam a brincadeira.

 

Comercial Ipanema. Em 2007 a modelo Nathalia Guimarães (Ipanema) ficou em segundo lugar (título bem contestado pelo público) no concurso de Miss Universo. A marca Ipanema, na época a segunda do mercado nacional, aproveitou a situação para dizer que “a segunda é mais gostosa” que a primeira.


Fontes de ADNews e Portal Admintradores

Por Adna Santana, Pesquisadora de Mídia
PR Newswire

Anúncios

Quando Marcas devem se Desculpar nas Redes Sociais

As redes sociais são um ponto de encontro entre pessoas e marcas. Desde as mais conhecidas como Twitter, Facebook e Instagram até as plataformas mais recentes, não importa. Provavelmente você já encontrou alguma marca navegando por esses mares.

I'm Sorry

Assim como as pessoas, as marcas também estão sujeitas a fazer posts que não agradam a todos. Porém o problema está quando a mensagem desagrada a maioria.

Um caso recente é da companhia aérea U.S. Airways, que usa a rede social para se relacionar com clientes e para reservas de voos. Em meio a uma discussão no Twitter, a empresa americana publicou uma foto pornográfica em resposta para uma cliente. A ação repercutiu e ganhou força na plataforma.

Por estar fora do padrão de linguagem nas redes sociais da companhia e de bom senso, a U.S. Airways apagou o post e publicou uma retratação. “Pedimos desculpas por uma imagem inadequada recentemente compartilhada como um link em uma das nossas respostas. Nós removemos o tweet e estão investigando”.

 

Outro incidente um mais próximo da realidade brasileira, e menos pesado, foi o da marca de chocolates Cacau Show. A marca publicou em sua Fan Page do Facebook um post em tom de brincadeira que não foi muito aceito pelo público. A marca de chocolates dizia ter descoberto um novo recurso do Facebook que permitia sentir o irresistível sabor de seu chocolate. A imagem acompanhada da frase “Lamba aqui” não foi aceita por alguns usuários. Marcas concorrentes também aproveitaram a oportunidade com o deslize da marca.

 

Cacau_Show_Polemica

A Cacau Show também teve que se retratar e justificar a brincadeira. Em comunicado a empresa disse: “Entre os pilares editoriais do Facebook da Cacau Show está o de trazer diversão com ‘licenças poéticas’ bem humoradas”.

QUANDO AS MARCAS DEVEM PEDIR DESCULPAS NAS REDES SOCIAIS?

Você se sente confiante quando uma marca está constantemente se desculpando publicamente? Será que isso fará você pensar que essa é uma empresa que proporciona qualidade em seus produtos e serviços? Questões como essa foram levantadas por Rick Liebling, head of global marketing da Unmetric, especializada em mídias sociais. É preciso manter o holofote naquilo que você quer alcançar. Se sua empresa presa pela qualidade, não irá precisar se desculpar.

“Às vezes, a reação instintiva de fazer o pedido de desculpas pode tornar o problema maior do que precisava ser”, acrescenta Liebling – Tweet isso!

QUANDO AS DESCULPAS PODEM AGRAVAR O PROBLEMA

O erro das empresas que usam as redes sociais para se desculpar é entender que um post, desaprovado por algumas pessoas, reflita os sentimentos de todos seus seguidores ou fãs.

Muitas vezes os ataques aos posts de uma empresa são feitos por pequenos núcleos de pessoas. Quando uma empresa usa as redes sociais para se retratar, isso pode despertar a curiosidade do público em saber qual o seu motivo. Por exemplo, se uma marca com publica uma mensagem inicial e essa é desaprovada por um pequeno grupo entre seus fãs e seguidores, ao se retratar em uma segunda mensagem de desculpas ela maximiza o alcance da sua mensagem inicial, podendo despertar o interesse de outras pessoas em descobrir o motivo que gerou as desculpas.

A Cacau Show aproveitou seu pedido de desculpas para ressaltar que sua Fan Page busca trazer diversão com mensagens bem humoradas e com “licenças poéticas”. Pode ser que antes essa proposta não estivesse clara para seus fãs. E a marca aproveitou a oportunidade de reforçar sua linguagem e forma de interação no Facebook.

Se você administra uma Fan Page no Facebook ou é responsável por um perfil corporativo no Twitter, lembre-se de adequar seus post a linguagem adotada na comunicação da sua empresa e alinha-lo com seu posicionamento de mercado. Se você precisa pedir desculpas, é sinal que há alguma falha entre esses dois pontos. Quer dizer que é hora de revê-los.

Por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire