Desafio do Balde de Gelo – 3 Passos para um Viral de Sucesso

ice bucket challenge

A menos que você viva dentro de uma caverna sem uma conexão Wi-Fi, já deve ter visto notícias sobre o viral de sucesso do ALS “Ice Bucket Challenge” (Desafio do Balde de Gelo). Nossas redes sociais estão cheias de amigos, familiares e celebridades virando baldes de água com gelo na cabeça e desafiando outras pessoas a doar para a ALS ou submeter-se a uma ducha gelada.

 

Os resultados são bastante surpreendentes. A Fundação ALS informa que as doações aumentaram nove vezes durante o desafio, e a organização está, sem dúvida, ganhando novos doadores e apoiadores para a sua missão.

Há muitas causas além desta pela qual as pessoas são apaixonadas, e muitas outras instituições de caridade também fazem um bom uso das redes sociais, o que nos levanta a uma questão: Por que a pesquisa da ALS está recebendo tanta visibilidade (e doações)? As respostas são realmente muito simples.

#1. Vídeo é o coração da propagação viral. Os participantes postam vídeos – alguns encenam no calor do momento o seu banho pelo Facebook, YouTube, Twitter e outras redes sociais. O vídeo é o formato visual mais impressionante, e a comunicação apresentando elementos de vídeo tem uma vantagem sobre outros tipos de mensagens.

#2. Interação pessoal, e a pressão dos colegas – são incorporadas ao desafio. Os participantes colocam no desafio outros nomes, e essas pessoas, então seguem o exemplo. A propagação viral não é apenas certa, ela faz parte da construção da trama da campanha.

#3. Licença Criativa, com uma “pitada” de competição. O público gera elementos que premiam a criatividade. Caso em questão – um colega e eu, que recebeu o desafio de um outro colega de trabalho estamos orquestrando um plano para nosso vídeo de resposta. Estamos determinados a abusar da criatividade em nossa resposta, o que provavelmente irá inspirar as pessoas que nomearemos a fazer o mesmo. O resultado? Uma mistura do conteúdo orgânico interessante e largamente variado.

Para comunicadores que planejam campanhas nas redes sociais ou em eventos ao vivo, mantenham esses três passos em mente. Com certeza estruturar o programa vai te ajudar e garantir o sucesso. Um apelo visual forte vai conquistar mais atenção do que apenas textos e construirá interatividade que incentivará a propagação viral e recompensas criativas. Obterá conteúdo de alta qualidade, que é mais provável de ser compartilhado.

Este texto foi traduzido do post escrito por  Sarah Skerik no Blog Beyond PR, no dia 21 de agosto de 2014.

Sarah Skerik é Vice-Presidente de Comunicação Estratégica da PR Newswire, e autora dos e-books Driving Content Discovery e  New School Press Release Tactics.  Twitter: @sarahskerik.

Traduzido e adaptado por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Marcas Aproveitam o Sucesso do App Anônimo Secret

Mesmo que você não seja muito ligado aos aplicativos do momento, provavelmente já deve ter ouvido alguma coisa sobre o Secret. Conhecido pelo anonimato, a aplicação é uma maneira de compartilhar com seus amigos o que você está pensando e sentindo. Nas últimas semanas o app se tornou uma febre, e caiu nas graças do público brasileiro.

Marcas Aproveitam o Sucesso do App Anônimo Secret

Onde há pessoas, há oportunidades de negócios. Assim como já aconteceu no Twitter, Facebook e Instagram, marcas colocaram a aplicação em suas estratégias de comunicação online e começaram a fazer publicações. O já conhecido “jeitinho brasileiro” de tirar vantagens quando se há uma oportunidade foi colocado em prática. Agências e marcas aproveitaram a popularidade do app anônimo para divulgar seus produtos, fazendo posts sobre o aplicativo anônimo e compartilhando imagens em outras redes sociais, como Facebook e Twitter, que fazem referência ao Secret.

