Quando Marcas devem se Desculpar nas Redes Sociais

As redes sociais são um ponto de encontro entre pessoas e marcas. Desde as mais conhecidas como Twitter, Facebook e Instagram até as plataformas mais recentes, não importa. Provavelmente você já encontrou alguma marca navegando por esses mares.

I'm Sorry

Assim como as pessoas, as marcas também estão sujeitas a fazer posts que não agradam a todos. Porém o problema está quando a mensagem desagrada a maioria.

Um caso recente é da companhia aérea U.S. Airways, que usa a rede social para se relacionar com clientes e para reservas de voos. Em meio a uma discussão no Twitter, a empresa americana publicou uma foto pornográfica em resposta para uma cliente. A ação repercutiu e ganhou força na plataforma.

Por estar fora do padrão de linguagem nas redes sociais da companhia e de bom senso, a U.S. Airways apagou o post e publicou uma retratação. “Pedimos desculpas por uma imagem inadequada recentemente compartilhada como um link em uma das nossas respostas. Nós removemos o tweet e estão investigando”.

 

Outro incidente um mais próximo da realidade brasileira, e menos pesado, foi o da marca de chocolates Cacau Show. A marca publicou em sua Fan Page do Facebook um post em tom de brincadeira que não foi muito aceito pelo público. A marca de chocolates dizia ter descoberto um novo recurso do Facebook que permitia sentir o irresistível sabor de seu chocolate. A imagem acompanhada da frase “Lamba aqui” não foi aceita por alguns usuários. Marcas concorrentes também aproveitaram a oportunidade com o deslize da marca.

 

Cacau_Show_Polemica

A Cacau Show também teve que se retratar e justificar a brincadeira. Em comunicado a empresa disse: “Entre os pilares editoriais do Facebook da Cacau Show está o de trazer diversão com ‘licenças poéticas’ bem humoradas”.

QUANDO AS MARCAS DEVEM PEDIR DESCULPAS NAS REDES SOCIAIS?

Você se sente confiante quando uma marca está constantemente se desculpando publicamente? Será que isso fará você pensar que essa é uma empresa que proporciona qualidade em seus produtos e serviços? Questões como essa foram levantadas por Rick Liebling, head of global marketing da Unmetric, especializada em mídias sociais. É preciso manter o holofote naquilo que você quer alcançar. Se sua empresa presa pela qualidade, não irá precisar se desculpar.

“Às vezes, a reação instintiva de fazer o pedido de desculpas pode tornar o problema maior do que precisava ser”, acrescenta Liebling – Tweet isso!

QUANDO AS DESCULPAS PODEM AGRAVAR O PROBLEMA

O erro das empresas que usam as redes sociais para se desculpar é entender que um post, desaprovado por algumas pessoas, reflita os sentimentos de todos seus seguidores ou fãs.

Muitas vezes os ataques aos posts de uma empresa são feitos por pequenos núcleos de pessoas. Quando uma empresa usa as redes sociais para se retratar, isso pode despertar a curiosidade do público em saber qual o seu motivo. Por exemplo, se uma marca com publica uma mensagem inicial e essa é desaprovada por um pequeno grupo entre seus fãs e seguidores, ao se retratar em uma segunda mensagem de desculpas ela maximiza o alcance da sua mensagem inicial, podendo despertar o interesse de outras pessoas em descobrir o motivo que gerou as desculpas.

A Cacau Show aproveitou seu pedido de desculpas para ressaltar que sua Fan Page busca trazer diversão com mensagens bem humoradas e com “licenças poéticas”. Pode ser que antes essa proposta não estivesse clara para seus fãs. E a marca aproveitou a oportunidade de reforçar sua linguagem e forma de interação no Facebook.

Se você administra uma Fan Page no Facebook ou é responsável por um perfil corporativo no Twitter, lembre-se de adequar seus post a linguagem adotada na comunicação da sua empresa e alinha-lo com seu posicionamento de mercado. Se você precisa pedir desculpas, é sinal que há alguma falha entre esses dois pontos. Quer dizer que é hora de revê-los.

