Hiperindividualização, Novas Tecnologias, Consumo e Filosofia


Coloque todos esses “ingredientes” em um caldeirão de pensamentos. Essa mistura acontecerá amanhã no 23º Congresso de Marketing da ADVB.

Hiperindividualização, Novas Tecnologias, Consumo e Filosofia

O sociólogo e filósofo francês Gilles Lipovetsky, participante desse encontro em Porto Alegre, é um dos pensadores contemporâneos mais influentes sobre luxo e consumo. Gilles é especialista em analisar as questões que permeiam a sociedade consumista e de aparências em que vivemos. Aproveitando a ocasião, Laura Schenkel do jornal Zero Hora, entrevistou o filósofo francês sobre algumas questões que atualmente cercam nossa sociedade. Intitulada “Estamos cansados de tantas novidades”, afirma o filósofo Gilles Lipovetsky”, a entrevista passa por temas como a aceleração do ritmo de vida das pessoas, hiperindividualização e política. Abaixo alguns pontos desse bate papo “franco-brasileiro”:

RITMO DE VIDA E CONSUMO. Para Gilles, a demanda por novidades cria nas pessoas o sentimento de que estamos sempre cansados. Fazemos varias coisas ao mesmo tempo, somos indivíduos multitarefas. Essa rotina acelerada faz com que as pessoas busquem alternativas para retomar a paz interior. Ioga, religiosidade, massagem, spa e outras formas de relaxamento estão se tornando uma pratica cada vez mais frequente em grandes centros urbanos espalhados pelo mundo. O sociólogo afirma que essas atividades, embora pareçam contrarias ao consumismo, na verdade estão a ao seu serviço. Buscamos essas alternativas para conseguir mais performance.

“O homem moderno tem necessidade de emoção e, para a maioria das pessoas, isso passa pelo consumo”.

HIPERINDIVIDUALIZAÇÃO. Diferentes de tempos atrás, diariamente nos deparamos com novidades. Novos hits musicais, modelos de smartphones, milhões de textos e notícias on-line publicadas a cada segundo. Apesar da oferta que temos hoje, as pessoas estão passando a querer “mais do mesmo”. Escutam sempre as mesmas músicas, procuram as mesmas informações e consomem sempre as mesmas coisas. Gilles Lipovetsky define isso como o risco dessa hiperindividualização. Esse é o contraponto do consumismo, em sempre gerar novas possibilidades.

Com esse “start” para discussão, leia a entrevista na integra no site do Jornal Zero Hora: Estamos cansados de tantas novidades”, afirma o filósofo Gilles Lipovetsky. Ou, se você estiver em Porto Alegre, participe do 23º Congresso de Marketing da ADVB e depois não deixe nos contar sua experiência comentando esse post.

Por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Advertisements

Sobre PR Newswire
Distribuição de Press Releases e Monitoramento de Notícias. Distribución de Comunicados de Prensa y Monitoreo de Medios.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s