O site da revista Exame publicou algumas imagens que retratam muito bem, como marcas e agências brasileiras estão usando o App para sua estratégia de comunicação.

Habib’s

A publicação foi criada pela Riot, agência Digital Full Service.

Marcas Aproveitam o Sucesso do App Anônimo Secret

Texto: Bib’sfiha teu cheiro me assanha.

Guaraná Antarctica

A publicação foi criada pela Espalhe, agência de Marketing de Guerrilha.

2 Guaraná

Texto: Já tomei Guaraná Antarctica o mais rápido possível pra não ter que dividir com ninguém.

Trident

A publicação foi criada pela Espalhe, agência de Marketing de Guerrilha.

3 Trident

Texto: Já coloquei um monte de Tridente na boca de uma vez para não ter que dividir com ninguém.

Porém, o aplicativo Secret tem o seu futuro inserto. Na semana passada, após denúncias, o Ministério Público determinou que a Apple, o Google e a Microsoft retirassem o aplicativo de suas lojas virtuais. Já que o app infringe alguns pontos constitucionais ligados ao anonimato e a privacidade.

E você? Conhece o aplicativo? Deixe o seu comentário.

Por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Instagram no Mundo Corporativo

O Instagram é a mídia que proporciona uma linguagem bastante informal, imediata e totalmente visual, justamente por trabalhar com imagens e vídeos rápidos. O usuário publica fotos que vão desde o café da manhã, comida que mais gosta, lugares que frequenta, selfies, viagens, compartilha com os seguidores, curte e comenta quem segue.

Introducing Video on Instagram from Instagram on Vimeo.

Por ser uma ferramenta prática e de fácil mobilidade, as empresas estão utilizando para divulgar suas marcas. O blog “Nancy Assad – Comunicação e Marketing” comenta: “Cada empresa deve desenvolver uma estratégia única, pois cada organização tem sua personalidade e oferece produtos e serviços diferentes.” E cita o exemplo da empresa Nike“…a Nike posta fotos de seus produtos; uma empresa ‘business to business’, que geralmente oferece serviços, pode postar fotos ou vídeos de processos criativos por trás de um job especifico”.

De acordo com o Blog a “Nike está no “top 3” de seguidores no Instagram com cerca de 2,4 milhões. A empresa alimenta a rede com fotos de produtos novos e em processo de desenvolvimento, pessoas utilizando seus produtos, eventos e atletas patrocinados por ela, além de vídeos esportivos, campanhas, etc.

Para o uso corporativo, as empresas devem ter em mente que existem algumas regras de boa conduta dentro da rede social. O site go2web publicou a matéria “Uso corporativo do Instagram – Saiba qual a maneira correta de sua empresa explorar o aplicativo como estratégia de marketing.” que pode facilitar o reconhecimento de tais regras.

Uma outra matéria publicada no portal PROXXIMA, a respeito da ferramenta, cita alguns dados a respeito da taxa de engajamento dos usuários: “…A taxa de engajamento por seguidor da plataforma é 4,21%, um número elevado se comparado ao Facebook (0,07%) e ao Twitter (0,03%).”

O Instagram se tornou uma mídia básica para o marketing de uma empresa. A utilização das mídias sociais no mundo corporativo tem feito marcas saírem de médias para empresas de grande porte. “Hashtag fica a dica!”

Por Adna Santana, Pesquisadora de Mídia
PR Newswire

Dicas de Como usar Recursos Visuais em Campanhas Online

De acordo com o Relatório de tendências da Internet 2014 da Meeker, um artigo comum consegue metade das interações sociais totais dentro de 6,5 horas no Twitter e 9 horas no Facebook.

Recursos Visuais Campanhas Online

 

Em outras palavras, o conteúdo envelhece rapidamente e os comunicadores têm apenas um breve momento para causar uma impressão memorável da marca em públicos navegando através de um fluxo interminável de informações nos newsfeeds.