Por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

 

Posts Curtos Recebem Mais Engajamento no Facebook

As redes sociais são um ambiente dinâmico e democrático. Embora cada uma com suas próprias particularidades e regras, quem realmente define seu uso são as pessoas. Um bom exemplo são as hashtags, que funcionam de forma diferente dependendo da plataforma social. No Twitter agrupam conteúdo de mesmo tema, enquanto em posts do Facebook costumam ser mais pessoais.

Facebook_engagement

Você sabia que enquanto um tweet deve ter 100 caracteres para gerar mais engajamento? No Facebook esse número é menor. Segundo o blogueiro e especialista em marketing digital, Jeff Bullas, um post no Facebook deve ter até 40 caracteres. Se você tem uma Fan Page e se relaciona com seus fãs, nessa condição sua mensagem terá maior probabilidade de interagir com o seu público. O mesmo acontece se você tiver um perfil para manter contato com seus amigos e familiares.

Jeff chegou a essa conclusão após estudar marcas do varejo no Facebook e medir o engajamento do público. Posts em até 40 caracteres obtiveram 86% mais interação do que posts que ultrapassavam esse número. Uma curiosidade em seu estudo é que apenas 5% das publicações tinham até 40 caracteres.

Um grupo de posts maior e mais comum tem até 80 caracteres. E consegue bons hits de engajamento, recebendo 66% mais interação de usuários do que mensagens maiores do que esse número.

Existem vários estudos que comprovam de diferentes métodos qual o número de caracteres que um post deve ter para gerar mais engajamento. Outro que merece atenção é o da BlitzLocal que estudou impressionantes 120 bilhões de impressões no Facebook. E descobriu que posts entre 100 e 119 caracteres é a melhor opção.

Se você administra uma Fan Page para manter proximidade com seus clientes, use essas dicas. Mesmo tendo três números distintos (até 40, até 80 e até 119), os dois estudos comprovam que posts curtos são mais eficientes e conseguem obter mais engajamento com o público. Não se esqueça de transmitir sua mensagem de forma clara adequada a sua estratégia de comunicação.

Por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

A Ofensiva do Facebook Contra os 3 Tipos de Post Spam

Embora alguns especialistas acreditem que as pessoas estejam deixando o Facebook, ou que os anunciantes estejam frustrados com o menor alcance orgânico de seus posts na plataforma, a rede social continua sendo a grande protagonista no ambiente digital.

Na semana passada o Facebook publicou em seu blog a última ofensiva para valorizar o conteúdo de qualidade para seus usuários. Com o nome de “News Feed FYI: Cleaning Up News Feed Spam”, o post expõem os três tipos de post que são considerados spam dentro da plataforma. Em resumo, esses posts são usados por Fan pages que tentam obter uma distribuição de conteúdo orgânica maior que o normal e a partir de agora serão combatidos.

Facebook_like-baiting-screenshot

Conheça os 3 tipos de Post Spam que serão combatidos pelo Facebook.

#1. Like Baiting

A pescaria de Likes. É quando um post pede ou induz os leitores o curtirem, comentarem ou compartilharem. A finalidade é promovê-lo e aumentar sua distribuição entre os usuários.

Como sabemos, diferente de quando seguimos uma marca ou empresa no Twitter, quando curtimos uma Fan page no Facebook não recebemos todas suas atualizações em nosso feed de notícias. Isso acontece por que o algoritmo da rede social pré-seleciona o conteúdo que acredita ser mais relevante para cada usuário. Porém quando uma imagem, frase ou link publicado por uma página no Facebook é recebe muitas interações do público, esse conteúdo começa a ser distribuído para mais e mais pessoas de forma orgânica, promovendo-o e aumentando seu alcance.

Porém os Posts “estilo pescaria” estão na contramão da estratégia da rede social. Promover pela qualidade e não pela quantidade. Segundo o Facebook, por meio de uma pesquisa com usuários, os posts Like Baiting são 15% menos relevantes do que outros posts que não usam essa tática de conteúdo com a mesma interação social.

