Conteúdo de Qualidade Conduz as Buscas Online e Visibilidade


Conteúdo de Qualidade Conduz as Buscas Online e Visibilidade

De acordo com o estudo anual Ranking Factors Study do Searchmetrics, o Google fez algumas grandes mudanças na forma como seu algoritmo avalia o conteúdo e atribuir classificação nas buscas. A qualidade do conteúdo é o tema recorrente do estudo, que oferece importantes lições e oportunidades para os profissionais de marketing de conteúdo, relações públicas, blogueiros e qualquer pessoa que publica conteúdo digital na web.

PR & SEO – Still Driving Discovery

Leitura Relacionada: PR & SEO – Still Driving Discovery

“Alta qualidade e conteúdo relevante é cada vez mais o foco das pesquisas. Este tipo de conteúdo é classificado melhor que a média, e é identificável por meio de alguns fatores, tais como o maior número de palavras e texto semanticamente abrangente, bem como, muitas vezes enriquecido por outras mídias, como imagens ou vídeo”.  – Searchmetrics 2014 Ranking Factors Study.

SINAIS HUMANOS

Antes de mergulharmos nas táticas, primeiro precisamos olhar os sinais que indicam a qualidade do conteúdo para o Google.  No topo da lista está uma métrica que é nova para os dez principais fatores – a taxa de cliques (Click Through Rate ou CTR). Esta é uma mudança importante e enfatiza a importância de ações do usuário como indicadores de qualidade. A maioria dos fatores no ranking de busca é derivada de sinais sociais, e como a taxa de cliques, elas também indicam a qualidade do conteúdo. Ações do usuário e sinais sociais são consequência de interações humanas com o conteúdo, o Google está assumindo que as pessoas não vão gostar, compartilhar, publicar ou clicar em um conteúdo que elas não consideram útil ou interessante.

NA PÁGINA DE CONTEÚDO

Além da interação com o usuário, o Google também está avaliando o conteúdo na página. No entanto, os elementos valiosos para Google nas páginas mudaram drasticamente.

Ênfase em conteúdos longos é uma dessas mudanças. Há uns dois anos, muitos conteúdos foram desaprovados.  Hoje, o inverso é verdadeiro. O público está mostrando mais disposição, e até mesmo desejo, de consumir conteúdos extensos. Estudo de caso – Confira a popularidade dos longos monólogos de John Oliver no seu novo programa, Last Week Tonight. Numa época em que o jornalismo vem diminuindo a amplitude e profundidade, os monólogos de Oliver sobre a neutralidade da rede, regras de rotulagem de alimentos e jogos de azar em Cingapura parece ser um fracasso na certa. Mas, em vez disso, são grandes hits.

VISUAL

Conteúdo de Qualidade Conduz as Buscas Online e VisibilidadeNo início deste ano, compartilhamos os resultados de nossa análise de formatos de press releases, e concluímos que o conteúdo que inclui vários elementos visuais geram números significativamente mais visualizações online do que os com apenas texto.

O estudo Searchmetrics reforça nossas descobertas, apontando que as páginas da web com mais imagens por página conseguem melhor posicionamento nos resultados de pesquisa. “Fotos e vídeos não só tornar o texto mais atraente para os usuários, mas para o Google, esta tendência pode se desenvolver de forma positiva e ser limitada a certo nível”, concluíram os autores, indicando que recursos visuais tendem a exercer seu poder nos rankings de busca nos próximos anos.

DICAS PRÁTICAS PARA OS CRIADORES DISTRIBUIREM SEU CONTEÚDO:

É hora de falar sobre as melhores práticas para o conteúdo destinado a distribuição ou hospedagem em outros sites que não são o principal da marca, tais como comunicados de imprensa enviados por uma agência de notícias, conteúdo para compartilhamento em redes sociais e artigos e posts em blogs convidado destinados a sites de terceiro.