Amy Binder, proprietária e diretora executiva de RFBinder Partners juntou-se ao vice-presidente sênior de marketing, Ken Wincko da PR Newswire, para uma mesa redonda exclusiva sobre o impacto crescente das comunicações visuais em campanhas integradas. A discussão explorou vários estudos de caso e táticas de sucesso que as marcas deveriam incorporar nas estratégias visuais de storytelling.

#1. CRIE UM FLUXO DE CONTEÚDO CONSTANTE

Especialização e tempo são dois dos principais desafios que os criadores de conteúdo estão enfrentando e que podem impedir a eficiência das campanhas.

62% dos marqueteiros estão construindo conteúdo na base de caso a caso”, cita Wincko no Relatório Forrester 2014, “mas o conteúdo deveria criar um relacionamento permanente”. Se o conteúdo for criado apenas na base do caso a caso, atenderá apenas uma pequena parte da jornada completa do comprador.

Para navegar entre esses obstáculos, os comunicadores podem reutilizar o conteúdo que já criaram e reformatá-lo para plataformas diferentes. Sites como CEO.com estão fazendo o uso de “charticles” (artigos gráficos), que essencialmente cortam o texto de artigos tradicionais pela metade e o substituem por tabelas e gráficos informativos e com apelo visual. Essas tabelas e gráficos têm vida própria na mídia social, bem como circulam em outros tipos de conteúdo como press releases e campanhas por e-mail.

charticle

#2. APROVEITE OS TRENDING TOPICS

Aproveite-se de um assunto do momento (trending topic) que se aplique à sua marca. A otimização da popularidade de um trending topic é uma ótima forma de atrair visitas ao conteúdo, mas o contexto de um trending topic tem que fazer sentido para a marca para evitar que pareça uma tentativa forçada de chamar a atenção. Binder aponta o infográfico recente com tema de Game of Thrones da Tide intitulado, “A Season of Stains” (Uma temporada de manchas) como um exemplo brilhante do uso de recursos visuais para desencadear engajamento de mídia e conquistar notícias. “A marca otimizou a cultura pop de forma inovadora capturando um conceito em voga e aplicando-o para seus negócios”, diz Binder do infográfico, que foi tuitado no dia seguinte do final de temporada, muito aguardado, da série de televisão. O contexto apresentava lógica perfeita; “manchas memoráveis” destacado no infográfico como sangue, terra e relva que se acumulam nos campos de batalha do Game of Thrones e são algumas das mesmas manchas que os pais lutam para remover das roupas dos filhos.

 

#3. TRANSMITA MENSAGENS RÁPIDAS E SIMPLES

Transmita a mensagem mais rapidamente mantendo a simplicidade. Nos preciosos segundos que as marcas têm para atrair o interesse do público, mensagens claras e concisas são as mais eficazes. “Se for simples pode ser digitalizada e vista ao mesmo tempo”, explica Binder. “Se quiser que eles captem o conceito o mais rápido possível, algo deve atingi-los”. O meme da Truvia “Keep Calm” é um exemplo de conteúdo visual simples porém eficaz. Contém identificação mínima com a marca e capta as paixões de seus consumidores com uma frase curta e memorável.

#4. INFLUENCIADORES ESTÃO EVOLUINDO Saiba quem são eles. Os tipos de interações que as empresas deveriam ter com os clientes são altamente dependentes do que a empresa está tentando vender, assim não há abordagem única em comunicação que atenda às necessidades de todas as marcas. É aqui que o poder dos relacionamentos fortes com influenciadores online, como bloggers, jornalistas, analistas e respectivas redes têm o maior impacto. As marcas devem ouvir seus influenciadores e obter uma ideia dos tipos de conteúdo que estejam procurando e aprender quem pode compartilhar esse conteúdo de modo a conquistar a credibilidade de terceiros. Binder lembra aos comunicadores que os influenciadores de uma marca podem mudar ao longo do tempo, do mesmo modo que seus sentimentos em relação a determinados tópicos também evoluem. Os comunicadores eficientes mantêm-se atualizados sobre quais são essas perspectivas e respondem a elas adequadamente.