A melhoria no Facebook, em atividade desde a semana passada, irá identificar e evitar que essas mensagens sejam mostradas nos feeds de notícia de seus usuários.

#2. Frequently Circulated Content

Posts compartilhados mais de uma vez. Geralmente você pode receber mais de uma vez o mesmo conteúdo. Suponhamos que você é fã de uma página e recebe em sua News Feed um conteúdo publicado por ela, depois de algum tempo, essa mesma página compartilha esse mesmo conteúdo uma segunda vez. Essa mensagem já não será muito útil para você.

O Facebook descobriu que posts repetidos tendem a ser menos relevantes. E pretende barrar esse tipo de publicação.

#3. Spammy Links

Os links mentirosos. Algumas publicações são além de uma mensagem, trazem um link. Geralmente sugerem que esse o link levará o usuário para uma página com mais informações sobre a publicação. Mas alguns desses links não são o que parecem. Levando os usuários a páginas completamente diferentes do assunto abordado no início.

A plataforma, com essa nova atualização que privilegiará conteúdos mais qualificados, tende por meio da interação do público, identificar links enganosos.

Essas mudanças vão de encontro à proposta da rede social de oferecer sempre o melhor conteúdo para as pessoas certas. Se você trabalha com comunicação ou redes sociais não se preocupe. Continue desenvolvendo seus posts visando a qualidade. Privilegiar o conteúdo e qualidade criará uma base sólida de fã fieis e crescimento sustentável para a sua Fan page.

Por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Selfies e Fotos de Rosto têm mais Engajamento no Instagram

Lançado em outubro de 2010, o Instagram se tornou uma das redes sociais e aplicativo de fotos mais populares no mundo. Hoje com mais de 150 milhões de usuários surfa na onda dos Selfies e já é adotado por muitas empresas em suas estratégias de conteúdo e marketing digital.

Selfies_Instagram

É muito comum vermos pessoas nas mais diferentes atividades do dia a dia, se autorretratando com as mais diferentes marcas de smartphones. Seja ao encontra um amigo na balada, naquela reunião de domingo com a família onde estão todos os primos ou naquele momento romântico com a nova namorada. Tudo vale para registrar o momento. Há pessoas que amam e outras que odeiam, mas a verdade é que os Selfies vieram para ficar.

Pesquisadores do Georgia Institute of Technology e o Yahoo Labs analisaram cerca de 1,1 milhão de fotos no Instagram. Eles descobriram que as imagens com rostos humanos são 38 por cento mais propensas a receber likes e comentários do que outros tipos de fotos.

O número de rostos, assim como idade das pessoas ou sexo, não interfere na interação do público. As fotos de jovens não são mais populares que as dos adultos, mesmo o Instagram tendo seu público concentrado em faixas etárias mais baixas. O estudo também constatou que homens e mulheres têm as mesmas chances de receberem likes e comentários em suas fotos.

Geralmente pessoas com mais seguidores conseguem mais engajamento em suas imagens. Porém fique atento, o estudo revela que quanto mais você posta no Instagram, menos interação você irá conseguir. É o que diz Saeideh Bakhshi estudante Ph.D que liderou o estudo, no Georgia Tech College of Computing.

 

Para aplicar a pesquisa, a equipe usou o escaneamento das fotos a partir de um software detector facial. Os pesquisadores não chegaram a determinar o porquê as Selfies e imagens de rostos conseguem mais engajamento, embora tenham alguns palpites:

“Assim como os bebês, as pessoas gostam de olhar para rostos”, disse Bakhshi. “Faces são poderosos canais de comunicação não- verbal. Nós os monitoramos constantemente em uma variedade de contextos, incluindo atratividade, emoções e identidade”.

Tendo isso em mente, redes sociais como o Flickr e Pinterest podem usar esse fator para aumentar o engajamento de seus usuários. Ao sugerir imagens com essas características, provavelmente irá aumentar a interação dos internautas dentro das plataformas.

