Querida Gracie: As lições mais importantes das carreiras dos profissionais de RP


Postado em 7 de setembro de 2012 por Grace Lavigne no blog Beyond PR.

A cada semana, Querida Gracie responde perguntas dos leitores da conexão ProfNet com conselhos de nossa rede de quase 50.000 especialistas em Profnet. Tem alguma pergunta que está pairando na sua cabeça ultimamente, alguma coisa que você vem pensando e nenhum de seus colegas consegue responder? Por favor, envie para grace.lavigne@prnewswire.com. 

Querida Gracie, 

Eu sou estudante e estou no meu primeiro estágio em Relações Públicas neste verão. Qual o melhor conselho que um RP de longa data pode me dar. Qual a lição mais importante que aprenderam durante a carreira na área?

Conselhos para um Iniciante 

1. Vá além do óbvio. Sanuel Goldwyn, produtor de filmes, uma vez disse: “Quanto mais eu trabalho, mais sortudo eu fico”. Isso é, quanto mais você trabalha, você cria mais ideias e chances para você mesmo.

2. Tenha expectativas realistas.
Thomas Lee, fundador e chefe de relações públicas na 451 Marketing, estava representando uma estação de rádio local que tinha conseguido uma apresentação ao vivo do músico Tio Cracker. Ele fez algumas ligações e conseguiu que a mídia da área garantisse que cobririam o evento. Ele disse a seu cliente “todos os canais de mídia estarão lá”, e claro seu cliente ficou extasiado.Esse é o que os publicitários considerariam um pecado capital, diz Lee. Porque apesar de garantias, nenhum canal de mídia apareceu para cobrir o evento. A lição foi que, como publicitário, você não pode controlar a mídia. Também existem diversas variáveis que podem impedir que a imprensa compareça a um evento, publiquem um artigo ou façam uma reportagem – Furos, trânsito, condições climáticas adversas, anunciantes, editores que precisam de maior espaço, etc. – nada é uma certeza. “Sempre entregue o que prometeu”, concorda Shannon Blood, gerente de conta na Off Madison Ave.

3.Fique calmo sob pressão.
“Delicadeza sob pressão pode fazer toda a diferença”, afirma Karyn Martin, vice-presidente da 451 Marketing. “Quando uma situação não sai como planejado, sua reação pode consagrar ou prejudicar um cliente”. Tranquilize os outros e supere a situação – e você estará com grande vantagem na área de relações públicas.

4.Lembre dos Detalhes.
Minha lição mais importante como relações públicas se resume em uma palavra: ‘Estacionamento’, afirma Zipporah Dyash, vice-presidente de interesses públicos e desenvolvimento no Centro Médico SUNY Downstate e no Hospital Universidade do Brooklyn na faculdade Long Island. Em uma área metropolitana como Nova York, os repórteres não só irão avaliar os méritos da sua iniciativa, como se você consegue trazer a equipe ao local. “Toda negociação inclui ‘disponibilizaremos estacionamento’”, diz.

5. Sempre represente.
Feiras são frequentes em Las Vegas, mas lembre-se que você está lá como porta-voz de seu cliente, e sempre o represente, diz Jeremy Pepper, consultor de relações públicas e blogueiro. “Você pode sair e tomar uma bebida, mas é bom você sempre chegar nos horários dos eventos e nunca de ressaca”.

6. Seja Pró ativo.
Como jornalista, você só pode denunciar – você só pode ser reativo – mas como relações públicas, você pode fazer as coisas acontecerem – você pode ser pró-ativo, explica Dan Collins, diretor sênior de relações públicas no Centro Médico Mercy. Ele aprendeu essa lição em seu primeiro trabalho como relações públicas, quando uma música local foi brutalmente assaltada e seu violino de cinco anos roubado. Collins se esforçou para oferecer uma recompensa pelo violino roubado e também para cobrir suas despesas médicas. Isso atraiu a atenção da mídia, e por outro lado, também atraiu os criminosos, que tentaram reaver a recompensa e acabarem presos. “Relações Públicas e Jornalismo são dois lados da mesma moeda”, diz Collins. Mas a habilidade de ser pró-ativo é de um RP.

7. Seja sincero.
“Seja genuíno e você será confiável”, afirma Chris Leogrande, diretor de relações públicas da Faculdade Utica. “Isso tem me ajudado muito na relação com os repórteres. Se eu não posso responder suas perguntas, eu digo que não posso”. Por exemplo:

  • A imprensa nesse momento poderia colocar em risco o nosso funcionamento.
  • Nós temos uma política de não falar sobre informações pessoais dos funcionários.
  • Eu não sei a resposta sobre isso, mas procurarei me informar.