 Truvia_Facebook

 

#5. SEM EXAGEROS

Binder observa que frequentemente as agências publicitárias que participam de mídia social tendem a ser parciais em relação a argumentos de vendas tradicionais que já não são mais eficazes. “No debate entre publicidade contra RP, RP vencerá”, declara Binder, “as pessoas não querem estar disponíveis para comprar, elas querem ser engajadas. Se venderem, vai contra tudo de que trata a mídia social”.

Os padrões dos recursos visuais estão se elevando agora que estão sendo criados conteúdos de melhor qualidade, o que significa que as marcas precisam equacionar novas formas de amplificar essas mensagens para que se destaquem. A chave é usar recursos visuais como modo de captar uma história que seja única para a marca, de modo a deixar uma impressão positiva e duradoura no público.

Nota apenas para membros da PR Newswire: você pode organizar os recursos visuais para implementação rápida e fácil usando Media Studio no Online Member Center. Clique aqui para criar uma galeria ou saber mais.

Este texto foi traduzido do post escrito por Shannon Ramlochan no Blog Beyond PR, no dia 07 de agosto de 2014.

Shannon Ramlochan é coordenadora de marketing de conteúdo da PR Newswire. Tuite para ela seus exemplos favoritos de conteúdo visual de marca @sramloch.

10 Dicas para Criar Infográficos de Sucesso

10 Dicas para Criar Infográficos Bem-Sucedidos

Os infográficos têm um papel cada vez maior nos projetos visuais para contar histórias. Quando são projetados racionalmente, eles apresentam recursos visuais que chamam a atenção e que também ajudam o leitor a compreender melhor e se lembrar da mensagem. Para o leitor, esse valor agregado estimula o engajamento e o compartilhamento.

Com base em minha experiência na criação de infográficos usados nos press releases, posts em blogs e apresentações da PR Newswire, aqui estão algumas dicas e boas práticas para criar infográficos que promovam resultados:

Fundamentos do projeto
Essas dicas aplicam-se a qualquer parte de um projeto para se chegar ao melhor resultado.

#1. Esboce primeiro, refine depois. Antes de se afundar em Photoshop, Illustrator, etc., faça o esboço de suas ideias no velho e bom papel. Meu processo começa, em geral, com um esquema aproximado ideias agrupadas. Assim que consigo a visualização inicial de meus próprios pensamentos, posso fazer ajustes rápidos em outro esboço de layout, antes de começar a trabalhar nos melhores programas da Adobe.

#2. Peça feedback. Como no caso das empreitadas mais criativas, ter os colegas de trabalho analisando o projeto pode ajudá-lo a tornar a peça ainda mais sólida. Frequentemente peço a opinião dos colegas de equipe não projetistas bem no início do processo para me assegurar que o conceito está sendo transmitido claramente. Volto a eles novamente no final para a sintonia fina.

#3. Comece em alta resolução. Sempre se pode reduzir a imagem, mas ampliá-la exige mais tempo e recursos.

Flexibilidade multiuso >>> Os infográficos podem assumir muitas formas e serem usados em diversos canais. Considerar esse aspecto no início do processo de projeto economizará tempo e dinheiro.

#4. Alinhe-se com a história. A primeira coisa a considerar é o motivo para criar essa imagem, apoiar a história numa campanha, post em blog, press release, etc.  As informações que compartilha no recurso visual devem se alinhar com o texto principal. Assegure-se de que os termos, a estrutura e o tom sejam consistentes para proporcionar apoio coesivo à história escrita.

#5. Fortaleça-o para torná-lo independente. Provavelmente você quer que os usuários compartilhem sua imagem na mídia social, assim ela precisa ter sentido sem o texto que acompanha a história. Tenha a certeza de incluir um título claro para indicar ao leitor o que esperar do gráfico. Se estiver direcionado para um público de nicho, assegure-se de esclarecer esse contexto no título ou subtítulo.