Segundo o site Georgia Tech, os resultados finais do estudo “Faces Engage Us: Photos with Faces Attract More Likes and Comments on Instagram” serão apresentados entre 26 de abril e 01 de maio em Toronto no ACM CHI Conference on Human Factors in Computer Systems.

Se você administra uma Fan Page no Facebook ou trabalha com outras redes sociais, pessoais ou não, use esse estudo para aumentar a interação dos seus fãs ou seguidores. Desde que esteja alinhado com sua proposta de comunicação nos meios digitais.

Por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Instagram Valoriza Talentos da Fotografia Brasileira

Na última quarta-feira (2 de Abril), a marca Instagram lançou o perfil @InstagramBrasil, com o intuito de incentivar a comunidade brasileira a participar ainda mais do aplicativo. O Brasil está entre um dos cinco maiores públicos da ferramenta fora dos EUA.

Introducing Photos of You from Instagram on Vimeo.

Segundo o Portal Proxxima, além da audiência, um dos principais fatores que favoreceram o investimento no território brasileiro foi o fato que dois dos principais eventos esportivos mundiais estão prestes a acontecer em nosso país, a Copa do Mundo e as Olimpíadas.

Em entrevista ao portal Brainstorm#9, a Gerente de Comunidades do Instagram na América Latina forneceu detalhes a respeito do objetivo desta nova ação. “Queremos oferecer uma oportunidade para o compartilhamento de histórias do Brasil e dos brasileiros, elaboradas em português. Queremos mostrar ao mundo os bons trabalhos que são realizados aqui”.

A seleção de imagens que aparecerão na conta do Instagram Brasil será feita por meio de análise das fotos brasileiras. Os usuários selecionados terão suas fotos creditadas, com nome e link para seus perfis do Instagram.

A comunidade @InstagramBrasil fará ações de parcerias com eventos, de grande porte, como por exemplo, a São Paulo Fashion Week. A ação permitirá que os usuários selecionados compareçam ao evento e registrem através do seu ponto de vista em suas contas do Instagram.Intagram_Brasil

Por Bruno Sutero, Coordenador de Banco de Dados
PR Newswire

Elementos Visuais Surpreendem e Atraem Audiência

Como a rotina de um pai com filhos na pré-adolescência pode ajudar profissionais de comunicação a oferecer melhores mensagens a seus públicos.

Imagem original: El País

Imagem original: El País

Não é novidade que imagens, muitas vezes, nos dizem mais do que palavras. Ou que cores nos transmitem sentimentos e emoções. E que, quase sempre, escolhemos um livro pela capa.

David Laferriere é um designer americano, pai de dois filhos. Um belo dia pela manhã, quando prepara a lancheira das crianças para que elas fossem à escola, como de costume, fez uns sanduíches e os colocou em um saquinho plástico transparente. David notou que em uma mão estava o lanche embalado e na outra uma canetinha Sharpie. Seu filho sugeriu que ele desenhasse um monstro na embalagem. E assim o pai estabeleceu mais uma tarefa em sua rotina.

A partir desse dia, todas as manhãs David preparava a merenda de seus filhos e fazia um desenho diferente nas embalagens. O desenhista tentou pintar diretamente sobre o pão de forma usando tinta comestível. Mas demorava muito para secar, isso fez com que o David descartasse a ideia.

“Comecei em 2008, quando ainda eram pequenos. Queria surpreende-los com algo divertido”.

Seus desenhos passaram a fazer sucesso na escola de seus filhos. Seus coleguinhas passaram a sugerir criações. Desde então, o desenhista já elaborou mais de 1.300 criações diferentes.

COMO UMA BRINCADEIRA FAMILIAR SE TORNOU ARTE?

Através do Flickr, onde o usuário cria uma página e passa a inserir imagens que podem ser vistas e compartilhadas por outras pessoas. David começou a inserir fotos de suas criações nas embalagens. Em algumas semanas conquistou mais de 18 milhões de visitas, uma média de 8.000 por dia. Como descrito pelo jornal espanhol El País, o americano se tornou um “fenômeno virtual”.

