Super Bowl – 10 Dicas para Jornalistas em Cobertura Esportiva


Um jornalista tem uma tarefa ao cobrir um evento esportivo – pintar um quadro. Mas o que fazer quando todo o seu público já viu essa imagem?

Super Bowl - 10 Dicas para Jornalistas em Cobertura Esportiva

Em muitos aspectos, cobrir jogos colegiais é mais fácil do que a cobertura de atletas profissionais durante um longo tempo. É um processo muito mais simples porque seu público/leitores normalmente não estavam no jogo e não o assistiram pela TV. Podem até não saber o resultado final. Como repórter, e um contador de histórias (storyteller), você pode se dar ao luxo de começar sua obra de arte em uma tela em branco.

Ao cobrir grandes eventos esportivos, você tem que dar aos seus leitores algo que eles ainda não tenham visto em suas telas de 60 polegadas, de alta definição. Isso pode ser assustador.

O Super Bowl é o maior e mais confuso exemplo. Como você pode dar ao seu público uma história que eles já não saibam? Parece que todo mundo no planeta assiste esse jogo. Como você pode dar aos seus leitores algo novo? E realmente, como você pode se diferenciar de centenas de outros jornalistas que também estão cobrindo o jogo?

É certamente um desafio, mas todos os jornalistas e repórteres esportivos deveriam experimentar. É o “Super Bowl” para redatores também – não perca a oportunidade.

Aqui estão 10 dicas para cobrir grandes eventos esportivos:

1 – O que não se pode ver (ou ouvir) do seu sofá de casa?

Uma história jogada a jogada não vai funcionar – você não está dando a seu público qualquer coisa que eles já não saibam. Em vez disso, leve aos seus leitores os bastidores.

Como é o ambiente no estádio? Qual é o humor nos vestiários? Será que o estádio balançou quando o touchdown da vitória foi marcado? Qual o cheiro? Qual o som?

Dê a seus leitores um crachá de imprensa virtual e leve-os para partes da arena onde eles normalmente não estão autorizados a entrar.

2 – Não escreva o óbvio

Cada repórter escreverá a história sobre o jogador mais importante (MVP). Separar-se. Escreva sobre jogador mais subestimado do jogo. Dê a seus leitores a história por trás da parte mais importante do jogo.

Encontre uma história única que não será contada em qualquer outro lugar.

3 – Use aspas de “pessoas”

Treinadores amam comentários de treinadores e jogadores amam opinião de jogadores. “Demos 110 por cento… deixamos tudo em campo… realmente vieram juntos como uma equipe… os nossos rapazes realmente conseguiram isso hoje”.

Super Bowl - 10 Dicas para Jornalistas em Cobertura Esportiva

4 – Faça Melhores Perguntas!

Boas perguntas levam a boas respostas. Não inicie uma pergunta com “fale sobre…”. Isso apenas dá ao entrevistado caminho livre para falar sobre o que ele quiser.

Faça uma pergunta incisiva: Qual foi a peça fundamental que levou a conquista do jogo?

Não dê em sua pergunta qualquer espaço para manobra. Seja específico em suas perguntas. Evite perguntas óbvias, como “qual é a sensação de ganhar? ”. Em vez disso, pergunte “qual foi o pior momento da temporada? ”. Leve-os para contemplar todo o percurso. Direcione para que eles contêm uma história.

Nesse momento, atletas e treinadores provavelmente não lhe oferecerão outra coisa que não seja “É ótimo, nós trabalhamos duro, blá blá blá.” Faça sua lição de casa e vá fundo para conseguir as melhores entrevistas e citações.

Em vez comentários inúteis, cave para conseguir citações que mostrem um lado mais emocional. A raiva, a dor, alegria – uma grande citação capta a sensação do momento.

Continue fazendo perguntas até que alguém dê uma resposta “humana”. E isso me lembra…

5 – Não entreviste torcedores

Não. Por favor. Isso vale especialmente para repórteres de TV. Essas entrevistas raramente fornecem qualquer novidade.