#6. Planeje usos alternativos. Todos temos recursos limitados, você não vai querer ocupar seu tempo ajustando seu incrível projeto a posteriori. Fique ciente sobre as variações comuns e planeje de acordo. Em geral, posso dizer que você deve estar preparado para estes dois cenários:

    1. Apresentações: Alguém na organização gostará de incluír o infográfico num conjunto PowerPoint em algum momento. Eu sempre me asseguro que os dados apresentados no estejam em layout paisagem, que pode ser facilmente cortado e colocado num slide.
    2. PDFs fáceis de imprimir: Seja para uso como garantia de vendas ou distribuição em evento, é provável que alguém queira imprimir o infográfico no futuro. Tendo isso em mente, começo os layouts em tamanho padrão de papel (8,5 polegadas x 11 polegadas), em alta resolução, deixando uma margem mínima de 0,25” de espaço em branco.

Fácil visualização >>> A tendência de visualização de dados que exigem rolagem longa, já esteve na moda e foi embora. Os leitores buscam rajadas curtas de conteúdo visual.

#7. Restrinja o foco. Mantenha o nível de atenção do público limitado, restringindo o foco visual para a essência da mensagem. Sua meta final deve ser transmitir claramente uma ideia. Se houver mais pensamentos e ideias que queira incluir, considere as seguintes opções:

  • Itens de apoio devem assumir uma posição visual sem importância em relação ao ponto principal. O olhar do leitor deve claramente fluir primeiro do título para a ideia principal.
  • Ideias semelhantes, mas igualmente fortes, podem se beneficiar de gráficos separados e próprios. Por que espremer tudo em um, quando se pode criar uma série curta.
  • Talvez um único infográfico não seja a melhor solução visual para a mensagem. Para ideias complexas e compostas, um vídeo pode ser mais compatível para transmitir a mensagem. Ou, para unificar uma série de infográficos, considere a criação de apresentação no Slideshare e/ou um PDF.

#8. Corte palavras em excesso.
Os infográficos devem sempre ser fáceis de visualizar e compreender rapidamente. Limite o texto de apoio a uma única sentença sempre que possível. Se for necessário um parágrafo para explicar um recurso visual, provavelmente este não é o recurso certo para ser usado. Mesmo que esteja criando uma lista de recursos visuais, a concisão continua a ser a principal prioridade.

Voltado para dispositivo móvel. Os públicos investem cada vez mais tempo nos smartphones e tablets e isso inclui ver o seu infográfico. Tenha certeza de que será bem fácil para eles visualizá-lo em dispositivos menores.

#9. Evite textos minúsculos. Não obrigue o público de dispositivo móvel a entrecerrar os olhos. Como regra prática, tento manter o texto de detalhe em ou acima de 12 pt (no arquivo original de 300 dpi).

#10. Leve em consideração as telas Retina. Embora as telas tenham se tornado menores, a resolução duplicou. Garanta que o trabalho não apareça tremido ou pixelado em tablets de alta definição, duplicando a largura e o comprimento padrão da especificação de 72 dpi. Por exemplo, se estiver publicando um gráfico no blog no qual o tamanho de imagem padrão é de 500X250, precisará gravar a imagem para 1000X500 com 72 dpi.

Agora que criou um infográfico de sucesso, assegure-se de conquistar a atenção que ele merece, promovendo-o em todos os canais “P.E.S.O.” – Paid, Earned, Social & Owned (pago, espontâneo, social e proprietário).

A PR Newswire oferece benefícios a membros que lhes permitem facilmente armazenar, organizar e incorporar recursos visuais em campanhas usando Media Studio no Online Member Center. Clique aqui para saber mais.

Este texto foi traduzido do post escrito por  Jamie Heckler no Blog Beyond PR, no dia 06 de agosto de 2014.

Jamie Heckler é Gerente de Criação Sênior da PR Newswire. Siga-a no Twitter em @jamieheckle.