    “Nunca, jamais minta para um repórter. Acima de tudo”, afirma Lewis Goldberg em seu trabalho “PR Lessons Learned”. “Você será descoberto e você vai perder sua credibilidade, e prejudicar profundamente seu cliente”.

8. Ganhe a confiança. “Muitos relacionamentos são mais baseados na dinâmica de vendedor-consumidor do que numa parceria de confiança” afirma Bill Mc Laughlin, RP e especialista em mídias sociais para o Louis Paul e parceiros, em seu trabalho “Client-PR Agency Relationships: It’s a Matter of Trust.”. Aqui estão algumas maneiras de construir relacionamentos baseados na confiança:

  • Passe aos clientes a realidade. É crucial desde o início que os clientes entendam seus ativos, forças e fraquezas, desejos e metas, etc.
  • Evite investir em expectativas. “A agência precisa entregar resultados, mas o cliente também precisa pagar pelos custos desses resultados”.
  • Providencie transparência financeira. Uma vez acordada a verba, tenha certeza que o cliente esteja consciente de como suas atividades estão alinhadas com o orçamento.
  • Corte o mal pela raiz. Não hesite falar sobre expectativas ou problemas. Quanto antes esses assuntos forem conversados, melhor.

Uma relação de confiança também deve ter respeito e privacidade, acrescenta Brooks. “Não importa o contexto de seu trabalho, não importa o que os repórteres perguntem ou achem que sabem, algumas conversas e informações devem ficar longe da opinião pública”. Mantenha sua palavra.

9. Mantenha a diplomacia. “Saiba o tempo certo para falar e para ficar quieto”, afirma Rachel Hutman, especialista em comunicação na Agência Clearpoint. É uma linha fina, e algo que você aprende no caminho, diz. Ainda, lembre-se que em tempos de crise é importante dizer algo para a mídia, afirma John Brooks, diretor de relações públicas na Universidade North Park em Chicago. “Repórteres sempre acharão alguém que comente, e você provavelmente não gostará do que esse ‘porta-voz’ tem a dizer”. Sempre retorne as ligações dos repórteres em tempo hábil e tenha um comunicado para divulgar, mesmo que contenha poucas informações.

10. Escolha suas batalhas. “O cliente está sempre certo, mesmo quando não está”, afirma Susan Tellem sócia da Grody RP. “É essencial que os especialistas em relações públicas ofereçam o melhor conselho quando os clientes pedem, mesmo que eles não peçam”. Diga aos clientes o que você pensa e por que, continua Tellem. “Se o cliente por qualquer razão não concordar, diga: Você é o cliente. Enquanto você não concorda, lhe ajudarei a alcançar o que você quiser com a minha melhor habilidade (enquanto não for ilegal ou imoral)”.

11. Colabore. Trabalhe como um verdadeiro parceiro com as partes interessadas ou clientes, declara Rachel DiCaro Metscher, diretora de comunicação corporativa no Hobsons. O melhor colaborador irá identificar claramente as necessidades, providenciar uma solução que funcione, ter certeza que o trabalho será feito e o acompanhar. “A habilidade de trabalhar bem com cada pessoa é vital para o sucesso delas e para o meu”, afirma.
“Trace metas para o time”, acrescenta McLaughlin. “Comece com metas realistas e inclua possibilidades de rápido retorno para que todos possam ver imediatamente a energia do programa”.

12. Tenha cuidado com o Status Quo. “O status quo é o inimigo”, diz Lou Hoffman, CEO da Agência Hoffman. “É mais fácil cair na armadilha de fazer da mesma forma, porque ela sempre tem sido feita”. Sempre há espaço para pensamentos inovadores.

13. Discurse de forma sensata. “Envie um discurso porque ele contém a história certa para a pessoa certa da mídia”, diz John Goodman, da RP John Goodman. “Discursos mudos para acalmar o cliente voltarão piores através da mídia”.

14. Leia Muito. “Você nunca leu o suficiente na área de RP”, afirma o publicitário de Atlanta, Dan Beeson. “Experimente o maior número de gêneros literários enquanto forem humanamente possíveis”.

15. Divirta-se. “Enquanto RP é um trabalho, levar a alegria da vida para seu trabalho tornará seu caminho mais eficaz”, afirma Goldberg. “Se você ver apenas o lado difícil, não estará fazendo um favor a ninguém”. Aproveite sua vida e seu emprego e seu trabalho refletirá isso.

Gracie

Escrito por Grace Lavigne, editora sênior da ProfNet, um serviço da PR Newswire que ajuda jornalistas a se conectarem com fontes experientes. Querida Gracie é publicada semanalmente na Conexão Profnet, uma rede social gratuita para comunicadores. Para ler mais de Grace, veja seu blog na Conexão Profnet.


Traduzido por Marina Landert, Coordenadora de Análise de Conteúdo de Mídia
PR Newswire

About these ads

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 57 outros seguidores