Hoje o designer manter o Flickr como a principal plataforma para divulgação das suas criações, além de manter sua conta no Twitter sempre atualizada.

 

David cruzou o oceano e está expondo seus trabalhos na Asociación Diseñadores de Madrid y Fundación Diseño Madrid – @di_mad.

Miriam Sarralde, da sede do Yahoo! na Espanha (empresa mãe do Flickr e parceira da PR Newswire em alguns países na América Latina) diz que “É a primeira vez que nos colocamos em contato com um usuário para fazer algo com ele”.

DICAS PARA PROFISSIONAIS DE COMUNICAÇÃO

#1. Escute sua Audiência. Leve em consideração o que o seu público deseja. Assim como David, ache algum meio de tornar seu produto, serviço ou mensagem mais relevante para seu público.

#2. Inclua Elementos Visuais. Estudos comprovam que elementos visuais é uma boa forma de interagir com as pessoas. A PR Newswire também já apontou as vantagens na distribuição de releases multimídia (fotos, vídeos, apresentações, etc.). RP e Recursos Visuais – Combustível para o Motor do Content Marketing

#3. Ache novos Meios e construa novos Públicos. Ao criar perfis em redes sociais David conseguiu aumentar sua audiência. Passando da escola de seus filhos para outros mercados. Conquistando assim mais visibilidade às suas criações.

Leia também:

Você conhece outros casos que possam ser utilizados como exemplos para profissionais de comunicação? Deixe o seu comentário. Dessa maneira podemos trazer para o mundo corporativo soluções que muitas vezes só as usamos para em nosso cotidiano familiar.

Por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Repercussão Internacional sobre o Bloqueio do Twitter na Turquia

As vésperas das eleições turcas, o primeiro-ministro Recep Tayip Erdogan, retirou o twitter do ar na Turquia na última quinta-feira. Segundo o portal de notícias G1, Erdogan, membro do governo conservador islamita, afirmou querer “apagar o Twitter do mapa” e ainda disse não se importar com a opinião da comunidade internacional.

Twitter_Turquia_Bloqueado

Críticas sobre o ocorrido vieram do próprio presidente da Turquia, Abdullah Gul, que declarou “não aprovar um bloqueio total de uma plataforma de redes sociais”. Assim como os EUA, que deixou claro repudiar qualquer infração sobre a liberdade de expressão por parte do governo turco.

A página oficial sobre política do Twitter (@Policy) ofereceu, via SMS, um alternativa para os usuários burlarem o bloqueio do governo turco à rede social. Logo, a mobilização se espalhou pela internet.

Críticas aos ditadores, posts de vídeos e imagens sobre a decisão de Erdogan e incentivando o uso de hashtags como #DictatorErdogan#TwitterIsBlockedInTurkey foram publicados pelo site Mashable.

A Primavera Árabe, que teve início em 2010 com a Tunísia, foi um dos principais exemplos e demonstrou o importante papel das redes sociais na política. Chamadas “Hashtags da Revolução” pelo portal Opera Mundi, levaram a #Occupancy e nome dos países envolvidos para informar o que ocorria durante o momento das manifestações que tomaram conta dos países do norte da África e Oriente Médio.

Confira também o post sobre Marketing político nas Redes Sociais.

Por Caroline Malgueiro,  Pesquisadora de Mídia
PR Newswire

3 Grandes Marcas – Como usar as Hashtags no Facebook

O Twitter foi o pioneiro e popularizou o símbolo entre seus usuários. O Google Plus também adotou o sistema e até sugere algumas opções para os internautas. No Instagram é praticamente impossível encontrarmos alguma publicação onde elas não estejam.

Infográfico_Hashtags_Facebook

Sabemos que as hashtags são uma ótima alternativa para agrupar e categorizar o conteúdo que é publicado nas redes sociais. Usa-las tende a aumentar o alcance e a interação social do seu conteúdo. Porém há controvérsias de quando e como usa-las e até mesmo a quantidade delas em um mesmo post.