YouTube quer Notícias e Parcerias com a Mídia

Perdeu aquela super entrevista na televisão, que você tanto esperava, por que chegou muito tarde do trabalho? Quer assistir os melhores lances do jogo da noite passada? Não assistiu ao lançamento do novo clipe da sua banda favorita? Alguns anos atrás, quando ainda éramos dependentes dos suportes analógicos, teríamos que nos contentar e esperar pelas aguardadas “reprises”.

YouTube quer Notícias e Parcerias com a Mídia

É um grande clichê dizer: “Hoje temos mais acesso ao conteúdo e a informação”, mas essa frase não poderia faltar nesse texto. Por outro lado, o maior site de armazenamento de vídeos da internet ainda não se deu por satisfeito.

O YouTube, reconhecido como um site de entretenimento e uma alternativa à tradicional televisão, pretende enriquecer o conteúdo jornalístico disponível em sua plataforma. Para isso, quer fortalecer a parceria com a mídia e veículos de comunicação.

A Diretora de Notícias do YouTube, Amy Singer, esteve no Brasil na semana passada no congresso sobre identidade digital e global de jornalismo da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo). Em entrevista ao Estadão, disse: “Notícia é importante para nós porque grande parte das buscas no site são relacionadas a isso”. Correspondendo a um terço do total de buscas.

O que é considerado Conteúdo Noticioso para o YouTube?

Segundo publicado, o conceito do que é uma notícia é amplo quando se trata do YouTube.

Notícia pode ser o conteúdo publicado em canais oficiais de veículos de comunicação, como CNN e BBC, ou um vídeo amador. Na era da comunicação digital, o espectador também cria. Imagens amadoras captadas por smartphones no local de um acontecimento e publicadas na plataforma podem virar notícia.

Alguns veículos de comunicação já mantém equipes responsáveis por vascular o YouTube em busca de vídeos.

Veículos de Comunicação – Canais Oficiais no YouTube

Muitas empresas jornalísticas mantém um canal oficial no site de vídeos do Google. Como é o caso da Tv Folha, canal oficial do jornal Folha de S. Paulo no YouTube que faz publicações diárias de vídeo notícias em média com 5 minutos de duração cada.

A Veja, revista de maior circulação em território nacional, também mantém ativo seu canal oficial no YouTube, chamado de Vejapontocom.

Até mesmo emissoras de rádio mantém contas ativas na plataforma. Como por exemplo, a rádio CBN que destaca comentários e entrevistas em suas publicações.

Se você não sabe por onde começar, e quer produzir, o YouTube também tem uma página dedicada para ensinar empresas e pessoas que querem se aventurar no upload de vídeos. Ou caso você mantém um site ou blog e pretende começar a fazer criações, vale a pena conferir todo o material disponibilizado pela plataforma.

Hoje a plataforma conta com mais de um bilhão de usuários únicos por mês. Cem horas de vídeo são enviadas ao por minuto. E 40% do tempo de exibição de seus vídeos são feitos via dispositivos móveis, como tablets e smartphones.

Por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

 

O “Clique Longo” – Métrica Importante para Comunicadores

Cliques longos são indicadores poderosos de qualidade de conteúdo. Indicador de qualidade de conteúdo, o “clique longo ou long click” revela se os usuários estão ou não verdadeiramente engajados com o seu conteúdo.

SEO Long Click PR

A comunicação digital é incrivelmente mensurável.  Os marqueteiros sabem que websites são uma ótima ferramenta para atrair tráfego de alta qualidade, além de saber quais as páginas de seus sites que melhor funcionam para converter visitantes em clientes. Muitos detalhes do comportamento do visitante antes, durante e depois da visita ao site podem ser capturados.  Mas a equipe de marketing não é o único grupo que fica de olho em como os públicos interagem com um website.  Os robôs (“spiders”) dos mecanismos de busca também estão prestando atenção.