Incentive os cliques (CTR) com uma chamada clara e visível para a ação. Mesmo essa sendo uma velha tática dos blogueiros, muitos profissionais de Relações Públicas não pensam em incorporar call to action nos comunicados de imprensa que emitem. Mas deveriam, por que quando você distribui um press release on-line por uma rede como a da PR Newswire, a sua mensagem aparecerá em centenas, senão milhares de sites diferentes. Incorpore um call to action, na forma de link, no topo da página (Eu prefiro colocar a chamada logo após o primeiro ou segundo parágrafo). Crie um link direto para seu website. Algumas dicas para não ter como errar:

  • Limite o número de links. Muitas vezes eu vejo press releases saturados de links. Ofereça aos leitores uma escolha clara de canais em direção a uma página específica. Vários links espalhados pelo comunicado de imprensa (especialmente no primeiro parágrafo) é uma distração e um desligamento para os leitores. Além disso, isso pode ser visto como spammy pelos buscadores. Menos é mais quando se trata de links.
  • Não link sua home page em qualquer lugar do press release, exceto no boilerplate. Em vez disso, envie os leitores para páginas específicas e relevantes que oferecem mais informações ou um próximo passo para eles. Não despeje o seu leitor na home page do seu site para obrigá-los a encontrar mais informações relacionadas com o press release que foi distribuído.
  • Para o link mais importante, você deve usar o call to action. Use a URL completa, não um link incorporado. Alguns sites não publicam links incorporados, deixando os internautas sem nenhum lugar para clicar. Usar uma URL curta ou customizada torna mais fácil acompanhar as importantes taxas de cliques (Click Through Rate).

Inclua múltiplos recursos visuais. Além de se beneficiar com a visibilidade nos buscadores, diferentes opções visuais captam mais a atenção para a mensagem. Por quê? Nós somos criaturas visuais, somos atraídos por imagens. Além disso, cada imagem ou vídeo que você inclui na sua mensagem, carrega seu próprio potencial para gerar visibilidade. Isso quando as pessoas compartilharem os elementos visuais individuais, como fotos, que estão aplicadas na sua mensagem. Criando novos caminhos e links que trarão mais pessoas para ver a sua história.

Escreva naturalmente usando uma mistura entre palavras-chave e siglas relacionadas. Por exemplo: Eu escrevo sobre press releases, muito! Ao invés de usar as palavras “press release” sempre e sempre, eu uso sinônimos como “comunicados de imprensa”, “anúncios”, “mensagens”, “notícias” e “conteúdo”. Isso tem dupla finalidade: Tornar minha escrita mais fluente para os leitores e injetar terminologias adicionais que aumentam a relevância do conteúdo. Dando ao Google mais informações sobre o assunto na página.

Vá fundo. Esse post superou 1.200 palavras. Quando eu comecei a escrever, blogs de melhores práticas sugeriam que as mensagens deveriam ser um pouco mais curtas, geralmente o comprimento padrão que eu usava era de 300 palavras. Agora estou expandindo o meu pensamento e produzindo conteúdo em posts mais longo, e eu estou usando a mesma tática para press releases emitidos pela empresa – quando possível, eu incluo citações, informações e outros conteúdos relevantes, o público pode achar interessante. Não estou me distanciando ao acrescentar algumas centenas de palavras a mais. O melhor do Google está no formato longo, isso nos dá permissão (e incentiva) para que possamos explorar e expandir nossas ideias em profundidade.

*Uma nota importante: Só porque o conteúdo é longo não significa que ele automaticamente irá gerar mais visibilidade. Comprimento não significa nada se o conteúdo não for robusto.

A qualidade do conteúdo que uma marca publica pode ter um profundo efeito não apenas sobre a visibilidade da mensagem ou de sua reputação online. Conteúdo de qualidade pode produzir sinais que ajudarão a conduzir o site para o topo da página de resultados de busca. E ao longo desse caminho, conteúdo editorial de qualidade ajudará as marcas a ganharem mídia espontânea, influenciar no processo de compra dos consumidores e contribuir para o compartilhamento social e para ações dos internautas que amplificam as mensagens e histórias da marca dentro de novos públicos. O resultado? Visibilidade duradoura para a mensagem e mais retorno sobre o investimento em Relações Públicas e Marketing.

Este texto foi traduzido do post escrito por Sarah Skerik no Blog Beyond PR, no dia 01º de outubro de 2014.

Sarah Skerik é Vice-Presidente de Comunicação Estratégica da PR Newswire, e autora dos e-books Driving Content Discovery e  New School Press Release Tactics.  Twitter: @sarahskerik.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Anúncios

Sobre PR Newswire
Distribuição de Press Releases e Monitoramento de Notícias. Distribución de Comunicados de Prensa y Monitoreo de Medios.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s