Na teoria, quanto maior o número de hashtags colocadas em uma publicação, maior a interação social das pessoas com o seu conteúdo. Segundo o Socialbakers, não é bem assim. Essa afirmação não pode ser levada ao pé da letra.

O jogo da velha à frente das palavras deve ser usado com moderação, caso contrario, isso poderá prejudicar o desempenho do seu post.

#1. HASHTAGS EM POSTS NO FACEBOOK

Especialista em marketing nas redes sociais, em fevereiro de 2014, o Socialbakers analisou 200 mil posts de marcas no Facebook. E constatou que as marcas que utilizavam uma ou duas hashtags em um determinado post receberam uma média de 593 interações. Esse número diminuía para 416 para as marcas que usavam entre três a cinco hashtags na mesma publicação.

Confira o gráfico acima. Ele indica que quanto maior o número de hashtags, menor o engajamento do público. O estudo ainda sugere outras informações muito interessantes:

#2. COMO USAR AS HASHTAGS NO FACEBOOK

#Searchability - As Hashtags podem ser usadas de varias formas, de acordo com seu objetivo. Como já escrito acima, você pode usa-las para aumentar a capacidade de pesquisa do seu conteúdo.

Por exemplo: No post (abaixo) publicado pela cafeteria Starbucks, uma das hashtags  é #CháVerde. Ela serve para promover o produto da empresa americana. Já que, quando um usuário buscar sobre essa tag dentro do Facebook, provavelmente irá se deparar com o post da marca americana.

Starbucks Brasil_ post

Saiba Por que seus Posts estão perdendo Alcance no Facebook?

#StartTheConversation - Criar uma hashtag  associada a um produto, campanha ou evento também pode ser uma ótima ideia para se relacionar com seu público.

Por exemplo: Para interagir com o público, a Pepsi criou a hashtag #ConfissõesdeCarnaval. Onde a marca pediu para seus fãs indicarem qual a música de carnaval que mais estava tocando em suas cidades. Insights como esse podem ajudar a marca em projetos de comunicação e entender mais sobre seu público.

Pepsi Brasil_ post

Veja também: Pepsi no Facebook sugere boas sacadas para Mídias Sociais

#LOL - Hashtags podem ser adicionadas para valorizar uma brincadeira. Essa alternativa é muito empregada por usuários no Facebook, assim como algumas marcas. Se for usar esse tipo de hashtag, tenha cuidado para não ser ofensivo ou publicar algo de mau gosto.

Por exemplo: A marca de sorvetes Kibon usou a hashtag #PiraNoDoceDeLeite valorizando o seu produto e interagir com seu público de uma forma descontraída e informal.

Kibon Brasil_ post

Leia também o nosso post sobre as diferenças entre as Hashtags no Facebook e no Twitter.

As hashtags são uma ferramenta fundamental nas redes sociais. Elas devem ser usadas de acordo com sua proposta de comunicação ou de relacionamento com seu público. Estude os seus concorrentes e a estratégia adotada por eles no ambiente on-line.

Não se esqueça, em cada plataforma social os usuários já estabeleceram um método de como e quando usa-las. Pense em estratégias diferentes para incorpora-las nos seus posts, sejam eles no Facebook, Twitter ou Instagram.

Por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Content Marketing – 8 Dicas Para Produção e Divulgação de Conteúdo

O Content Marketing é um dos assuntos mais abordados pelos profissionais de comunicação nos últimos anos. E esta sendo adotado por grande parte das empresas como uma ótima alternativa para fidelização e relacionamento com seus públicos.

A_Tabela_Periódica_do_Marketing_de_Conteúdo

Composto por vários temas, o Marketing de Conteúdo se modifica e se atualiza constantemente. Quando menos se espera, o Google muda seu algoritmo para buscas, o Facebook começa a diminuir o alcance orgânico dos posts ou surge um novo aplicativo mobile que passa a dar as cartas do jogo. Acompanhar todas essas novidades é um verdadeiro frenesi, que torna a vida dos profissionais de comunicação excitante e ameaçadora ao mesmo tempo.