Tendo em mente a mensurabilidade do conteúdo digital, vamos pensar na nova realidade das RP: A equipe de Relações Públicas responsável por contar de histórias e não simplesmente como porta-voz de boas notícias convocada para controlar crises ou produzir informativos.

O desenvolvimento de um fluxo de conteúdo útil e de qualidade que o usuário utilize é uma das formas mais eficazes de construir uma boa classificação nos buscadores, melhorar o engajamento do público e aumentar o fluxo de clientes.

Em todas essas considerações encontra-se a oportunidade de ouro para RP produzir impacto comercial significativo e mensurável a partir do conteúdo que a organização está publicando.

O “Clique Longo” – Oportunidade de Ouro para RP
De modo geral, acontecem duas coisas quando uma pessoa visita uma webpage: pode dar uma olhada rápida e sair em seguida ou permanecer por um tempo longo, consumindo o conteúdo da página e, possivelmente, até mesmo clicando em alguns dos links e interagindo ainda mais com o site.

No linguajar da web, o primeiro é uma rejeição (“bounce”) e é ruim.  De que serve atrair visitantes para o seu site apenas para vê-los sair em seguida? Na realidade, esse tipo de tráfego pode ser prejudicial para a classificação global do site em buscadores. Pois os mecanismos de busca consideram as rejeições como um indicador forte da presença de conteúdo de baixa qualidade no site.

O cenário oposto é chamado de “clique longo”. Se o conteúdo publicado por você estiver atraindo pessoas para o site que permaneçam na página e leiam os press releases, além de assistir a vídeos e clicar nos links, isso é bom por uma diversidade de motivos.  Acima de tudo, as pessoas que despendem todo esse tempo no site estão, obviamente, consumindo as mensagens.  Mais provavelmente elas se tornarão clientes e, no trajeto, elas tomarão outras medidas como marcar ou compartilhar o conteúdo do site ou interagir com as presenças de mídia bem sucedidas da marca, desenvolvendo maiores adesões.

Todos esses comportamentos são, também, sinais positivos que os mecanismos de busca anotam, indicando que o site está apresentando conteúdos de qualidade e sendo valorizado pelos visitantes.

Resultados que podem ser Mensuádos por RP
Os programas de análises da Web como Site Catalyst e Google Analytics medem o tempo que os visitantes passam em uma página.  Além disso, é completamente possível medir o tráfego originado de fontes específicas (como press releases, sala de imprensa online, etc.) e traçar algumas hipóteses sobre a qualidade desses visitantes observando o tempo nos dados da página.  Se estiver subindo, em geral, é um sinal muito bom.

As equipes de RP digital que estejam publicando conteúdo distribuído podem incorporar URLs curtas em press releases, postagens de blogs, artigos e outros conteúdos para medir o tráfego de volta para a página de destino no site da empresa, o que proporciona uma boa medida do referido diretamente pela mensagem de RP. Entretanto, pode-se ir mais além se for pedido, então, para as equipes da Web que analisem os dados de tempo na página dos visitantes. Em alguns casos, a equipe de análise pode ter condições de, até mesmo, isolar visitantes encaminhados para a página por partes específicas do conteúdo e comparar o tempo referente que os visitantes de RP permanecem na página, comparado com visitantes de outras fontes.

Isso permite que a equipe de RP defina um referencial que possa usar para medir esse sucesso em campanhas futuras e, também, para a definição de objetivos globais para o departamento.  Fazer uma notável diferença com cliques longos é, realmente, um resultado razoável em RP, porém outras organizações deveriam aderir essa atividade e mensurar seus resultados.

Este texto foi traduzido do post escrito por  Sarah Skerik no Blog Beyond PR, no dia 30 de julho de 2014.

Sarah Skerik é Vice-Presidente de Comunicação Estratégica da PR Newswire, e autora dos e-books Driving Content Discovery e  New School Press Release Tactics.  Twitter: @sarahskerik.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 45 outros seguidores