Tendências de Marketing 2016: Native Advertising e Mais


Espere para ver muito mais sobre Native Advertising em 2016. Na verdade, o AdAge divulgou informações do recente relatório da eMarketer, que prevê que os gastos com publicidade nativa devem chegar a $8,8 bilhões até 2,018.

“Você vai se deparar com Native Advertising, mas você nem sabe o que é isso”.
– Carla Buzasi, Editora Chefe da AOL e The Huffington Post no Reino Unido

Tendências de Marketing 2016: Native Advertising e Mais

O que é o Native Advertising ou Publicidade Nativa?

Hubspot define o Native Advertising como conteúdo patrocinado relevante para a experiência do consumidor que é ininterrupto e se parece ao conteúdo editorial em seu ambiente.

Embora possa parecer com Content Marketing, não poderia ser mais diferente. Marcas querem que sua Publicidade Nativa se pareça o máximo possível com o conteúdo do site de terceiros para que ele não atrapalhe a experiência do usuário.

The Content Marketing Institute simplifica; se você pagar para a publicar, é publicidade. Se você pagar para a publicar conteúdo valioso e relevante em um formato semelhante ao site de terceiros, é Native Advertising.

A primeira vez que recebeu atenção foi em 2012, desde então a Publicidade Nativa está provando ser mais bem-sucedida do que a publicidade online tradicional, com pessoas vendo os Native Ads 53% mais frequentemente do que os anúncios tradicionais. De acordo com VentureBeat.com, o formato publicitário está substituindo os banners em celular, fornecendo uma melhor experiência do usuário, maior flexibilidade no posicionamento e estilo, receber CTRs mais altos e conseguindo mais atenção do público.

1º Case. The New York Times & Netflix

Com o lançamento – em janeiro de 2014 – de conteúdo patrocinado, o The New York Times publicou um post, “Mulheres presas: Por que o modelo masculino não funciona”, para promover o lançamento da segunda temporada da série original da Netflix, Orange is the New Black. O artigo compartilha muitas questões enfrentadas por mulheres na prisão e que também são abordadas na série, com layout idêntico de uma publicação normal do NYT. Assim, ele permite que a experiência dos leitores permaneça ininterrupta enquanto faz o anuncio para o público.

Mulheres presas

“A única menção à Netflix, fora do rótulo claro que é de patrocinadora, é o tema “inspirado” em sua série, Orange is the New Black”, disse Tom Foran, CRO da Outbrain. “Então, é fundamental que ele evite ser autopromocional”.

2º Case. The Globe and Mail & GE Canadá

conteúdo patrocinado

Após um programa piloto bem-sucedido em abril de 2014, em parceria com a GE Canadá, The Globe and Mail decidiu lançar um programa de conteúdo patrocinado em todo o seu site móvel e desktop. (Marketing Mag 2014) A campanha GE foi escrita pela equipe da Globe e incluiu artigos, infográficos e vídeos – isso garantiu que o estilo da escrita, embora o conteúdo sendo patrocinado, tivesse o mesmo estilo como o a escrita da publicação e permitisse uma experiência de leitura fluente.

3º Case. BuzzFeed & Girls

BuzzFeed, numa promoção paga da série Girls da HBO, criou um post em tipo de lista, “10 sentimentos que toda menina NYC tem pelo menos uma vez”. Já que o post foi escrito no estilo popular BuzzFeed, o artigo não distrai a experiência do usuário no site, mas foi claramente uma promoção da série, como é pode ser visto nas primeiras frases.

menina NYC

4º Case. First & Long da SB Nation & Nike

Outbrain vê essa como uma de suas campanhas de publicidade nativa favoritas, onde seis atletas profissionais de futebol participam de sessão de treinamento de futebol em sua antiga escola secundária, dando conselhos para as respectivas equipes. Uma série de vídeo, criada pela SB Nation e pela Nike, documentou as visitas de atletas profissionais. Eles também criaram vídeos mais curtos, os quais foram utilizados para construir anúncios, criar buzz e motivar outros atletas estudantis.

atletas profissionais de futebol

Dicas de Como Usar o Native Advertising

Embora a Publicidade Nativa só tenha cerca de três anos, The Huffington Post prevê que até 2025 essa será a forma preferida de publicidade, como a interação on-line aumentando a medida junto com sua revolução.

Se você está pensando em usar esta tática de Marketing, há algumas coisas que deve considerar. Aqui estão os cinco mandamentos do Native Advertising:

Dicas de Como Usar o Native Advertising

Não perca mais as tendências de Marketing e Relações Públicas para 2016! Inscreva-se em nosso site.

Texto traduzido do post escrito por Amy-Louise Tracey no Blog Beyond the Wire, no dia 08 de dezembro de 2015.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Anúncios

Sobre PR Newswire
Distribuição de Press Releases e Monitoramento de Notícias. Distribución de Comunicados de Prensa y Monitoreo de Medios.

2 Responses to Tendências de Marketing 2016: Native Advertising e Mais

  1. Pingback: Top 5 – Tendências para Mídia Social 2016 | Blog PR Newswire Brasil

  2. Pingback: 7 Tendências de Relações Públicas para 2016 – Forbes | Blog PR Newswire Brasil

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s