O seu conteúdo é a sua marca. Construa a sua marca com honestidade, confiança e vontade de ajudar os outros, e você verá os resultados. Enquanto outros atalhos acabam se revelando ineficazes, o conteúdo e as discussões geradas por ele são a única constante que permanece verdadeira.” – Jim Lodico, Proprietário da JAL Communications, para o Scup 50.

Pensando em facilitar a vida dos profissionais de comunicação, a Chris Lake – Diretor de Conteúdo da Econsultancy – elaborou um infográfico em formato de tabela periódica que desmistifica as 8 etapas do Marketing de Conteúdo.

The Periodic Table of Content Marketing, by Chris Lake.

The Periodic Table of Content Marketing

1.Estratégia de Conteúdo

Estabeleça o seu objetivo a longo prazo. Planeje e tenha uma estratégia clara. Essa será sua base para os próximos passos em qualquer projeto de content marketing e deverá direcionar todas as suas ações.“Ou você tem uma estratégia própria, ou então é parte da estratégia de alguém” – Alvin Toffler. (Tweet isso!)

2.Formatos de Conteúdo

Escolha o formato que se conecta com seu público e melhor transmita sua mensagem. Pense que textos, imagens e vídeos são consumidos de formas diferentes. Uma demonstração de produto pode ser muito mais clara em um vídeo do que em um texto, por exemplo.

3.Tipo de Conteúdo

A imagem acima foi apresentada como uma tabela periódica, mas poderia ser de outro tipo, tudo está dentro da sua estratégia. Os tipos de conteúdo que você pode desenvolver para sua marca são bem amplos.  Siga aquele que mais se alinha com seus objetivos.

4.Plataformas de Conteúdo

A tabela mostra as principais plataformas de hospedagem e distribuição de conteúdo. Será que para uma instituição financeira é mais interessante fazer a divulgação de seus resultados trimestrais no Facebook ou em seu site? Cada plataforma sugere um tipo de cluster da sua marca. Muitas vezes seu conteúdo estará mais preparado para umas plataformas que para outras.

5.Métrica de Marketing de Conteúdo

Quantas pessoas visualizaram seu conteúdo?  Isso gerou novos negócios para sua empresa? Defina o que você quer saber para então eleger as métricas que melhor acompanharão seus resultados e trarão mais informações do seu público.

6.Gatilhos para o Compartilhamento de Conteúdo

Pense em qual emoção você quer destacar no seu conteúdo para que ele se conecte com o público. Sua história deve despertar sentimentos para que o público se engaje com a sua história. Quer saber mais sobre o tema?Consulte o Blog Unruly.

7.Checklist Content Marketing

Antes da publicação do seu material, confira todos os itens que o compõem a base da tabela periódica. Otimize seu conteúdo para buscadores e o adeque a sua marca. Desde identidade visual até a linguagem utilizada. E não importa, se o conteúdo estiver finalizado e você perceber pontos de melhoria ou correções, o faça.

8.Goals do Marketing de Conteúdo
Se você está produzindo e compartilhando seu conteúdo, você com certeza tem algum objetivo, seja ele financeiro ou não. Então vale estabelecer quais são seus objetivos e como acompanha-los.

Mais do que uma imagem, essa tabela serve para que os profissionais de comunicação consigam manter controle sobre os pontos mais importantes para a produção e divulgação do seu conteúdo na rede. Seguindo essas dicas provavelmente a sua história alcançará os objetivos esperados pela sua empresa.

RP e Recursos Visuais – Combustível para o Motor do Content Marketing

Ebook Grátis: Novas táticas para que seu conteúdo ganhem a atenção da imprensa.

E você conhece outros métodos para aplicar no Marketing de Conteúdo? Esperamos o seu comentário.

Por Victor Melo, Analista de Comunicação Corporativa LatAm
PR Newswire

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 30 outros seguidores