6 – Não tweet apenas para twittar

Viver twittando grandes eventos esportivos é uma prática duvidosa. Muito provavelmente, você está apenas entupimento o feed de alguém. Lembre-se, as pessoas também estão assistindo.

Se você estiver indo twittar durante um grande jogo, ofereça a sua visão. Se você é um expert, dê a sua opinião. Mas cuidado com *hot takes. Não fura de um apuro para voltar duas horas mais tarde e dizer “eu avisei”.

Em vez de um *hot take, dê um comentário informativo. @BillBarnwell da ESPN é um bom exemplo de como fazer isso bem. Durante um recente jogo do Panthers-Seahawks, ele colocou em seu Twitter alguns fatos interessantes. Os fãs de esportes amam suas estatísticas e fatos interessantes.

*hot take: termo usado ironicamente no jornalismo para descrever um comentário superficial e óbvio.

Além disso, se você tem uma opinião forte, dê seu contexto ou explique-a. E esteja preparado para sua repercussão. Só não entre em uma guerra no Twitter.

7 – Evite coletivas pós o jogo (media scrums)

Que nova informação você pode conseguir cercado por outros 50 repórteres que também estão no as querem nos 45 do segundo tempo? Procure os jogadores que querem conversar por iniciativa própria. No media day, fale com o atacante que sentarem na bancada. Ele pode ter uma história interessante que ninguém mais vai relatar.

Tom Brady e Peyton Manning terão a maior concentração de mídia, mas eles oferecem alguma coisa nova ou substancial? O artilheiro da equipe pode abrir se você lhe dar uma chance.

E você nunca saberá, mas ele pode acabar como a estrela do jogo. Quantos repórteres escreveram uma reportagem sobre Malcolm Butler antes do Super Bowl do ano passado? Meu palpite é: não muitos.

8 – Não é sobre você

Ninguém se preocupa com as dificuldades de um repórter. Mantenha a história do jogo, os jogadores, a atmosfera… isso nunca deve ser sobre você.

Você está no Super Bowl. Ninguém sente pena de você porque a comida fede na sala de imprensa. Ou porque um treinador foi ruim com você.

Se você estiver escrevendo uma coluna, você pode fornecer citações ou escrever na primeira pessoa, mas mantenha o foco no jogo.

9 – Coloque o dicionário de sinônimos longe

Você não precisa de grandes palavras para escrever intelectualmente sobre um jogo. Seja criterioso, engraçado, seja novo – apenas não pense.

Não tente provar para seu público que você é inteligente. Se o leitor tem que pensar sobre o significado de uma palavra, isso leva para longe a sua mensagem.

Seja direto com seus leitores – se você está pintando um quadro, faça-o de uma forma clara e viva. Se os leitores têm de adivinhar o significado de sua história, você já perdeu a mão.

10 – Não seja o juiz, júri e carrasco

Evite fazer juízos gerais, especialmente no momento. Você não é o delegado. Você não fala por cada pessoa de seus leitores.

Uma das piores coisas que um repórter pode fazer é condenar um atleta ou treinador imediatamente depois de um jogo. As emoções são fortes no vestiário pós jogo. Tenha isso em mente.

Forneça contexto para cada citação controversa. Veja todos os ângulos da questão. Repórteres devem ser firmes, mas lembre-se de ser sempre justo. Seus leitores esperam isso de você.

PR NEWSWIRE FOR JOURNALISTS

Procurando por notícias Super Bowl ou outro conteúdo relacionado a esportes? Podemos criar uma um newsfeed personalização da PR Newswire para você. Isso é fácil. Inscreva-se em PR Newswire for Journalists hoje mesmo.

Texto traduzido do Blog Beyond Bylines, publicado por Ryan Day no dia 03 de fevereiro de 2016. Ryan é Gerente de Customer Content Service na PR Newswire.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Advertisements

Sobre PR Newswire
Distribuição de Press Releases e Monitoramento de Notícias. Distribución de Comunicados de Prensa y Monitoreo de Medios.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s