Content Marketing e RP: Potencializando as Ferramentas de Marketing com os ganhos de Mídia


Este texto foi traduzido do post escrito por  no Blog Beyond PR, em 26 de fevereiro de 2013.

Robert-headshot-2011-color-medium-1-150x150Como principal líder de estratégias do Content Marketing Institute (juntamente com alguns profissionais de empreendimentos) Robert Rose é um renomado especialista em todas as coisas relacionadas a marketing de conteúdo. Recentemente, nós pedimos ao Robert para compartilhar sua opinião a respeito das Relações Públicas e suas relações com o marketing de conteúdo, e o resultado foi cheio de dicas e boas percepções. Esperamos que gostem!

 Marketing de Conteúdo… 

PR Newswire:  Qual é a primeira coisa que vem a sua cabeça quando você escuta o termo Marketing de Conteúdo…  ?

Robert Rose: Bem, a primeira coisa que me vem à cabeça é “meu trabalho”. Mas, o segundo pensamento é de como os profissionais do marketing estão usando conteúdos orgânicos e dinâmicos storytelling para afetar positivamente os resultados dos negócios.

Relações Públicas…

RR: A principal prática está sofrendo mudanças fundamentais. Eu sou um enorme e apaixonado fã de Relações Públicas. Mas, eu acho que a prática de Relações Públicas está perdendo um pouco seu foco, especialmente, porque diz respeito ao ser corporativo “storyteller”. Se há um grupo que deveria estar adepto às idéias do marketing de conteúdo , é o grupo de relações públicas. E, infelizmente, já que em muitos casos os profissionais de RP perderam espaço dentro das corporações (exceto nos casos de gerenciamento de crise) o departamento de RP é um dos últimos a realmente se engajar ao marketing de conteúdo.

Robert's dog

Daisy Rose, via BigBlueMoose on Flickr.

RR:  Oh meu Deus, você está “tentando”  colocar fotos do meu cachorro aqui, não está?

PRN:  Sim, nós estamos.

PRN: Quais são os paralelos entre marketing de conteúdo e RP? (O que Relações Públicas fornece ao marketing de conteúdo e vice versa?)

RR: Eu estou lendo um ótimo livro no momento chamado “PR!” de Stuart Ewen. Basicamente, é a história da prática de RP. Neste livro, há uma frase usada frequentemente descrevendo como “imagens usadas na persuasão” são a base de Relações Públicas . Isso está diretamente relacionado com o marketing de conteúdo é claro. A dúvida para marketing de marcas e marketing de produtos é como eles podem contar a vasta história de uma marca/produto para preencher o bem-estar emocional dos clientes, com a intenção de mudar ou melhorar seu comportamento. Esses objetivos são idênticos.

PRN:  Na sua opinião, qual o maior equívoco sobre RP?

RR: Eu acho talvez seja separar RP de marketing. Um programa de RP bem integrado é muito mais do que somente relação com investidor e/ou enviar conteúdo (news releases) para o espaço de publicação ou mais do que emitir um release “social” que simultaneamente uma conta do twitter ou um blog distribui seus últimos press-release. Um programa de RP bem integrado é um dos principais componentes para contar uma ampla e valiosa história. A oportunidade é realmente aproveitar os ganhos de mídia para potencializar outras partes das ferramentas de marketing.

an integrated PR program

PRN: Se praticantes de RP estivessem sentados do outro lado da mesa com você  agora mesmo, qual conselho você daria à eles, sobre como eles poderiam ajudar suas respectivas empresas a aumentar os resultados de suas estratégias de conteúdo?

RR: Bom, é um assunto mais amplo do que este formato permite, e provavelmente seriam necessárias boas bebidas para discutir isso. Mas, aqui vai um pequeno conselho. O poder do serviço de distribuição hoje está sendo desperdiçado pela maioria das empresas. Em algum lugar do tempo, as empresas tiveram a ideia de que existia apenas uma maneira de escrever um press-release, e todos nós “engolimos” essa. Por que toda leitura de press-releases é feita como leitura de press-release. Imagine se nós (como profissionais de marketing ou RP) escrevêssemos um artigo que nós quiséssemos que um veículo publicasse, o serviço de distribuição ainda assim iria distribuí-lo. Não é necessário falar de forma corporativa ou branda, “Nós estamos orgulhosos de anunciar que blah blah blah”. Vamos começar a escrever conteúdos comprometedores e engajados, e usar o serviço de distribuição como um mecanismo para conseguir histórias fora do formato do mercado de trabalho.

PRN:  Quais oportunidades ou benefícios existem para organizações em que os departamentos de RP e marketing trabalham na colaboração conjunta da estratégia de conteúdo?

RR: A principal oportunidade e benefício é a verdadeira coesão da história através do pagamento, ganhos e domínio de mídia. Os colegas de “The Altimeter” estão fazendo um excelente trabalhando nesta questão, eu gostaria de incentivar qualquer um a ler o trabalho deles sobre este assunto. Mas francamente, se você está interessado no ROI do Marketing de Conteúdo, muito dessa parte tem a ver com estar disposto a alavancar uma coerente história ao longo destes canais de comunicação. Por exemplo, se olharmos para a Coca-Cola e seu marketing de conteúdo. Eles produziram um pequeno conteúdo com a câmera de segurança, que ficou muito popular no Youtube. Muito bom o conteúdo, certo?  Bem, sim, exceto pelo fato de que já tinham usado como uma propaganda para o Super Bowl (depois eles entenderam que já havia sido sucesso no Youtube) e eles conseguiram muitos ganhos de mídia em veículos que faziam a cobertura do evento. Pagar, ter ou ganhar pelo Conteúdo de Mídia dá muito mais trabalho para as empresas justificarem o custo para criação de grandes conteúdos impactantes.

PRN: Há uma ou duas empresas que você pode dizer que atingiram o sucesso em ambos os departamentos, marketing e RP, levando em conta que precisando atingir todas as metas com seu conteúdo enquanto trabalhavam com um orçamento limitado?  

RR: Sim, com certeza, como dito anteriormente, a Coca-Cola está fazendo um trabalho de conteúdo como ninguém. Também, é claro, você não pode evitar de mencionar Red Bull, que as pessoas descreveram como uma empresa de mídia que também vende bebidas em lata. Mas, eu também gostaria de destacar as empresas B2B como SAS e a SAP, que estão fazendo um excelente trabalhando com o conteúdo e o storytelling. E, finalmente, State Farm Insurance e o seu trabalho com o vídeo do peru frito do William Shatner que é um excelente exemplo de marketing/RP, se tornando um grande marketing de conteúdo.

state farm

Autor: 
Fonte: Blog Beyond PR

Traduzido e adaptado por Bruno Sutero, Pesquisador de Mídia
PR Newswire

Anúncios

Sobre PR Newswire
Distribuição de Press Releases e Monitoramento de Notícias. Distribución de Comunicados de Prensa y Monitoreo de Medios.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s